fbpx

AMEAÇA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
No dia 22 de janeiro, a FENAJ [Federação Nacional dos Jornalistas] divulgou o relatório anual sobre a violência contra jornalistas e liberdade de expressão. 
O relatório com mais de 50 páginas traz todas as informações sobre os três assassinatos de jornalistas – dois nos estados do Rio de Janeiro e um na Bahia. 
No documento, a entidade lembra que a segurança é fundamental para garantia da liberdade de expressão e de imprensa garantida do artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos – sendo assim, nenhum jornalista poderia ter sido vítimas de violências, na tentativa criminosa de silenciar os que têm por ofício dar voz. 
A maioria dos casos são no estado de São Paulo – 37 casos, quase 29% dos casos brasileiros. Entre os gêneros 76,74% são homens e trabalhadores de jornais impressos como eu – 32,5%. 
Estes números só reforçam o quanto o trabalho do jornalista deve ser cada dia mais valorizado, tanto pela sociedade, como também, pelos empregadores – que em muitos casos são os próprios ‘patrões’ os causadores dos males. 
LIBERDADE DE IMPRENSA AMEAÇADA
Desde a minha entrada na faculdade de jornalismo tenho a consciência exata do meu papel para a sociedade. Tanto é que qualquer tipo de ameaça a minha liberdade eu já denuncio de primeira.
Foi isso que aconteceu em um jornal do município quando assinava uma coluna semanal – primeiro o ‘Sumeriando’ e posteriormente o ‘Blog do Faria’. Ao ser cerceado, por motivos econômicos anunciei publicamente o meu desligamento. 
Em outro caso, após uma postagem neste blog fui ameaçado, com promessas do interlocutor dizendo: – que eu perderia meu emprego. Isso até agora não se confirmou e olha que já fazem seis meses. 
Tenho certeza que outras ameaças virão, afinal de contas, eu me formei para dar ‘luz’ onde estava escuro/obscuro. E como dizia Tom Zé: “Eu tô te explicando pra te confundir/ Eu tô te confundindo é pra te esclarecer/ Eu tô iluminado/ Pra poder cegar/ Tô ficando é pra poder guiar”. 
Mas fique bem claro – NÃO ME CALARÃO e buscarei sempre fazer um jornalismo ético, justo e transparente. 

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest