fbpx

Rodrigo Alvarez: Chef busca na culinária latino americana referências para construir seus pratos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print

A arte está presente na cozinha e na vida do Chef paulistano Rodrigo Alvarez. Radicado em Penápolis há quatro anos, ele é dono de um dos mais charmosos e emblemáticos restaurantes da cidade – o Grill 187.

Rodrigo é filho da escritora e dramaturga Marilu Alvarez e do produtor e empresário do cantor Toquinho, Genildo Fonseca. As referências artísticas e culturais na infância consolidaram sua personalidade também na cozinha.

Não à toa, que sua cozinha é composta de diversas referências da culinária latino americana. Possui em seu cardápio os melhores pratos da culinária Tex-Mex, ou seja, pratos texanos com nítida influência mexicana como Nachos, Tacos, Burritos e Quesadillas.

“A comida Tex-Mex consolidou o restaurante por ser leve, nutritiva, refrescante e que alimenta. Mas trazemos ela, por entender que não tem rejeição paladar que a (comida) mexicana teria por causa da pimenta. Pelo contrário, levamos ao nosso cliente a pimenta a parte para que possa degustar ou não”.

E recentemente acrescentou também no menu pratos com cortes especiais de carne como o Chorizo argentino e de Angus. “Tivemos esse insight de colocar em nosso menu essas referências das cozinhas argentina e uruguaia, trazendo o melhor de cada um dos pratos como, por exemplo, pouco sal e carne que privilegia o sabor, feitos numa na Char Broiler”, explica.

Aliás, a carne está presente em sua memória gastronômica. “As minhas primeiras referências culinárias eram os churrascos de família que faziam durante as férias na praia”, por isso é que sempre manteve alguns grelhados em seu cardápio. “O grelhado é feito de forma simples, e o simples nem sempre é o mais fácil, mas, que com toda certeza privilegia o sabor do alimento”.

Formação
Depois de trabalhar por mais de 10 anos com seu pai na produtora da família, Rodrigo desejou mudar de ares e ir atrás de seu sonho – fez o curso de gastronomia do Anhembi Morumbi.

“Depois de muito tempo trabalhando com meu pai na produtora, ora indo a campo com os artistas, ora na produção executiva, resolvi investir no que mais me satisfazia. Já na faculdade de gastronomia fui confrontado com a rigidez que a cozinha e meu professor tinham. Ele nos diziam – esquece tudo que vocês aprenderam em casa com a vovó, aqui vocês irão aprender técnicas e habilidades específicas de uma cozinha profissional. Não à toa que os padrões de qualidade e atendimento estão presentes ainda hoje e continuará sendo a todo tempo na minha cozinha”, lembra.

Rodrigo comenta também que o professor dizia que ali eles não criariam nada, exceto no trabalho de conclusão de curso. “A teoria é tudo, e é em cima dela que você pode criar usando técnica ou não. Para se ter uma ideia nós demoramos seis meses para entrar na cozinha”.

“Até hoje quando visto a dólmã lembro da minha época de faculdade onde aprendíamos fazer um simples fundo, ou o tratamento com os vegetais ou o modo certo de fazer tal prato e percebemos o quanto é importante apreender a técnica, pois levamos para o resto da vida”.

Mas, para o chef, a experiência de comandar uma brigada é com o tempo. “Ninguém sai formado e com a experiência para saber comandar uma cozinha”. E ele continua: “O maior desafio é estabelecer um padrão de qualidade”.

Espaço
Antes de mudar para o interior, Rodrigo montou na chácara da família um espaço para eventos exclusivos para família e ou executivos. Mas, devido a problemas de alvará de funcionamento acabou fechando o empreendimento.

Esse improvável fechamento o estimulou a vir para Penápolis, terra de sua mulher, Mirela Maia. “No fim de 2013 vim com a família dela celebrar as festas de fim de ano e percebi que os penapolenses tem um elo importante com a gastronomia, fazendo nestes momentos grandes eventos, onde todos colocam suas melhores roupas para comer em família e isso chamou minha atenção”.

Tanto é, que Rodrigo faz questão de enfatizar que a ideia de vir para Penápolis foi dele. “A família da Mirela estavam voltando para cá, resolvi vender minha casa e investir no nosso negócio por aqui. Alugamos essa casa e começamos seis meses de uma grande reforma para deixar do jeito que imaginávamos, afinal, ela tem o seu charme com detalhes incríveis. Estar aqui, em frente à praça com essa profundidade que só ela proporciona é sem dúvida a mais charmosa da cidade. Isso tudo levamos em consideração para montarmos nosso negócio aqui”.

O salão e as áreas externas do restaurante comportam até 80 pessoas e em cada um dos ambientes possuem uma decoração que chama a atenção pelo rico acervo de peças. Para se ter uma ideia, o espaço possui peças do escultor taubateano Fernando Ito e um grande acervo de cardápios do mundo.

“Meu pai viaja o Brasil e o mundo produzindo o Toquinho e onde ele vai, pede o menu para os chefs que acabam escrevendo lindas dedicatórias”.

Para conhecer o menu do Chef Rodrigo Alvarez, o Grill 187 – Restaurante e Bar, está na Rua Ramalho Franco, 187 e abre de quarta a domingo, das 19h às 23h30. O telefone é 3652 5140.

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest

Mais informações

Blog do Faria | Todos os direitos reservados. 

anuncie | área restrita

Eu preciso de você para continuar com o jornalismo independente. Assine!