Projeto da vacina é enviado para sanção de João Dória

O projeto de lei 108/2021, que instituiu a compra de vacinas pelo governo estadual, bem como, pela iniciativa privada no Estado de São Paulo, foi enviado, nesta terça-feira (13), para a sanção do Governador do Estado, João Dória (PSDB).

O autógrafo de nº 33.024 foi assinado pelo presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB).

De acordo com o art 47 da Constituição Estadual, o governador tem a obrigação de sancionar, promulgar e fazer publicar as leis no prazo nelas contidas, não inferior a 30 dias e nem superior a 180 dias.

VETO

O deputado e autor do projeto 108/2021, Paulo Fiorilo (PT) – que teve o projeto alterado por um substituto apresentado pelo relator Gilmaci dos Santos (Republicanos) e que aglutinou outros projetos de leis sobre o mesmo assunto, pediu ao Governador João Dória que vete o art.2 que autoriza o que ele chamou de “Fura fila da vacina”.

Assembleia discute projeto que inspeciona e fiscaliza produtos de origem animal

Em plena pandemia do novo coronavírus – que já matou mais de 83 mil pessoas no Estado de São aulo – os parlamentares paulistas discutiram na manhã dessa terça-feira (13), em sessão extraordinária o projeto de lei 596/2020, de autoria do governador João Dória (PSDB).

A PL que dispõe sobre a inspeção e fiscalização sanitária e industrial de produtos de origem animal no Estado de São Paulo teve grande resistência, principalmente de deputados que possuem experiência na matéria como os deputados Frederico D´Avila (PSL) e Barros Munhoz (PSB).

Para D´Avila o parecer do Ministério da Agricultura deixa claro que o órgão poderá reconhecer a legislação paulista, pois, não estaria em conformidade com a legislação federal – o Sistema Federal de Inspeção (SFI) e o Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI).

Já para Munhoz – que foi ministro da agricultura na gestão do presidente Itamar Franco – o projeto possui muitas dúvidas a serem discutidas antes de serem colocadas em votação. Apresentou preocupação, pois desde 2011, o Estado de São Paulo não está cadastrado no SISBI.

MENSAGENS

A líder do PSL, a deputada Janaína Paschoal, salientou que após a reunião de líderes, nesta segunda-feira (12), recebeu várias mensagens de entidades da área preocupadas com a tramitação do projeto.

Segundo ela, é praxe do governo paulista apresentar projetos que propõe regulamentos através de decretos, como é o caso da PL 596/2020. Além disso, discursou sobre o percentual das multas no projeto original, mas, corrigidos pelo relator, deputado Gilmaci dos Santos (Republicanos) e sobre o poder de polícia que o governo pretende conceder a iniciativa privada.

MOMENTO

Já para o deputado petista, Paulo Fiorilo, o Estado de São Paulo está em um dos mais críticos da pandemia do novo coronavírus, com diversas pessoas pedindo dinheiro em faróis ou dormindo na rua.

“Diante desse quadro, precisamos urgentemente discutir os projetos que possam mitigar os problemas do povo. Na última, fizemos o debate para ampliar as vacinas. Por isso me chama a atenção a discussão desse projeto”, explica.
E mostrou preocupação com a privatização dos serviços de fiscalização dos serviços – que serão colocados para a iniciativa privada. “Não pode ser transferido sem um grande debate”, salienta.

PRIVILÉGIOS

Para o presidente da Assembleia, Carlão Pignatari (PSDB), o estudo apresentado pelo deputado Frederico D´Avila (PSL), foi escrito por uma servidora pública federal que pretende manter seus privilégios.

“O documento foi escrito por uma sindicalista que pretende manter seus privilégios. O sistema de Inspeção Estadual de nada vai interferir o Sistema Federal de Inspeção”, comenta.

Butantan libera 1,5 milhão de doses da Coronavac; entrega pode chegar a 46 milhões em abril

O instituto Butantan liberou, na manhã dessa segunda-feira (12), mais 1,5 milhão de doses da vacina Coronavac, para uso em todo o território brasileiro, dentro do Plano Nacional de Imunização (PNI). O governador de São Paulo, João Dória, acompanhou o envio.

“Todo dia em que entregamos mais vacinas representa um dia de esperança para todos nós. Agora são 39,7 milhões de doses da vacina da vida, da vacina que São Paulo oferece ao Brasil através do Instituto Butantan. Isso nos enche de alegria”, destacou Doria.

De acordo com o Instituto, já foram entregues 39,7 milhões ao PNI, sendo que, somente em abril foram 3,5 milhões. O total de envios corresponde a 86,3% das 46 milhões de doses acordadas até 30/04 no primeiro contrato com o Ministério da Saúde.

Atualmente, mais de 80% das vacinas disponíveis no país contra a COVID-19 são do Butantan.

INSUMOS

O Instituto Butantan receberá até 20 de abril, da biofarmacêutica Sinovac, uma nova remessa de insumos de 3 mil litros para o processamento de mais 5 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus, garantindo, assim a entrega contratual prevista ao PNI.

Um segundo carregamento deverá chegar ainda em abril, com mais 3 mil litros, totalizando 10 milhões de doses em IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) no mês.
O Butantan ainda trabalha para entregar outras 54 milhões de doses para vacinação dos brasileiros até o dia 30 de agosto, totalizando 100 milhões de unidades.

(Com informações da AI/Instituto Butantan)

Padre Afonso Lobato assume vaga do deputado Fernando Cury

O padre Afonso Lobato (PV) tomou posse como deputado estadual na manhã dessa sexta-feira, 9 de abril. Ele assume o lugar do parlamentar Fernando Cury (Cidadania) – que perdeu por 180 dias o mandato de deputado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

José Afonso Lobato é sacerdote da Igreja Católica há 30 anos e foi deputado estadual entre 2003 e 2019. É a quinta vez que o político ocupa uma vaga no legislativo paulista

Na posse, que contou com a presença do 2º vice-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, deputado André do Prado, o parlamentar disse que sua expectativa é fazer com que o mandato de deputado estadual atinja o objetivo que, no seu entendimento, é construir uma sociedade melhor.

“Assumo o cargo colocando-me à serviço da população. O mandato é uma ferramenta importante e eu percebi, como padre, que é um instrumento que, aliado à minha vocação e à minha escolha, amplia a forma da gente trabalhar. Hoje precisamos ser acolhedores e sensíveis à dor do outro, porque vivemos momentos em que, às vezes, o egoísmo fala mais alto”, disse.

PROJETOS

Como deputado, foi autor de diversas leis, como a que instituiu a Política Estadual de Incentivo ao Uso da Bicicleta e a que estabeleceu critérios de transparência que deveriam ser seguidos pelos estabelecimentos paulistas para a cobrança de dívidas dos consumidores.

A criação de uma Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo e a regulamentação da cobrança em estacionamentos também são normas propostas por ele.

Ao longo da sua trajetória, o parlamentar tem oferecido apoio às Santas Casas, hospitais e instituições de recuperação de dependentes químicos, além de trabalhado por projetos culturais, esportivos e de qualificação profissional.

CASO

A deputada Isa Penna (Psol) acusou o deputado Fernando Cury (Cidadania) de tê-la assediado publicamente durante a votação do orçamento do Estado de São Paulo na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) na 65ª Sessão Plenária Extraordinária em 16 de dezembro de 2020.

Já no último dia 1º de abril, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou o projeto de resolução que determinou a perda temporária de mandato, por 180 dias, do deputado Fernando Cury (Cidadania), por infringir o Código de Ética e Decoro Parlamentar da Casa. Durante o período, o parlamentar perde todas as funções, incluindo subsídio e atividades de gabinete.

Para o presidente da Alesp, o deputado Carlão Pignatari, afirmou que, com a decisão, o parlamento, com maioria absoluta dos seus integrantes, “dá um claro recado a toda sociedade, de que não admite qualquer situação de assédio, seja quem for ou o tipo que for”.

Deputado Paulo Fiorilo diz que projeto aprovado irá criar ‘camarote da vacina’

O deputado estadual, Paulo Fiorilo (PT), afirmou durante o seu discurso na sessão extraordinária dessa terça-feira (6), que o projeto de lei 108/2021 de sua autoria foi descaracterizado.

“No projeto que apresentei tinha três artigos. A possibilidade da compra pelo Estado de vacinas autorizadas pela Anvisa e em caso de demora, o Estado poderia comprar de outros laboratórios, desde que aprovados pelas agências internacionais e autorizava os créditos adicionais para adquirir com os recursos do Estado”, explica o parlamentar.

