PROGRAMAÇÃO DE OUTUBRO DO BLUE TREE PARK LINS HOMENAGEIA OS ANOS 60

Infomercial 
O Blue Tree Park Lins, maior resort de águas termais do interior de São Paulo, oferece uma programação especial em homenagem à década de 60 durante mês de outubro. As atividades englobam aulas de dança, baile da “Brilhantina”, baladas que remetem a famosos filmes da época, além de gincanas na piscina e oficinas de drinks.
Para complementar a celebração aos anos dourados, de 18 a 24 de outubro, será realizada a semana “Anos incríveis no Blue Tree Park Lins”, com bailes temáticos, bingos, gincanas, musical retrô e shows de piadas.
Os hóspedes também poderão curtir os 2,8 mil m² de piscinas termais com temperaturas que variam de 35 a 40º C, fitness center, pista de cooper, quadra poliesportiva e de tênis, sauna, salão de jogos, spa, lago com pedalinhos e arvorismo com tirolesa. Também são oferecidas atividades diárias como caminhada, hidroginástica e alongamento, sempre acompanhados por monitores treinados.
Em sistema de pensão completa (café da manhã, almoço e jantar com bebidas não alcoólicas e sobremesas à vontade), o valor do pacote para dois dias no mês de outubro está a partir de R$ 1.649,00 + 10% de taxa de serviço, em apartamento Standard para casal, com gratuidade para duas crianças de até 11 anos.
Para efetuar reservas, basta entrar em contato pelos telefones (11) 3018-1848, se estiver em São Paulo, ou 0300-150-5000, no caso de ligar de outras localidades. Mais informações sobre o Blue Tree Park Lins podem ser obtidas emwww.bluetree.com.br e www.bluetreeparklins.com.br
BLUE TREE PARK LINS
Situado no noroeste paulista, o resort Blue Tree Park Lins possui um dos maiores complexos de águas quentes e minerais do Brasil (média de 38ºC nas piscinas). São 2.800 m² de piscinas de águas termais naturais, recortadas por pequenas ilhas artificiais, que formam um caminho onde o hóspede encontra cascatas, pontes, hidromassagem e bar. Os hóspedes também têm à disposição uma piscina de água fria de 500 m², com cascata e deck de madeira de 250 m², bem como quadras esportivas, salão de jogos, spa, lago com pedalinhos e arvorismo com tirolesa, caminhada, dança, alongamento e hidroginástica. O Blue Tree Park Lins está localizado no interior de São Paulo, a 450 km da capital.
Blue Tree Park Lins
Rod. Marechal Rondon, km 443 – Lins (SP)
Tel.: (14) 3533-6300
Central de Reservas
São Paulo: (11) 3018-1848
Demais localidades: 0300-150-5000
reservas@bluetree.com.br
www.bluetree.com.br

