fbpx

ARTISTAS REPERCUTEM FECHAMENTO DA OFICINA CULTURAL SILVIO RUSSO

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
Everton Campanhã
Artistas penapolenses estiveram na noite de domingo (22), em Araçatuba para participar da manifestação e engrossar o coro pelo não fechamento do polo regional da Oficina Cultural Silvio Russo, órgão do governo do Estado de São Paulo.
Há oito anos, a iniciativa do governo estadual marcava o fim das delegacias regionais de cultura e dava os primeiros passos para terceirização na área cultural. De lá pra cá, diversas ações com os 43 municípios da região administrativa de Araçatuba eram feitos pela Oficina Cultural.
Em Penápolis não era diferente, a parceria ia muito além das oficinas de formação e de produção cultural. A cidade emprestou dois importantes nomes da cultura local para serem coordenadores do projeto. Paulo Henrique de Carvalho e posteriormente Douglas Augusto de Oliveira. Para muitos Douglas deu uma nova dinâmica, ouvindo as necessidades locais, fazendo do prédio um equipamento cultural.
Para o secretário de cultura, Luiz Carlos Colevatti, o fechamento do polo da Oficina Cultural Silvio Russo é uma perda irreparável. “Já algum tempo a oficina cultural vem sendo um importante instrumento para a formação de artistas no município” e salienta que a possível ida para a unidade de Presidente Prudente é um distanciamento enorme. “É muito complicar ficar no guarda-chuva de Presidente Prudente, pois, é uma cidade longe de nossa realidade. Além do mais, é uma região grande e abarcar mais 43 municípios é ter uma perda enorme na política de formação”, comenta.
Everton Campanhã
Segundo Colevatti, é importante que os prefeitos se mobilizem e clamem ao governador Geraldo Alckmin que reconsidere a decisão visto que a região de Araçatuba é a segunda região economicamente mais pobre do Estado de São Paulo e perder um instrumento desses afetará e muito a formação cultural de muitos paulistas. “Temos que mobilizar nossos prefeitos para que marquem audiência com o governador para tratar entre os outros assuntos do não fechamento das Oficinas Culturais”.
Já para o vereador Lucas Casella, militante na área cultural essa atitude do governo estadual é um retrocesso. “Particularmente acho um retrocesso enorme. Já ministrei muitos cursos lá e participei de outras tantas que muito me ajudou no aperfeiçoamento, isso devo a oficina cultural”.
Como parlamentar vai pedir apoio de políticos de todas as instâncias como prefeituras, casas legislativas, bem como, deputados estaduais para que não ocorro o fechamento desse importante espaço. “Já vamos pedir apoio a deputados, prefeitos e enviar oficios para que isso não aconteça, vamos tentar de todas as formas possíveis de inferência para que não ocorra o fechamento”, salienta.
DIGNIDADE
Já para o ator, Rodrigo Santiago, 30 anos, o corte de verbas na Secretaria de Cultura do Estado já é um absurdo. “A cultura é uma das secretarias que menos recebem dinheiro, e com tão pouco, os gestores juntamente com artistas tentam trabalhar com dignidade e produzir um trabalho junto à população”.
Um outro aspecto totalmente negativo do fechamento da Silvio Russo é sua a localização. “A oficina cultural fica num município com cerca de 500 km longe da capital e ela atende cidades esquecidas do ponto de vista de circulação cultural, sendo a oficina praticamente a única a mandar algum tipo de aparato cultural para essas cidades que as vezes nem secretaria municipal de cultura possuem” e conclui: “Mais uma vez, nossos governantes estaduais deixam claro o tipo de política que desenvolvem. Uma política que não garante nem o pão, nem a água e muito menos o circo”.
Everton Campanhã
A atriz Amanda Ribeiro participou recentemente de um workshop “Investigações do Corpo no Espaço Urbano” pela Oficina Cultural Silvio Russo. Foi a última atividade até então com a prefeitura de Penápolis.
“É uma perda enorme para os artistas da região. Enquanto nós precisamos de vários equipamentos que nos apodere em relação as políticas culturais dos grandes centros, o governo do estado sem nenhum justificativa plausível fecha esse que é um importante espaço de formação artística”, finaliza.
HOMENAGEM
O nome Sílvio Russo é uma homenagem a um dos principais artistas de Araçatuba. O local deve deixar de funcionar já no mês que vem. Mais de 50 mil pessoas, entre artistas e público, já passaram pela oficina e foram inúmeros espetáculos, shows, e cursos de formação. Apesar de confirmar o fechamento da oficina, a organização social contratada pelo governo do estado disse que as atividades serão mantidas, mas em outros lugares, por meio de parcerias.

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest