fbpx

Para promover adoção, Apap faz ensaio fotográfico de diversos cachorros e gatos

Nada de carinhas tristes e poses sem graça. Alguns dos mais de 100 animais, entre cachorros e gatos da Apap (Associação de Proteção dos Animais de Penápolis) participaram de um ensaio fotográfico, com o fotógrafo penapolense Ângelo Baccili.
De acordo com a entidade, os ‘cliques’ fazem parte de uma campanha para a adoção dos seus animais. “O ensaio deixou nossos animais ainda mais lindos. Queremos agradecer o Ângelo Baccili por fotografá-los voluntariamente e a Karen Nerak por emprestar roupinhas e acessórios lindos e divertidos. Afinal, somos todos uma grande família, unida por esses anjinhos de quatro patas”, explica a entidade em sua página oficial.
Nas fotos, os animais de estimação aparecem nas mais variadas situações: com lacinhos, gravatas ou vestidos de noiva. A campanha visa tirar do imaginário das pessoas os estigma que os animais abandonados possuem.
“Acredito que, inconscientemente, como pessoas preferem animais de raça, acham que são mais bonitos. Quando pensam em vira-latas associam a coisas negativas “, diz a presidente da entidade Luana Bíscaro. Ao registrar filhotes e animais de uma forma leve e divertida, a entidade tenta desconstruir estes estereótipos e facilitar a adoção.

Adoção
De acordo com a entidade, todos os animais que estão para adoção, passaram por situação de abandono ou maus tratos. Para aqueles que desejam adotar é só ir até a sede, aos sábados e domingos, das 14h30 às 16h30.
Deverão levar CPF, RG e Comprovante de Residência. Haverá também o pagamento de uma taxa de R$ 20, para cobrir os custos dos animais que estão na entidade.
Após escolher o animal, o adotante passará por uma entrevista e assim que liberado o interessado deverá assinar um termo que explica todos os pré-requisitos para que o animal possa ser levado para a casa. A entidade faz um acompanhamento pós-adoção.

Sindicato dos Servidores inicia negociação salarial e pede repasse inflacionário

O SindServPen (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Penápolis) já entregou à administração municipal a pauta de reivindicações de 2018. Entre os pedidos, enviados no dia 17 de janeiro, a principal delas é o do reajuste salarial. Nesta semana, a entidade enviou ofício solicitando data para as primeiras negociações, porém, até agora o governo não se manifestou.
O Sindicato pede um repasse inflacionário no valor de 3%. A data base é em fevereiro. Segundo a presidente da entidade, Maria José Francelino Pepino, a Zezé, em dezembro o índice INPC (Índice de Preços ao Consumidor) foi de 2,07% e a expectativa é que permaneça praticamente igual.
“Nós negociamos sempre com o índice de janeiro, porém, como ainda não houve sua divulgação por não ter sido fechado, solicitamos então o repasse inflacionário do valor de 3%”, explica ela.
O pedido é válido para os servidores da Prefeitura de Penápolis, Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis), Emurpe (Empresa Municipal de Urbanização de Penápolis) e Cisa (Consórcio Intermunicipal de Saúde).
O valor é menor que os 5,4% dado no ano passado e divididos em três parcelas pelo então prefeito interino Rubens de Médici Ito Bertolini, o Rubinho Bertolini (SD).
Zezé salienta ainda que as perdas salariais nos últimos cinco anos totalizam 17,48%. Para isso, os servidores pretendem negociar o pagamento dessas perdas ao longo do mandato do prefeito Célio de Oliveira (PSDB), até dezembro de 2020.

Vale Alimentação
Os servidores pedem também um reajuste no vale alimentação de 66,66% em seu valor, ou seja, os atuais R$ 125,00, mais o acréscimo de R$ 25,00 de janeiro de 2018, totalizando R$ 150,00. Além disso, a cesta no valor de R$ 169,99, devido ao grande aumento do preço dos alimentos. Exigem ainda que revejam a qualidade dos itens da cesta básica.

