Vereadora Ester se defende da polêmica envolvendo os patos

(Last Updated On: 30 de junho de 2017)

A vereadora Ester Sezalpino Mioto (PSD) usou a assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores de Penápolis para se defender de polêmica criado por ela envolvendo a retirada dos patos e gansos do Parque Santa Leonor.

Segundo ela, a saúde pública está acima dos patos e faz uma comparação com as drogas. “As drogas e os patos podem ter algo em comum: não incomodam até entrarem na sua vida”.

Explica ainda que sua iniciativa de pedir a retirada dos animais  das margens do rio à Prefeitura de Penápolis ocorreu em atendimento a reclamações de diversos munícipes que sofrem e enfrentam riscos gerados no local, sendo que Ester salienta ainda que por trás dos patos e gansos, haveria muitos pombos se proliferando num aproveitamento de comida dada ao elevado número de animais criados por um particular em área pública.

PATOS E GANSOS DEVEM FICAR NO SANTA LEONOR?

“Se o meu trabalho sobre os patos contribuir para evitar que pelo menos uma pessoa não fique doente pelos pombos com risco até de morte, já estarei satisfeita”, considera Ester.

No release enviado pela comunicação do legislativo, a vereadora estaria cumprindo uma das principais atribuições de vereador – a fiscalização. “Ester tem embasamento em pelo menos duas leis municipais. A de nº 2000, proíbe a criação para qualquer fim, na zona urbana do município, de bovinos, suínos, equinos, caprinos, ovinos, aves e outros animais, que de qualquer forma possam causar incômodo à vizinhança. Já a lei nº 1577, de 01 de julho de 2009, de iniciativa do então vereador Hugo Crepaldi, proíbe a criação, a manutenção e a alimentação de pombos domésticos em vias, praças, prédios e locais de acesso público na zona urbana de Penápolis”.

QUAL É A SUA OPINIÃO?

Foto: Imprensa Câmara