PITACOS #61 – Factoides político, vereador fujão e outras cositas más!

(Atualizado em: 5 de abril de 2017)

UM MÊS E TRÊS DIAS
Nestes 33 dias de governo interino de Rubinho Bertolini (SD) aconteceu muita coisa. Não, não foram milagres. Pelo contrário. Tentativas e mais tentativas de desvincular-se do antecessor (o que é natural), mas, com ações que caem no ridículo. Vide o pífio decreto de contenção de despesas assinado pelo mandatário e chancelado pelo secretário de governo Alexandre Gil de Melo e pela secretária de finanças Maria Emília Pereira de Souza.

DECRETO
No dia 19 de janeiro, foi publicado nos jornais da cidade, decreto que estabelece contenção de despesas na administração pública direta ou indireta, anunciando que a dívida atual da prefeitura era mais de R$ 11 milhões, incluindo Febom (Fundo Especial dos Bombeiros) e do Fundo da Merenda. Contudo, o que eles não especificaram (de propósito), foi que desse valor, R$ 7,6 milhões era de folha de pagamento dos servidores municipais. Isto é, a dívida real da prefeitura é de R$ 4,4 milhões.

SIMPLES
Fazendo uma conta simplista, se dividirmos a dívida real em 12 meses, dará pouco mais de R$ 360 mil por mês. O que perfeitamente natural num orçamento de mais de R$ 115 milhões no ano. E que arrecadou neste primeiro mês do ano mais de R$ 2,4 milhões em ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Portanto, esse decreto é para criar um factoide político pensando estritamente nas eleições suplementares que esperamos ocorrer ainda este ano em Penápolis.

INFORMAÇÕES
Na semana passada, para completar o trabalho jornalística que faço também no Blog do Faria, solicitei informações à administração municipal, quanto as dívidas deixadas do último ano de governo do ex-prefeito João Luís dos Santos (PT), no qual a Maria Emília era secretária, para o então prefeito que assumiria Célio de Oliveira. Contudo, rasgando a direito à informação e a transparência, a secretária se negou de repassar as informações, alegando a mim que não se envolver em questões políticas. Dias depois, a administração amenizou o discurso de que não teria neste momento condições de fazer tal levantamento.

INFORMAÇÕES II
Entretanto, o vereador Nardão Sacomani (DEM), também pediu as informações, que segundo a própria Maria Emília já havia respondido a solicitação do parlamentar, mas, até na sessão extraordinária de segunda-feira (30), o ofício não havia chegado. Enquanto isso, na manhã de hoje (03), farei protocolarmente o pedido à prefeitura de Penápolis de todas as informações sobre as dívidas e receitas em administrações passadas. Se a Maria Emília não quer repassar as informações, usarei de todas as instâncias para consegui-las (inclui aí o Ministério Público), afinal, são públicas, certo?

ENTREVISTA
Não é somente na prefeitura que as coisas estão as avessas. Na Câmara de Vereadores creio eu está pior. Pois, desde que Evandro Tervedo Novaes proferiu seu voto que mudou o rumo da história, deixando uns furiosos e outros com o sentimento de dever cumprido, ele não mais tentou se expor – digo na imprensa, pois, nas redes sociais! Desde então, jornais da cidade e o meu blog entrou por diversas vezes para entrevista, sendo marcada e desmarcada uma atrás da outra. Segundo o assessor de imprensa, Ricardo Alves, o vereador dará entrevista após a sessão dessa segunda-feira (6). Na terça-feira (7), mandarei novo e-mail, vamos ver se ele recusará novamente ou se de fato atenderá a nossa solicitação.

PERGUNTAS
Creio que Evandro tem muitas perguntas a serem respondidas, mas, algumas estão claras e postas à mesa. Na postagem do Blog do Faria digo que o Evandro perde a oportunidade de explicar a população se houve ou não traição de sua parte na eleição para a presidência da Câmara de Vereadores; Que ele perde a oportunidade de explicar para a população, principalmente, a católica, se falou ou não sobre os investimentos com o dinheiro público na reforma do Santuário São Francisco de Assis; Perde também a oportunidade de explicar porque ajudou a nomear seu tio Silvano Nogueira Tervedo para o Consórcio Intermunicipal do Ribeirão Lajeado. E se isso não fere os princípios da Administração Pública na qual você defendeu na tribuna, durante a sua posse? E perde a oportunidade de explicar sobre o possível processo que corre na justiça com relação a AVAN (Associação Acadêmica Valência da Alta Noroeste), entidade que ele criou e que tem como presidente o atual secretário de Esportes e indicado do vereador, Emerson Lúcio Pacheco.

GUARDA COSTAS
Não é de agora, que o presidente interino da Câmara de Vereadores está com guarda costas. Na primeira semana, presenciei o agora segurança esperando para falar com ele. O que não sabemos é se ele recebeu veladas ameaças ou se é por puro estrelismo, uma vez, que o cargo que ocupa interinamente já tenha ‘subido na cabeça’. Só saberemos se ele conceder entrevista. Outro pergunta é: Quem está pagando a conta: A Câmara ou está saindo do próprio bolso?
Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br