OUTROS PEDIDOS
Entre outros pedidos, pedem a Administração Municipal, que criem benefícios aos servidores municipais que não tiveram faltas injustificadas, licenças médicas por mais de 15 dias, advertência ou qualquer tipo de punição. Segundo o sindicato, o benefício poderá ser em acréscimo em dias de férias.
Solicitam ainda a instituição das 30 horas semanais para o setor de enfermagem (Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem e Auxiliares de Enfermagem), conforme negociação com o Coren SP (Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo).
Reivindicam ainda que faça a reavaliação da avaliação de mérito até a aposentadoria; Pagamento das evoluções acadêmicas e não acadêmicas, além de, unificar no estatuto as educadoras e as professoras.
Requer uma reforma administrativa, o pagamento de horas extras feitas antes da reforma trabalhista; a compra de uniformes por setor e a escolha das chefias por quesito técnico e não político).

Prefeitura de Penápolis derruba liminar que suspendia OS no Pronto Socorro

Em menos de 24 horas, o juiz de direito da 3ª Vara do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo em Penápolis, Dr. Luciano Brunetto Beltran, suspendeu, na tarde dessa quinta-feira (11), a própria liminar que havia concedido no dia anterior.
A liminar declarava nula o edital de chamamento público que terceirizava o gerenciamento, a operacionalização e a execução das ações e serviços de saúde, em regime de 24 horas por dia no Pronto Socorro Municipal (PS) e ainda de abster-se de entregar a gestão do PS, num prazo de 24 horas, sob pena de multa diária de R$ 100 mil.
Na decisão, Beltran explica que “essa ida e vinda de liminares deve-se às informações, que nem sempre vêm tão claras no início. Entretanto, a um rumo se chegará em breve”. O juiz concedeu ainda o prazo de 5 dias para que a parte contrária se manifesta-se, para em posterior decisão manter ou não a liminar.
A sentença foi publicada após análise da petição intermediária protocolada pela administração municipal no início da tarde de ontem. No pedido, o poder público alerta para o risco de interrupção ao atendimento à urgência e emergência em decorrência da rescisão e ou da não renovação dos contratos com os fornecedores de materiais da unidade de saúde em decorrência da implantação da Organização Social (OS) ocorrida no último dia 8 de janeiro.
“A Organização Social já realizou a contratação de pessoal para o implemento das atividades na unidade, bem como, estabeleceu a escala com os médicos prestadores para o implemento dos atendimentos de urgência e emergência, de modo que a decisão para a abstenção da entrega da gestão não pode ser concretizada”.
“Noutro giro, é cogente aferir que, em decorrência da implantação da OS na unidade de saúde referida, os contratos firmados entre o Município de Penápolis e os fornecedores de insumos médico-hospitalares para fornecimento de medicamentos, oxigênio, gases, alimentação etc., bem como, todos os insumos necessários à manutenção do Pronto Atendimento já foram rescindidos e/ou extintos e não renovados, de modo que o Município não possui, ao menos por ora, qualquer possibilidade de reassumir a unidade de imediato”, explica o pedido da prefeitura.

SELEÇÃO
A administração salienta ainda que diante dos pareceres da Comissão de Qualificação, as OSs não apresentaram os documentos necessários à obtenção do referido título, deixando de anexar nos processos administrativos os documentos enumerados no artigo 1º, do Decreto Municipal nº 5.588, de 23 de agosto de 2017, que regulamenta a Lei Municipal nº 2.198, de 16 de agosto de 2017.
“Com efeito, as adequações estatutárias das entidades interessadas na qualificação como organização social não são os únicos requisitos para a concessão do referido título jurídico, e o prazo de 2 anos aferido na inicial somente se aplica quanto ao desatendimento às adequações estatutárias”, salienta.

CASO
O pedido partiu da funcionária pública municipal e presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Penápolis, Maria José Francelino Pepino, a Zezé.
Na Ação Popular protocolada em 18 de dezembro de 2017 – antes, porém, ao início das atividades da Organização Social Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui, no último dia 8 de janeiro – a servidora apresenta denúncia de possíveis falhas do processo licitatórios e pedia a anulação de todo processo de qualificação das Organizações Sociais, além disso, pedia a retomada do processo para a fase de habilitação inicial, através de novo edital de chamamento público.
A servidora salientou na inicial, que a maneira em que foi conduzido todo o processo de qualificação causou extrema suspeita quanto a sua licitude, já que todos os procedimentos foram efetuados com enorme rapidez, além de, somente uma entidade tenha sido qualificada e sua proposta aceita.
O pedido de anulação baseou-se no artigo 21 da lei municipal nº 2198, de 16 de agosto de 2017, em que concede mais dois anos, para Organizações Sociais com mais de cinco anos de fundação, para regularizar o estatuto da entidade conforme pedido no artigo 3º da mesma lei – que estabelece a composição do conselho de administração.
Contudo, a administração concedeu apenas cinco dias conforme o decreto de nº 5588 de 23 de agosto de 2017, que regulamenta a lei municipal. Zezé entende que as seis entidades, incluindo a Organização Social João Marchesi de Penápolis, não deveriam ter tido a qualificação indeferida e que deveriam ter participado do processo de avaliação, julgamento e classificação dos projetos, mesmo porque teriam até dois anos para se adequarem à lei.

Museu do Sol recebe duas novas obras para o acervo

Nos primeiros dias de janeiro a cidade de Penápolis foi agraciada com duas obras de arte para integralizar o já tão especial acervo do Museu do Sol.
A pintora Maria Caldeira Bocchini, de 96 anos, e moradora de Catanduva doou uma pintura a óleo sobre tela, medindo 50×70 cm, intitulada “colheita manual de arroz”. A obra executada em 1999 participou da Bienal de Arte Naif do SESC em Piracicaba no ano de 2000.
Já da ceramista Josefina, do Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais, o museu recebeu uma bilha de água, também chamado de moringa, toda pintada em branco e ocre e que foi instalada na vitrine da Biblioteca Iracema Arditi, junto a outras peças de ceramistas importantes como o Sakai do Embu.
A visitação ao museu estimulada pela exposição de 50000 fotografias do “Lambe-lambe” Edyr Sabino continua até 28 de fevereiro próximo.

EXPOSIÇÕES
A cada ano três exposições temporárias são instaladas no Museu objetivando permitir à população contato com o acervo que fica depositado na reserva técnica e estimular o morador a “voltar” ao Museu. A programação de 2018 será publicada em breve, nesse interim visite nossa página www.museudosol.art.br.

MUSEU
O Museu do Sol é o primeiro museu de Arte Naïf da América Latina e foi fundada pela artista Iracema Arditi em 1972 em São Paulo. Já em 1978 teve a sua transferência para Penápolis.
O espaço é destinado a documentar, preservar e promover exclusivamente a Arte Primitiva Brasileira. Atualmente conta com 406 tombamentos. A coleção do Museu do Sol foi a primeira do gênero, formada no Brasil, e desde sua fundação recebe continuada visitação.
Além disso, mantém há mais de 30 anos, atelier de criação artística atendendo público infanto-juvenil em sessões semanais, sendo que a incentiva promove a obra de pintores da cidade e região.
Possui também uma biblioteca exclusiva em títulos de artes visuais, com mais de 3.000 exemplares. O museu realiza exposições periódicas, palestras e oficinas culturais, bem como, coleta, documenta e promove o gênero primitivo de arte.
O Museu do Sol é aberto à visitação pública de segunda a sexta, 07h às 17h. Oferece também serviço de visitas guiadas com pré-agendamento. Para mais informações basta ligar no 3652-0590 ou 3652-7851. E no e-mail: museudosol@museudosol.art.br.