PITACOS #28

Liderança
A sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira (21), caminhava para uma sessão chata, sem nenhuma novidade, quando eis que surge o vereador Caíque Rossi (PSD), propondo ao também vereador Dr. Rodolfo (PROS), que abrisse mão da liderança do governo na Câmara para um dos vereadores do PSDB – partido agora do Prefeito Célio de Oliveira.
Surpresa
Pegaram todos de surpresa, vereadores e população presente na Câmara. Tanto é que teve parlamentares petistas aplaudindo o pedido do Caíque Rossi e outros que davam risadas sem entender o porque desse pedido, afinal de contas, Dr. Rodolfo é fiel ao prefeito Célio de Oliveira. Mesmo assim, ele colocou a disposição a função caso o prefeito e seu novo partido deseja assumir o posto.
Emendas
Durante a sessão, o presidente da casa Alexandre Gil (PT), conclamou os vereadores a criarem emendas ao orçamento de 2016, que será votado em breve pela Câmara. Segundo ele, houve uma conversa entre os parlamentares e a Secretária de Finanças Maria Emília que lhes explicaram como fazer uma emenda ao projeto sem ferir a legislação. Já faz tempo que não a uma emenda parlamentar em orçamentos municipais.
Candidato
Ainda durante a sessão, tive a oportunidade de brincar com o Ricardinho Castilho (PV), de quem deveria ser o candidato a prefeito do Partido Verde, era seu pai Ricardo Castilho, que já fora ‘alcaide’ nos idos dos anos 1970. Dr. Ricardo já falou publicamente que foi o responsável pelas as eleições de 2008 e 2012, para João Luís (PT) e Célio de Oliveira (na época pelo PSD). Não está na hora de ganhar uma eleição, sendo ele o candidato a prefeito?
CISA
E na próxima terça-feira, 29, a partir das 19h30, a Câmara Municipal realizará audiência pública sobre o possível fechamento do Consórcio Intermunicipal de Saúde. Foram convidados representantes da direção do CISA, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Conselho Municipal de Saúde e vereadores e prefeitos dos municípios integrantes do consórcio.
Poeta
Em julho do ano passado, eu tinha a honra de conversar com o professor de matemática, Maurílio Machi, que se aventura brilhantemente pelo mundo poético das palavras. Na oportunidade ele apresentara ” Acolhimento ou Recuso”, o livro que seria lançada na Bienal do Livro em São Paulo. Infelizmente nesta semana, a vida e seus desígnios o tirou de nós. Mas seu legado e suas obras ficaram para relembramos com carinho desse grande homem.
Contradições
Ele dizia gostar das contradições, pois, todos nós somos contraditórios o tempo todo. Como pode perceber no poema Fábula de “Faces e Fases” –
“Por detrás do muro/ Espreita a vida/ Não a sua vida/ Mas, talvez a vida que gostaria de ter/ A vida que não viveu/ Que não vive/ E que possivelmente/ Não viverá”.
Sarau
E no dia 1 de Outubro, Penápolis participa do Desafio “Dia de Ler, Todo dia!”, uma mobilização nacional pela leitura. Durante todo, das 09h às 21h, a página no Facebook da Biblioteca Fausto Ribeiro Penápolis, receberá fotos e vídeos de pessoas sozinhas ou em grupo lendo seus livros preferidos, contando pontos para a cidade. Como prêmio, o município ganhará um kit de livros novinhos para as duas bibliotecas municipais. Para encerrar as atividades do dia, a partir das 19h, terá o Sarau na Biblioteca Municipal ” Prof. Fausto Ribeiro de Barros”. Estão todos convidados.
Picadeiro
A Praça Dr. Carlos Sampaio Filho, será palco hoje (25), a partir das 20h, do espetáculo “Metro y Medio”, com a palhaça Maku Jarrak. É um espetáculo que emociona através da expressão corporal e da comunicação cômica, provando que o humor é universal. Ela é dirigida por um dos mais referentes palhaços latino-americano, o Payaso Chacovachi (que esteve em Penápolis durante o Circuito Sesc de Artes). O evento é uma promoção do Governo do Estado de São Paulo, através do Circuito Cultural Paulista.
Doações
Publicamos durante a semana aqui no INTERIOR que os adolescentes do Interact Club de Penápolis iniciaram uma campanha de arrecadação de alimentos, de produtos de limpeza e de materiais em geral para doar aos desabrigados de Panorama, município distante a 220 km de Penápolis. A arrecadação vai até o dia 14 de outubro, podendo ser entregues as doações a um dos interactianos.
Piloto
Estão abertas as inscrições no Aero Clube de Penápolis, o Curso Teórico de Piloto Privado. O curso é o primeiro passo para quem deseja se tornar um piloto de avião. No final desta primeira etapa o aluno se submeterá a uma prova teórica da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). Caso seja aprovado, estará apto a concluir o treinamento prático. O inicio será dia 15 de outubro. Maiores informações: 3652 2617 e aeroclubepenapolis@gmail.com.
Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@ricardofaria.com.br. E acesse: www.ricardofaria.com.br

PENÁPOLIS RECEBE A ESCRITORA BRUNA BEBER


Os penapolenses apaixonados por literatura terão a oportunidade de participar amanhã (23), a partir das 15h, na Biblioteca “Fausto Ribeiro de Barros”, de um bate-papo com uma das escritoras que foi sensação da FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) de 2013. Com o livro “Rua da Padaria”, a escritora Bruna Beber, faz dos poemas veículos para um retorno a infância e da adolescência vividas em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Não é à toa que o crítico literário Luciano Trigo classifica-os como: “versos marcados pela ironia e pelo ceticismo, mas também por uma nostalgia sentimental e quase alegre, algo como aquilo que a gente sente quando folheia um álbum de fotografias de família”, e completa: “O que importa não são os fatos, aliás, banais, mas a vida interior que eles ajudaram a construir e formatar – o registro de histórias ouvidas, de frases soltas, das brincadeiras na rua, filtradas pela memória e pela imaginação”. 

Beber é também autora de “Rapapés e Apupos”, “A fila sem fim dos demônios descontentes” e “Balés”. O Blog do Faria entrevistou a poetisa por e-mail e ela falou um pouquinho do processo criativo e da expectativa de conhecer as cidades do interior de São Paulo através do programa Viagem Literária, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.
FARIA: Você sempre foi incentivada a escrever desde pequena? Lembra quando foi a primeira vez que sentiu que poderia escrever? Como foi pra você?
Bruna: Sim, sempre, comecei participando de concursos de poesia na escola. A primeira vez foi assim, lembro-me da sensação até hoje, parecia tão natural.
F: Você é daquelas pessoas que vê poesia em todo lugar?
B: Na maioria das vezes, sim, e quando não, procuro.
F: Em outras entrevistas você comentou que no livro a “Rua da Padaria” você demorou quatros anos para escrevê-lo. Como foi esse processo? Testou bastante?
B: Sim, escrevi e reescrevi. Gravei os poemas, ouvi várias vezes. Espalhei os poemas que ainda precisavam de resolução em cantos estratégicos da casa para conviver com eles.

F: A memória está muito presente na Rua da Padaria. Qual é a importância que ela tem no livro?
B: Em certo sentido, sim, da primeira infância, grandiosas e primeiras memórias, as construídas/reais, tudo se mistura muito.
F: Como é pra você ser comparada com Leminski? “Leminski de saias”.
B: Foi uma brincadeira que fizeram porque meu livro vendeu muito na FLIP, um dos mais vendidos em 2013, e na época essa discussão de “poesia vende/ poesia não vende” estava bastante comum porque a poesia completa do Leminski tinha batido várias reimpressões em pouco tempo.

F: Qual a sua expectativa em participar do Programa Viagem Literária?
B: Estou muito ansiosa, sempre quis participar do programa. Este ano ainda bem me chamaram. Gosto de viajar para as cidades mais afastadas das capitais, interiores, estados pouco visitados. O público tem um interesse diferente no nosso trabalho e isso é muito gratificante. E o fato de ser nas bibliotecas públicas me instiga mais ainda, eu sempre fui rata de biblioteca.

CASAL WEEDS REFORMA KOMBI, APELIDA DE ‘CHICA’ E SE PREPARA PARA VIAJAR O PAÍS

Renan e Natália comenta que queriam ter tido essa ideia antes, trajeto sairá de Penápolis, passando pelo litoral paulista, Rio de Janeiro, Espírito Santo até chegar na Bahia

Em meio a poluição sonora do centro comercial de Penápolis, um casal chama a atenção para o estilo de vida que resolveram ter. Eles são conhecidos por seus amigos como “casal weeds”, mas, na verdade, eles são Renan Praes e Natália Falkembach Vieira, ambos com 28 anos de idade.

Como todo jovem, estão desacelerando a vida e buscando meios mais alternativos de sobrevivência, deixando de lado a turbulência do dia-a-dia e dos trabalhos que exigem sempre mais e mais, sem devolver na mesma medida a recompensa que lhes é devida.

Renan, natural de São Paulo, passou sua adolescência em Penápolis, mas, como todo jovem que deseja crescer profissionalmente precisou ir para São José dos Campos, trabalhar como corretor de imóveis. De lá, passou por diversas cidades trabalhando com corretagem.

“Trabalhando com corretagem eu passei por Taubaté, Jacareí, Itanhaém, Praia Grande, Angra dos Reis, Maresias, ficando em torno de 6 meses a 1 ano em cada local. Mas aquela vida de trabalhar na sexta, sábado e domingo mais de 12 horas por dia estava me deixando estressado. Quando tive a oportunidade de sair, aluguei um ‘box’ numa galeria e fui vender camisetas, skates, pranchas de surf, relógios entre outros artigos”, comenta.

Já Natália, também conhecida por Naty Falkem, nesta mesma época estava cursando faculdade de direito e trabalhando numa operadora de celular vendendo chips. “Eu já trabalhei com tudo que se possa imaginar, vendi chip de celular, assinaturas de revistas e fui atendente de telemarketing, mas, eu queria mesmo era montar meu próprio negócio. Foi quando resolvi alugar um ‘box’ na mesma galeria que o Renan e montei a tabacaria”, lembra.