Fiorilo salienta que os estados e municípios estão comprando vacinas para aumentar os números de vacinados, mas, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo está propondo criar o ‘camarote da vacina’.

“Ao contrário de incentivar que o Governo de São Paulo gaste esse recurso comprando outras vacinas, além do que produz aqui, não, a gente vai propor criar o camarote da vacina, com o argumento de que vai vacinar os trabalhadores. Para com isso, se é para vacinar os trabalhadores, propõe então que os empresários comprarem vacinas para que o SUS o faça. Quem é que tem uma estrutura como essa para vacinar os trabalhadores?”, argumenta o deputado.

Para ele, o projeto aprovado nesta quarta-feira (7), propõe uma ruptura com o sistema de vacinação brasileira, exemplar para o mundo. “Nós precisamos estabelecer um critério. Que nós vamos comprar sim, mas, vamos comprar para o Plano Nacional. Vamos comprar para o Estado, porque daí é possível”.

DESCONTADAS

O deputado salienta ainda a importância de haver a discussão de compras de doses das vacinas pelos municípios. “Há uma discussão feita no município, de que se o município comprar, ele pode negociar com o Estado para ele ficar com as doses e elas serem descontadas no final do plano, então, os municípios deixam de receber as doses do Plano Nacional, compra uma cota maior e depois vai sendo descontados de forma gradual até o final do plano. Acho que essas coisas são importantes, necessárias, o Estado tem recursos, poderiam comprar as vacinas e elas serem aplicadas naqueles que são prioritários e naqueles que são essenciais.”

E completa: “A gente tem muita gente trabalhando, que precisam ser imunizadas e se continuar neste plano, nesta vagareza, não vamos fazer o que absolutamente é preciso neste momento de guerra. Eu concordo. É momento de guerra e estamos perdendo muita gente. Amigos, parentes, políticos, médicos, enfermeiros, perdendo gente, pessoas fundamentais na nossa vida. Então deixo a minha preocupação para que a gente evite entrar num grande equívoco essa compra pela iniciativa privada”, conclui.

Governador João Dória unifica programas sociais e cria o Bolsa do Povo

Foto: Governo de Estado de São Paulo

O governador João Dória (PSDB) anunciou no início da tarde dessa quarta-feira (7), o Bolsa do Povo. O programa unificará os programas sociais de São Paulo em um cadastro único com aumento dos valores pagos e ampliação da abrangência.

O Bolsa do Povo terá a gestão unificada na Secretaria de Governo. O Governo estuda a ampliação de outros valores e criação de novas ações que atendam as demandas emergenciais da população de baixa renda.

Segundo o governo, o programa vai pagar benefícios de até R$ 500 e poderá beneficiar até 500 mil pessoas direta e indiretamente nos 645 municípios. O Estado de SP prevê um investimento de R$ 1 bilhão no programa, apenas no ano de 2021, como medida de enfrentamento à vulnerabilidade socioeconômica causada pela pandemia.

“O Bolsa do Povo é o maior programa social da história de São Paulo. Ao lado do enfrentamento da pandemia, da preservação da vida, da obediência à ciência, estamos também acompanhando o crescimento acelerado da pobreza, da vulnerabilidade, em São Paulo e no Brasil. Um Governo responsável segue dando atenção à Saúde e à vida, mas também à proteção social”, destacou Doria.

O projeto de lei que institui o Bolsa do Povo será enviado hoje à Assembleia Legislativa em regime de urgência para que as ações de assistência social e transferência de renda ajudem no combate às dificuldades emergenciais causadas pela pandemia.

“Num momento de pandemia, em que todos sofrem também do ponto de vista econômico, o Governo de SP amplia os seus programas sociais e os unifica através do Bolsa do Povo. Nós estamos ampliando os valores investidos nos programas sociais para R$ 1 bilhão já em 2021”, pontuou Vice-Governador Rodrigo Garcia.

PROGRAMAS

O Bolsa do Povo vai reunir programas sociais estaduais já existentes, abrangendo sete eixos diferentes. São eles: Bolsa Trabalho (Emprego), Bolsa Renda Cidadã (Assistência Social), Bolsa Aluguel Social (Habitação), Bolsa Talento Esportivo (Incentivo), Bolsa Auxílio Via Rápida (Qualificação Profissional), Ação Jovem e contratação de mães e pais nas escolas (Educação), além da contratação de agentes de apoio na Saúde.

PAIS E MÃES

Um dos carros-chefes do Bolsa do Povo é a contratação de 20 mil pais e mães de alunos das escolas públicas para trabalhar em jornadas de até quatro horas diárias, junto com capacitação, e uma remuneração de R$ 500/mês dentro do sistema de ensino estadual. O objetivo é criar oportunidade de trabalho e renda com envolvimento da comunidade na manutenção e administração das escolas.

Com a aprovação do Bolsa do Povo, o Governo de SP irá ainda ampliar os valores dos benefícios atuais de dois programas já existentes, passando de R$ 80 para R$ 100.

O aumento será para o Ação Jovem, voltado para estudantes de 15 a 24 anos para que permaneçam nos estudos, e o Renda Cidadã que atende pessoas de baixa renda.

(Com informações do Governo do Estado de São Paulo)

Assembleia aprova projeto que autoriza a compra de vacinas pelo Governo de São Paulo

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, aprovou por unanimidade, no início da tarde dessa quarta-feira (7), o projeto de lei 108/2021 que autoriza o Governo do Estado de São Paulo a comprar vacinas contra o Covid-19. Agora, o projeto será enviado para a sanção do governador João Dória (PSDB).

Durante a discussão e aprovação do projeto houve a votação de um destaque que mantinha no projeto o art. 2 que autoriza a iniciativa privada a comprar as vacinas contra o coronavírus.

Ao todo, 75 deputados estaduais votaram, sendo que 53 optaram em manter o artigo e 21 foram contrários a medida e apenas 1 se absteve da votação. Outros 19 estavam ausentes.

Projeto que autoriza compra de vacinas no Estado de São Paulo será votada nesta quarta-feira

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB), convocou para essa quarta-feira (7), às 11h, mais uma sessão extraordinária para discutir o projeto de lei 108/2021 que autoriza o governo do Estado de São Paulo e o setor privado a comprar vacinas contra a Covid-19., desde que aprovadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Na tarde dessa terça-feira (6), os parlamentares paulistas iniciaram a discussão do projeto substitutivo aprovado em reunião conjunta das comissões de Constituição e Justiça, de Orçamento e da Saúde na última semana.

A iniciativa surgiu após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir, no final de fevereiro, que Estados e municípios podem adquirir e fornecer vacinas à população, em caso de falhas no Plano Nacional de Imunização.

A proposta permite ainda a compra de imunizantes por parte da iniciativa privada, desde que sejam utilizadas para vacinar seus funcionários e colaboradores de forma gratuita.

Soro

O texto que será apreciado pelos deputados permite ainda a utilização do soro anti-Covid, desenvolvido pelo Instituto Butantan.

De acordo com o projeto, a substância deverá ser ministrada em ambiente hospitalar, com os resultados de sua aplicação detalhadamente registrados no prontuário do paciente, além de sistematizar os resultados da aplicação do soro em um hospital de referência no tratamento da Covid-19.

Economia

O projeto aborda ainda ajuda econômica a empresas paulistas que tiverem seus registros inseridos no Cadin (Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais), a partir de março de 2020.

O fato de estarem inseridos no Cadin Estadual não poderá ser considerado um impeditivo para a concessão ou renegociação de linhas de crédito da Agência de Fomento do Estado de São Paulo (Desenvolve SP) e do Banco do Povo Paulista. A medida será válida até 31 de dezembro de 2022.

Votação

A sessão ocorrerá em ambiente virtual e são necessários 48 deputados para realizar a votação. Caso não haja o quórum mínimo, passados 15 minutos da abertura, a sessão será encerrada.

De acordo com o regimento interno da Alesp, as sessões extraordinárias têm duração de duas horas e 30 minutos, e ao final de uma, outra poderá ser convocada 10 minutos após o encerramento.

Durante a sessão, os parlamentares discutirão o projeto e farão suas considerações sobre a proposta. Cada deputado inscrito terá o tempo regimental de 15 minutos.
Devido o projeto tramitar em regime de urgência, a discussão pode ser encerrada após seis horas. Em seguida, ocorrerá o encaminhamento, processo no qual o líder da bancada, ou alguém indicado por ele, discursa para orientar os demais integrantes do partido, bloco ou bancada sobre como votar.

Os parlamentares, então, votam o projeto. Se aprovada, a medida será encaminhada ao Palácio dos Bandeirantes para sanção ou veto do governador João Doria.

(Com informação da Alesp)

“Estou fazendo um projeto que obriga os pedágios a receberem pagamentos digitais”, Deputado Alex de Madureira

O deputado estadual, Alex de Madureira (PSD), participou do Faria Talks dessa sexta-feira, 2 de abril, e falou sobre os dois primeiros anos de mandato na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.


O deputado é formado em Análise de Sistemas e também pastor da Assembleia de Deus de Madureira. Mas, foi na política, principalmente, nos bastidores os seus grandes desafios.

Ele coordenou campanhas a vereador, deputados estaduais e federais, até ser convidado a assumir do desafio de sair candidato. Se elegeu com 118 mil votos, sendo o primeiro de seu partido e o sexto da coligação.

No primeiro ano no parlamento estadual, conseguiu aprovar o projeto de lei que proíbe farmácias e drogarias a não exigirem CPF no ato da compra.

Foi coautor de projetos como o que institui o dezembro verde, sobre o não abandono de animais no Estado de São Paulo,

O atual projeto que está encampanando é a obrigação de concessionárias de pedágios no Estado de São Paulo, a receberem os pagamentos por diversos meios digitais, como cartões de crédito ou débito e pix.

A conversa foi muito produtiva é vale a pena ver.

Ou ouvir:

Vamos discutir as questões estaduais?

O Blog do Faria surgiu na efervescência das redes sociais. Foi um dos primeiros blogs em Penápolis a discutir o dia a dia da política local. E isso já faz 10 anos.

A partir de 2013, começamos a espalhar nossos comentários também em jornais impressos e em rádios. Tive a oportunidade de escrever conteúdos exclusivos – que tempos depois teve repercussão nacional – como foi o caso da Operação Raio X.

O blog citado em decisões judiciais tanto na 1ª como nas 2ª instâncias do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. E nosso material foi parar nas mãos de deputados estaduais que investigaram as participações de OSs em esquemas de corrupção na área da saúde

Entrevistei governadores (Geraldo Alckmin e João Dória), secretários de estado e deputados estaduais e federais. Isso tudo sempre colocando Penápolis no foco das discussões.

Mas agora é hora de avançar. Existem diversos meios de comunicação discutindo o município de Penápolis. Jornal Interior, Diário de Penápolis, Jornal Regional, Rádio Ativa FM, Rádio Difusora de Penápolis, Penápolis Agora e Notícias do interior, que estão fazendo um ótimo trabalho e a eles vocês devem acompanhar.

Por aqui, eu agora vou buscar discutir as questões estaduais que envolvam os 645 municípios do Estado de São Paulo, afinal de contas, sei o quanto carecemos de veículos que discutam o nosso estado.

Temos a grande mídia é verdade, mas, elas se concentram muito mais nas questões nacionais do que das estaduais. Por aqui, você verá conteúdos relacionados as sessões ordinárias da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e do Governo de São Paulo, como também, entrevistas com deputados estaduais, secretários e o próprio governador.

Então, vamos discutir as questões estaduais?

Caíque Rossi nomeia irmã, marido e cunhado da vice Mirela Fink em Comitê do Coapes

O prefeito de Penápolis, Caíque Rossi (PSD), nomeou a vice-prefeita Mirela Fink (Podemos), bem como, a irmã, o marido e cunhado de sua substituta direta, para compor o Comitê Gestor do Coapes – Contratos Organizativos de Ação Pública Ensino-Saúde.

A portaria 120 de 18 de março de 2021, foi publicada no Diário Oficial do Município de Penápolis, somente nesta segunda-feira, dia 22.

De acordo com a publicação, foram nomeados 16 membros para compor o comitê que pretende fortalecer a integração entre ensino, serviços da comunidade no âmbito do Sistema Único de Saúde.

Entre as indicações estão a Dra. Daniela Fink, irmã da vice-prefeita e coordenadora do curso de medicina da Funepe, bem como, Almir Ruffato, marido e professor assistente do curso de medicina e Francisco Bassalobre, cunhado e professor na Funepe.

Além deles, estão os secretários de saúde, Luiz Washington Bozzo e de Governo, Thiago Mazucato – ambos professores na Funepe; dois servidores municipais da saúde; um servidor comissionado da gestão municipal e outros sete professores do curso de medicina.

COMITÊ

Além de indicar parentes da vice-prefeita Mirela Fink ao Comitê, a gestão municipal feriu o parágrafo 1º, do art. 9 da portaria interministerial 1.127 de 2015, na qual, instituiu diretrizes para celebração dos Coapes.

De acordo com a portaria, o Comitê Gestor deverá ser composto por representantes de diversos segmentos entre eles, estudantes e usuários do SUS – não contemplados na portaria publicada nesta segunda-feira.

O Comitê Gestor é um espaço de construção e discussão para acompanhamento, monitoramento e implementação do Coapes.

PARCERIA

O contrato do Coapes entre a Funepe e a Secretaria Municipal de Saúde de Penápolis foi assinado no mesmo dia em que o prefeito Caíque Rossi sancionou a lei 2.495 de 2021 que autorizou o município a celebrar convênio ou contrato com a Funepe para a implantação do programa.

O contrato é válido por 5 anos a partir do dia 4 de março.

COAPES

De acordo com o governo federal, o Coapes pretende qualificar a integração ensino-serviço e a educação permanente nos territórios envolvendo pactuação entre instituições de ensino e gestores do SUS municipais, estaduais e federais.

Participam do Coapes os municípios interessados em ofertar a sua rede enquanto campo de prática para estudantes de graduação e/ou residência.

Participam também as instituições de ensino que possuem cursos de graduação na área da saúde e programas de residência médica e multiprofissional interessados em discutir e qualificar a inserção do estudante na rede e a integração ensino e serviço.

“O objetivo é que a população de baixa renda tenha acesso a moradia melhor”, diz vereador Isanoel Ditinho

O hoje vereador Isanoel Machado, popularmente chamado de Ditinho, é uma daquelas pessoas que você deseja ser amigo para o resto da sua vida.

No Faria Talks dessa quarta-feira (24), que durou 1h30, conversamos sobre a história, onde teve que ultrapassar as barreiras do impossível para conseguir, por exemplo, uma vaga de emprego.

Outra marca importante da sua trajetória é que ele sempre ajudou o próximo. Seja numa simples ação de entrega de ovos de Páscoa a entidades do município, seja numa reforma de uma casa para uma pessoa que precisa.

Hoje na Câmara pretende olhar para as pessoas que mais precisam. Um exemplo disso é o projeto de lei que ele está elaborando para proibir concessionária de energia ou o departamento de água a cortarem o fornecimento de luz e água, respectivamente, em épocas de feriados ou finais de semana prolongados e nas sextas-feiras após o 12h.

Uma outra ação, é de trazer à tona a discussão sobre a possibilidade de desmembramentos de terrenos residenciais de no mínimo 125 metros quadrados. Possibilitando a venda de terrenos mais baratos para a população de baixa renda, proporcionando acesso a moradia digna.

Assista o Faria Talks na íntegra:

Ou escute no Spotify:

PITACOS #88 – Fundeb, Esporte e Coronavírus

NOVO FORMATO

No Pitacos do Faria dessa terça-feira, dia 23, iniciamos um novo formato para dialogar com vocês. Além da nossa tradicional coluna escrita, desta vez, mais curtinha. Teremos também em vídeo e em áudio, onde aprofundaremos os assuntos.

MEMBROS

Na semana passada, lançamos a área de membros do Blog do Faria e o Pitacos do Faria agora é exclusivo para assinantes. Se você quer ler. Assine agora, por apenas, R$ 9,90 por mês. É mais barato que um cafezinho.

FUNDEB

Começamos essa coluna abordando dois assuntos que foram discutidos durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Penápolis. O primeiro, foi o projeto de lei, em regime especial de urgência, enviado pelo executivo municipal, para a reestruturação do Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb.

CONSELHO DE ESPORTES

Já o segundo projeto, que visava recriar o Conselho Municipal de Esportes e Lazer, foi adiado por duas semanas para que possa fazer as alterações necessárias. Eu mesmo apontei algumas questões que os vereadores levaram em consideração na hora de votar.