Legenda – Divulgação – Pasta Ricardo – Museu Interna

Moradora de Catanduva, a pintora Maria Caldeira Bocchini, de 96 anos doou uma pintura a óleo sobre tela medindo 50×70 cm

Penápolis quer se transformar em Município de Interesse Turístico

Plano Diretor fez análise das forças e fraquezas do município; Entre as forças possui a expressiva quantidade de museus e acervos históricos

A administração municipal protocolou no final de dezembro de 2017, pedido junto ao deputado estadual e presidente da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Itamar Borges (PMDB), para transformar a cidade de Penápolis, em Município de Interesse Turístico (MIT). O título traz importantes investimentos financeiros à cidade.
O Plano Diretor do Turismo que o BLOG DO FARIA teve acesso com exclusividade, possui mais de 100 páginas e faz uma análise completa dos recursos e atrativos turísticos de Penápolis. O inventário é assinado pelo turismóloga Erika Domingues Caldeira.
No documento, a turismóloga com o apoio de profissionais do governo municipal e membros do Conselho Municipal de Turismo de Penápolis (Comturpe), fez a análise do cenário contando com suas forças e fraquezas, bem como, suas oportunidades e ameaças.
Para Caldeira, as forças e fraquezas são determinadas pela posição atual do município em relação ao Turismo e relacionam-se, quase sempre, a fatores internos – isto é, vantagens e desvantagens com outros municípios.
Já as oportunidades e ameaças são antecipações do futuro e estão relacionadas a fatores externos, que permitem a identificação de aspectos que podem constituir constrangimentos (ameaças) à implementação de determinadas estratégias, e de outros que podem constituir-se como apoios (oportunidades) para alcançar os objetivos.
Entre as forças elencadas no documento estão a rica representatividade cultural; a expressiva quantidade de museus e acervos históricos; expressivo incentivo a preservação ambiental e o rico potencial de turismo cultural, religioso, de compras e de negócios.
Nas fraquezas, o documento traz a insuficiência de recursos humanos capacitados para o turismo; o fechamento dos museus aos finais de semana; a pouca divulgação do município como destino turístico em nível nacional; e a inexistência de sinalização turística de acesso ao município.

PROJETO
O pedido da administração foi transformado em projeto de lei pelo deputado Itamar Borges (PMDB) e publicado no dia 27 de dezembro, no Diário Oficial.
Segundo o parlamentar, o projeto foi em atendimento a um pedido do prefeito Célio de Oliveira (PSDB) e de seu vice-prefeito Carlos Alberto Feltrin (PMDB), dos vereadores e da secretaria de turismo.
“A cidade tem potencial para se tornar MIT. O turismo movimenta a economia do município, gera emprego e renda e contribui para o desenvolvimento regional. O investimento vai fomentar o turismo e melhorar os serviços públicos de Penápolis”, disse Itamar Borges.
No projeto, o deputado ressalta que o município de Penápolis é considerado o Polo Regional da Cultura do Noroeste Paulista e possui atrativos diversificados que combinam Cultura, Compras, Negócios, Religiosidade, Meio Ambiente e Turismo.
“A cidade oferece grandes diferenciais, como o primeiro (e único) Santuário de São Francisco de Assis fora da Itália, a Primeira Escola de Bush Craft do Brasil, uma Vinícola e Museu de Art Naif da América Latina, que impulsionam o Turismo em Penápolis, sem contar com a qualidade do comércio local, a grande demanda de viajantes de compras e negócios e as belíssimas cachoeiras, rios e ribeirões poucos explorados”, finaliza.
No total, até 140 cidades poderão se tornar Municípios de Interesse Turístico. Além disso, o Estado de São Paulo possui 70 Estâncias Turísticas e com o modelo de classificação de Estâncias e Municípios, as cidades mais bem preparadas poderão mudar de classificação e aumentar o valor recebido pelo Estado.
O projeto segue agora os trâmites da Assembleia Legislativa de São Paulo e em seguida irá para sanção do Governador Geraldo Alckmin.

apoie o jornalismo independente