Juntos, eles decidiram sair da galeria em Santos e mudarem as lojas para São Vicente (cidade vizinha), em um único ‘box’. “Nós alugamos esse ‘box’ em São Vicente e juntamos as mercadorias, mas com o tempo, precisamos fechar, pois, estávamos ficando muito apertado, foi quando meus pais ofereceram para vir morar aqui em Penápolis”, relembra Renan.
Terra de Maria Chica
Quando desembarcaram em Penápolis, tinham apenas duas mochilas com roupas e uma máquina de lavar. “Nós literalmente damos um tiro no escuro, não sabíamos ao certo no que daria, foram 8 meses sem nada de móveis, chegava a ter eco dentro de casa”.

“No inicio ficamos quatro meses sem nenhum trabalho. Conseguíamos uma grana divulgando páginas no Facebook. Depois disso começou a se encaixar, eu consegui emprego de telemarketing e ele na Usina Clealco”.

Concomitantemente eles montaram um grupo na internet e vendiam camisetas. Com o tempo e a estabilidade financeira fez com que Naty saísse do trabalho e montasse a loja de roupas e tabacaria. “Neste tempo ia para São Paulo buscar mercadorias, mas como a tabacaria no interior não é bem visto paramos. Foi neste tempo que entrou o artesanato em nossas vidas. Tanto é que nosso primeiro filtro foi feito num pneu de bicicleta. Depois fizemos um de cipó e nossos amigos gostaram e começaram a comprar, com isso vimos que podia ser um trambalho”, comenta Naty e Renan completa “Eu levava material para construir os filtros nas minhas horas vagas”.

Num desses dias, Renan ao voltar do trabalho na Usina foi questionando por Naty que iria fazer da vida. “Eu falei sei lá vamos viajar. Mas a verdade é que estávamos cansando mesmo daquela rotina casa-trabalho-casa. Nós trabalhávamos muito, ganhava pouco e ainda tinha a pressão dos chefes, chegava em casa estressado e tudo mais”, diz Renan.

“Nós trabalhamos para pagar água, luz, aluguel e internet, e ainda tenta juntar dinheiro para fazer uma viagem no fim de ano, mas na real não dá pra viver assim, por isso, mesmo que resolver trabalhar viajando”, comenta Naty.
Chica
Com a proposta de Renan, os dois foram pesquisar como poderiam viajar com um mínimo de conforto e eles resolveram comprar uma Kombi que logo apelidaram de ‘Chica’. “Ficamos três meses reformando ela. Trocamos o painel, estofado e adaptamos os bancos traseiros para ser a nossa cama”.

Eles vão continuar vendendo os produtos via internet na loja https://www.arteweeds.com.br/  e entregando as mercadorias de diversos lugares do país. “A gente tem um trabalho rolando na internet, se não der nada na rua, tem outra loja na internet que está vendendo por nós. muitas pessoas tentam menosprezar, mas não sabe o potencial que isso tem”.

Eles pretendem sair ainda no final do mês. o primeiro destino é Pratigi na Bahia, onde terá o festival Universo Paralelo na virada do ano. “Estou muito empolgada para irmos, pois, eu queria ter tido essa ideia antes, nós vamos sair daqui, vamos para o litoral paulista e de lá passando por Rio de Janeiro e Espírito Santo”.

O casal pretende registrar os momentos da viajem num blog. “Ainda não sabemos ao certo como vamos tocar isso, mas, a ideia é que possamos registrar esses momentos, pois, além de conhecer o local queremos interagir com ele”.

“Com o tempo, a ideia é de desenvolver oficinas com as comunidades carentes das cidades por onde passaremos, onde nós podemos deixar a nossa marca”, finaliza Renan. 

PITACOS #27

CISA 
Na edição de ontem (10), publicamos aqui no INTERIOR uma matéria sobre o possível fechamento do CISA (Consórcio Intermunicipal de Saúde), que engloba as sete cidades da microrregião – Penápolis, Avanhandava, Barbosa, Glicério, Braúna, Alto Alegre e Luiziânia. A verdade é que a empresa pública de natureza privada criada em 1986, está mal financeiramente. São mais de 24 milhões de dívidas com INSS patronal e o FGTS não é recolhido desde setembro do ano passado. 
Fechamento
Mesmo com todo esse cenário, a diretora geral Renata Vidal afirma que não tem hipótese alguma de fechamento do CISA. Do outro lado, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Penápolis Anderson Leone, o Batata, está mobilizando servidores, vereadores e comunidade para discutir o assunto numa audiência pública que será convocada pela Câmara Municipal de Penápolis. 
Médicos
No pequeno expediente da última sessão, o vereador Francisco José Mendes, o Tiquinho, ao comentar o sofrimento de uma cidadã que usara a tribuna da Câmara, disse que a empresa que atuar no Pronto Socorro Municipal contrata médicos que se “formaram ontem” e que se fosse assim era melhor não ter médico. De pronto o vereador Dr. Rodolfo rebateu a fala do parlamentar dizendo que muitos dos profissionais do Pronto Socorro fizeram residência e tem experiência para estarem ali. 
Leite de Pedra 
O prefeito Célio de Oliveira (PSD), tem dito nos últimos meses que a Administração está “tirando leite de pedra” e que se não alterasse os pagamentos de pequeno valor de 20 para 6 salários mínimos, de ações judiciais transito e julgados pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a Prefeitura de Penápolis não suportaria até o fim deste ano. 
Cargos 
Pois bem, nas últimas duas semanas, a administração municipal enviou para a Câmara de Vereadores, dois projetos que criam quatro cargos de encarregaturas – Chefia de Serviços e Licitações; Chefia de Transporte Público; Serviço do INCRA e Serviço de Inspeção e Fiscalização dos produtos de origem animal. Nos dois primeiros, 10 de 12 vereadores com direito a voto votaram contra, rejeitando assim a criação dos mesmos. Já no de Chefia do INCRA, os parlamentares foram bem claros que a prefeitura deve extinguir alguns cargos para obter êxito. No caso do Serviço de Inspeção e Fiscalização dos produtos de origem animal, a mudança será apenas de secretarias, saindo da Secretaria de Saúde e indo para o de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente. 
Mulheres
Acontece hoje, 11, a partir das 7h30, a 2ª Conferência Municipal de Políticas para Mulheres. Com o tema “Mais direitos, participação e poder para as Mulheres” o evento vai avaliar o que já está sendo desenvolvido e definir estratégias para avançar fortalecendo ainda mais as políticas públicas para as penapolenses. O encontro será no CEU das Artes, rua Manoel Foz, 515, na Vila Aparecida. 
Trânsito
Também hoje, 11, mas a partir das 19h30, a Câmara Municipal de Penápolis realiza a audiência pública sobre a municipalização do trânsito. 
Serão discutidos entre outros assuntos: os benefícios da municipalização, criação da Junta Administrativa de Recursos e Infrações, a estruturação administrativa, as obras de engenharia, a ordenação do fluxo de veículos e pedestres, sinalização, regulamentação de estacionamentos e programas de educação, preparação técnica, adequação legal do município às normas e leis do trânsito.
Ministérios
E não é que os possíveis cortes de ministérios no governo federal está dando o que falar? A presidente Dilma Rousseff determinou que houve diminuição de apenas 10 dos 39 ministérios existentes. Mas o Ministro de Planejamento, Nelson Barbosa sugeriu o corte de 15 pastas. Entre as possíveis mudanças está a incorporação do Desenvolvimento Agrário à Agricultura ou ao Desenvolvimento Social, e a extinção do Turismo. 
Cultura 
Nesta mudança, o MinC (Ministério da Cultura) poderia voltar a integrar o Ministério da Educação. Entidade que militam na área cultura já se mobilizam contra esse possível retrocesso. É inadmissível que o MinC desapareça, pois é o único espaço oficial possível da disputa do pensamento, da reflexão e do simbólico no governo federal. #MinCResiste
Abandono
Fechar o MinC hoje seria abandonar a cultura tradicional indígena, quilombola, dos povos de terreiro, de matrizes africanas, do Circo – que apenas nos últimos 10 anos conseguiram alguma representação junto aos poderes públicos. Seria abandonar os artistas, fazedores e pesquisadores de Teatro, Dança, Artes Visuais, Cinema, Hip Hop, além de todas as linguagens embrionárias advindas da relação contemporânea entre tecnologia e Arte. Seria abandonar a construção cotidiana da subjetividade dos brasileiros.
Exposição
Está aberta à visitação gratuita a exposição “Uma ideia sustentável”, instalada no Museu do Sol. A exposição conta com cerca de 60 trabalhos artísticos criados pelos alunos do Ateliê do Museu do Sol. São obras desenvolvidas ao longo do primeiro semestre, cuja temática abordada foi a sustentabilidade do planeta e o reaproveitamento de materiais. A exposição é aberta ao público e pode ser apreciada de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, na Avenida Rui Barbosa, 798, centro.
ricardo@ricardofaria.com.br | www.ricardofaria.com.br 

DUPLA EVANDRO & JUNINHO FAZEM SUCESSO NA INTERNET COM ‘MASHUP’

Recentemente bateram a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube; dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas
A dupla já percorreu os estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo

A dupla sertaneja penapolense Evandro & Juninho bateram recentemente a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube – maior rede social de vídeos do mundo. Eles fazem sucesso com os famosos ‘Mashup´s’ – composições criada a partir da mistura de duas ou mais canções pré-existentes. Normalmente é feita pela transposição do vocal de uma canção em cima do instrumental de outra, de forma a se combinarem.

“Vimos que outras duplas no Brasil já estavam fazendo mashup’s – como as duplas ‘Leo Verão e Daniel Freitas’ e ‘Lu e Robertinho’, também estavam fazendo e nós também resolvemos fazer os nossos e deu muito certo”, comenta Evandro. 

E Juninho explica que a dupla começou em 2012, mas, no inicio eram as famosas músicas do sertanejo e sertanejo universitário, vindo após seis meses os primeiros mashup’s. “As primeiras apresentações eram apenas o sertanejo, até que seis meses depois gravaram o primeiro mashup e surpreendendo muito, o nosso primeiro vídeo já foi além da expectativa e nem as gravações do DVD com o Caipiroska com tanta produção, deu certo assim”, explica Juninho.

No canal, o mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos. A dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas. E a partir dos vídeos os penapolenses tiveram os primeiros convites para tocarem nos estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo. “Nós chegamos a ter convites de cidades do Amazonas, Bahia, Pará, Acre para tocar, mas por questões de logística não podemos tocar”.

Para diversificar os formatos dos vídeos, no inicio desse ano a dupla fez um Pocket Show. “Pedimos a casa de um amigo e gravamos lá nove músicas que estamos soltando aos poucos. Lá foi muito bacana porque apresentamos para aproximadamente 30  amigos”.

Eles não tem certeza de onde chegaram, mas sabem de uma coisa, trabalharão com o pé no chão. “Iremos onde Deus nos levar. Por nossa força quebramos muito a cara, nos outros trabalhos criamos muito expectativa em cima, então agora eu prefiro deixar a coisa fluir. Não vou criar muita expectativa”, fala Evandro.

“Vamos comemorar um dia de cada vez. É claro que a gente almeja o sucesso, ser conhecido pelo nosso trabalho. E se a gente vê o que estamos fazendo desde do Caipiroska para agora é muito legal ver a evolução. Pra se ter ideia tem mais gente nos conhecendo fora do que aqui em Penápolis”, comenta Juninho.
Influência
Mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos
Evandro e Juninho são primos e a música sempre estiveram no seio da família. O pai de Evandro é o músico Jair que por mais de 30 anos esteve a frente da banda American Show que percorreu fazendo bailes país a fora.
“Desde pequeno sempre fui influenciado pela música, meu pai e meu avó que era sanfoneiro sempre me ensinou. Aos 15 anos fui tocar com eles e no início era bateria, depois que passei pro vocal”, disse Evandro.

Quando a banda acabou Evandro e Juninho foram tocar numa banda de Rock in Roll.  “Nós tínhamos uma banda de rock, mas nos intervalos dos ensaios, sempre tocávamos uma música sertaneja para descontrair. Daí que surgiu tempo depois o Caipiroska”.
Com o Caipiroska, Evandro e Juninho, tinha a parceria de Danilo e outros amigos, que chegaram a gravar um DVD. “Foi uma época muito bacana pra nós, tivemos o reconhecimento aqui na nossa cidade, mas, após o DVD nós vimos que o investimento foi alto e não tivemos um retorno esperado. Com isso, víamos que grupos como Tradição e Alma Serrana estavam acabando, então decidimos finalizar o trabalho e alçar algo novo. Daí que surgiu a dupla”, comenta Juninho. 

E a dupla já tocou numa festa de universitários em Maringá e  teve aproximadamente 6 mil pessoas, também já tocou em Bacuriti distrito de Cafelândia, que a população dobra quando tem a festa de rodeio. “Foi bacana por nós duas foram top. Maringá tinha uma galera jovem que curtiu muito nosso som e em Bacuriti, o distrito é bem pequeno, mas com um público bem receptivo. Eles nos trataram com muito carinho. Nós que fomos pela segunda vez podemos sentir a mudança na organização da festa”. 

A dupla já tocou com “É o Tchan” e abriram o show de Batom na Cueca. Além disso cantaram o Hino Nacional Brasileiro no jogo da sexta rodada com Campeonato Paulista entre Penapolense e Palmeiras.