ANTECIPAÇÃO

Nesta segunda-feira, 22, a Câmara de Vereadores devolveu à Prefeitura de Penápolis R$ 100 mil de seu duodécimo para ser investido no combate ao Coronavírus.

RESPIRADORES

Como também, os prefeitos da microrregião de Penápolis conseguiram 10 novos respiradores para a Santa Casa de Misericórdia de Penápolis, junto à dois deputados federais que intercederam ao Ministério da Saúde.

Assista ou escute o Pitacos do Faria

“Parece que tem gente empatando, vamos apostar na nova gestão”, diz vereador Bruno César

O professor Bruno César (PSD) é uma grata surpresa na política local. Combativo, está lutando segundo ele mesmo diz – pelo certo.

Bruno foi estagiário de vôlei, trabalhou no comércio, atua em escolas públicas e particulares e agora empreende no seu negócio. Uma escola de contraturno escolar com matérias de reforços, como também, cursos para concursos.

No bate-papo dessa sexta-feira (19), ele comentou sobre os desafios de ser parlamentar, após sua vitória nas eleições municipais, obtendo 721 votos de confiança do povo penapolense.

Durante o encontro, falamos de saúde, do coronavírus e de medidas restritivas como o lockdown. Explicou sua ida junto com o vereador Paulinho do Esporte (DEM) ao Pronto Socorro após denúncia da falta de um medicamento.

E lembrou: “Parece que tem gente empatando, vamos apostar na nova gestão”.

Falou ainda de um episódio que ocorreu em 2014 com relação a uma festa junina de um colégio particular e ele ressaltou: “Faria tudo de novo e ainda com mais força” e completa: “cara não mexe com meus alunos, não fazem eles chorarem”.

Vale muito a pena assistir essa conversa na íntegra:

Se você preferir escutar:

Prefeito Caíque Rossi interdita parques e intensifica fiscalização

O Prefeito de Penápolis Caíque Rossi (PSD), interditou três parques do município e determinou a intensificação da fiscalização contra aglomeração de pessoas.

A medida que visa conter os avanços do Covid-19, foi divulgada na tarde dessa quinta-feira (18), em pronunciamento nas redes sociais.

Segundo Rossi, a interdição dos parques Maria Chica, Santa Leonor e Mais Parque é mais uma ação que se faz necessário para evitar o contágio e salvar vidas.

Além disso, ele anunciou o início da fiscalização de ranchos, quiosques e comércios que insistem em proporcionar a aglomeração de pessoas.

“A partir dessa sexta-feira, os fiscais da prefeitura sob o comando do chefe de gabinete Daniel Rodrigueiro, em parceria com a Polícia Militar do Estado de São Paulo estará nas ruas de manhã, tarde e noite, inclusive aos fins de semana para notificar e autuar aqueles que não cumpra as determinações sanitárias imposta pelo governo estadual”, salienta.

O mandatório disse ainda que essas medidas é para que não seja necessário tomar atitudes mais drásticas como o do lockdown em Rio Preto.

“Nós precisamos salvar vidas e os empregos de nossa cidade. Por isso, preciso contar com o apoio de cada um neste momento. Precisamos fazer o básico”.

Veja o pronunciamento na íntegra:

“As pautas minoritárias, pra mim são pautas prioritárias”, diz vereadora Jandinéia Fernandes

Na noite dessa quarta-feira (17), entrevistei a vereadora Jandinéia Fernandes (PT). Jandinéia foi eleita com o apoio de diversos professores ligados à Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) – um dos maiores sindicatos da América Latina.

Mas, antes disso, Jandinéia é mulher, mãe e uma guerreira – como relatado por suas companheiras de trabalho – quando foi diretora da Escola Estadual Augusto Pereira de Moraes.

Durante a conversa, ela explicou que não se limitará as pautas ligadas à educação e que buscará ouvir bastante, principalmente, membros de seu partido político, afinal de contas, política não se faz sozinho.

Ela também falou da importância da Procuradoria da Mulher no âmbito da Câmara de Vereadores de Penápolis, trazendo para o foco das discussões todos os assuntos relacionados ao público – que por sinal é maioria em nosso município.

Falou também sobre as pautas minoritárias – que em outras legislaturas tiveram retrocessos – será sua prioridade. “As pautas minoritárias, pra mim são pautas prioritárias”.

Confira a nossa conversa na íntegra:

Se você preferir escutar: