PITACOS #60 – Terceira semana de governo interino

(Last Updated On: 30 de junho de 2017)

Quente
Começou quente essa terceira semana do governo interino de Rubinho Bertolini (Solidariedade). A ordem nos corredores da Prefeitura de Penápolis é de desmontar os “legados positivos” que Célio de Oliveira (PSDB) deixou nos últimos dias de seu governo. Vou ser mais claro. Eles querem mostrar à sociedade que o ex-prefeito não deixou mais de R$ 6 milhões em caixa. Pelo contrário, que deixou dívidas e mais dívidas.

Saúde
Não à toa, que administração convidou a imprensa para acompanhar a visita do prefeito interino e deu seu secretário de saúde, o médico ortopedista Luiz Fernando de Souto Fink, a Unidade Básica de Saúde do Jardim Del Rey e lá anunciou que somente na saúde a prefeitura deve aos fornecedores e prestadores de serviços mais de R$ 4,8 milhões, impossibilitando a compra de diversos medicamentos.

Saúde II
De acordo com o Dr. Fink, os dados são referentes a 2016 e refletem principalmente os últimos meses da administração passada. Diz ainda que a maioria dos processos licitatórios feitos de novembro pra cá não houve nenhum interessado, visto que, a prefeitura deve para alguns fornecedores desde abril do ano passado. Agora, o trabalho é conversar pessoalmente caso a caso com cada um dos fornecedores.

Judicialização
Ao PITACOS, o secretário comentou sobre a “judicialização” da saúde – meios que os pacientes usam para requerer remédios de alto valor ou cirurgias através de ações judiciais. Segundo Fink, a atual administração não tem o valor exato dos valores gastos com esse tipo de medida. Mas, que está estudando caso a caso e sem querer interferir na conduta médica, propor a justiça alternativas de produtos ou medicamentos que fazem o mesmo efeito, mas, tem um custo menor, gerando economia aos cofres públicos e ao mesmo tempo atendendo as necessidades dos pacientes.

Terceiro Médico
Também ao PITACOS, o secretário afirmou que manterá o terceiro médico no Pronto Socorro Municipal. Medida adotada no governo do ex-prefeito Célio de Oliveira e que funcionou muito, principalmente, por ser implantado no turno a partir das 19h, horário de maior volume de atendimentos. Segundo ele, para atender a medida irá dobrar os plantões de alguns médicos da própria rede que se prontificaram atender no PS. Isto porque como a folha da prefeitura está em 54%, não pode, pelo menos, por agora efetuar a contratação de novos médicos que passaram no concurso público de novembro passado.

Audiência
Para explicar os números das dívidas da Secretaria de Saúde, bem como, tirar dúvidas sobre os assuntos pertinentes a pasta, o Secretário Luiz Fink irá promover audiência pública na próxima sexta-feira (27), a partir das 16h, na Câmara Municipal de Penápolis. Mesmo que o horário seja totalmente ingrato para um cidadão comum, como nós, participarmos, quem tiver a oportunidade de ir, vale a pena!

Outro lado
Para fazer essa coluna, mesmo que opinativa, precisa-se de muita responsabilidade com a verdade. E para nós, que militamos da imprensa isso nos é mui caro. Tanto é que procuramos o ex-secretário de saúde, Alex Marques Cruz, que gentilmente nos atendeu e expôs sua versão dos fatos na saúde. Segundo ele, o valor apresentado pelo atual gestor não é verdadeiro, visto que, para chegar aos valores apresentados teria de incluir a folha de pagamento e o 13º salário de todos os servidores da saúde e mesmo assim nem chegaria.

Outro lado II
Alex lembrou que em 2013, quando assumiu a gestão da saúde em Penápolis, herdou de seu antecessor uma dívida de R$ 1,8 milhões, num orçamento municipal de cerca de R$ 78 milhões. Quatro anos depois, com o orçamento de 2016 ultrapassando R$ 110 milhões, a dívida de restos a pagar dos recursos próprios foi de R$ 2,3 milhões. Se juntar o restos a pagar mais a folha de pagamento com todos os encargos sociais dá algo em torno de R$ 4,2 milhões. Muito diferente do que anunciado pelo atual secretário. Segundo Alex, os dados colhidos na manhã de ontem (19), são do setor de Contabilidade da Prefeitura de Penápolis.

Cultura
Todos que militam na área cultural, estranhou informação veiculada pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis, de que os restos a pagar do ano passado superam a previsão orçamentária desse ano. O total da previsão para a Cultura é de R$ 1,2 milhão. Mas, em conversa com o atual secretário, Lucas Casella (PSD), explicou que o valor da dívida de restos a pagar de 2016 é de aproximadamente de R$ 360 mil. Tirando a folha de pagamento algo em torno de R$ 837 mil, o restante é para investimentos no setor cultural.

Comunicação
De certo que uma das poucas boas escolhas de Rubinho Bertolini, enquanto prefeito interino, foi a efetivação do sociólogo, psicanalista e cientista político e social, Thiago Mazucato. Com dois dias na função, já visitou a redação do Jornal Interior Penápolis, algo que a última gestão não fez nenhuma vez em quatro anos. Esperamos de verdade que ele consiga implantar um sistema diferente que priorize a informação trazendo à tona a verdade, seja ela, boa ou ruim. Afinal, é esse o papel da imprensa.

Bomba
Na edição passada, disse que haveria uma bomba que poderia acontecer nos bastidores da política local. De fato, ainda não existiu nada de concreto. De certo, é que não existe apenas uma bomba, mas, várias que estão prestes a estourar. E risco a dizer que uma delas vai acontecer na primeira sessão da Câmara dos Vereadores, no próximo dia 6 de fevereiro (segunda-feira), onde participará também o prefeito interino, Rubinho Bertolini que irá expor os seus primeiros 30 dias de governo.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br