DIÁRIO DE UM DENGOSO

O relato intrigante de um blogueiro e seu tenebroso martírio do mosquito Aedes aegypti
 
Redação do Jornal Interior | 27 de fevereiro, às 15h
Eu: Vandressa, está me dando calafrios…
Vandressa: Ué, será que você está com dengue?
Eu: Pelo amor, Vandressa! Será!? Vê se eu estou com febre?
Meu quarto | 28 de fevereiro, às 4h
Mãe: Meu filho acorda você está com quase 40 graus;
Eu: E o que eu devo fazer minha mãe?
Mãe: Acho que nós devíamos ir no Pronto Socorro!
Eu: Mas eu só vou se a ambulância me buscar.
Pronto Socorro | às 4h15
Médico 1: O que você tem?
Eu: Febre, dor no corpo, nas articulações […]
Médico 1: É dengue!
Eu: Como?
Médico 1: É dengue! Vai lá tire sangue e depois descanse bastante, ok?
Alguns minutos depois…
Enfermeira: Ricardo Faria! [me apresento] Vamos tirar o sangue?
Eu: Precisa mesmo?
Enfermeira: Sim. […] Agora retorne por volta da meio dia e pegue seus exames.
Posto de Saúde | às 14h45
Médico 2: Ricardo suas plaquetas estão normais. Os seus sintomas são de dengue, mas o exame não constatou ainda. Tome um soro e volte para casa e descanse bastante, ok!?
Em casa | às 20h33
(No telefone com minha amada Amanda)
Eu: Amor, por favor vem pra cá ficar comigo? Eu estou morrendooo…
Amanda: É… tá com dengue é?
Eu: É estou. Eu nunca mais vou ficar te zuando amor. Agora eu sei o quanto a dengue é um horror.
Meu quarto | 1º de março | às 06h
Eu: Mãe vomitei
Mãe: Mas meu filho você acabou de comer um pãozinho
Em casa | 2 de março
(Descansando bastante…)
…E vo […]
Em casa | 3 de março
(Descansando bastante…)
… mi […]
Em casa | 4 de março
(Descansando bastante…)
… tan […]
Em casa | 5 de março
(Descansando bastante…)
…E dooooo!
E a única coisa que eu pensava era…
Será que nosso alcaide já pegou dengue?
Ricardo Faria, 33, é jornalista, blogueiro e ativista social, natural de São Paulo – Capital, mora atualmente em Penápolis. É São-Paulino de coração e Penapolense de adoção. E assina o Blog do Faria – www.ricardofaria.com.br

CULTURA APOTEÓTICA

O encontro de todas as artes. Não é à toa que brilhantemente o SESC ao definir o tema coloca – Conectando Lugares, Circulando Ideias. O que aconteceu hoje na Praça Carlos Sampaio Filho foi apoteótico. Artistas de São Paulo, Brasília e da Argentina sentiu-se em casa. Parecia que tinha bebido um pouco das águas do Maria Chica. 

Grandes bailarinos, palhaços, recitadores e músicos trouxeram em si o melhor da arte brasileira e latina americana. Que nos tirou da zona de conforto e nos colocando num patamar que só a arte pode nos levar. 

No meio da tarde, as estruturas do “Leve Livro”, onde você podia levar um livro e trocar com o que estava na estante e “Dulcineia Catadora”, que montou ao ar livre uma oficina para quem quisesse montar seu livro de papelão, costurá-lo e  levá-lo para a casa. 

Também teve a apresentação das Cias. Silensiosas + GT´AIME de São Paulo que explorou todos os cantos da praça. Desde o ponto de ônibus, bancos, luminárias, coqueiros e a fonte luminosa, mostrando que o movimento não tem limites. 

Chacovachi usa as referências do cotidiano brilhantemente. Um palhaço que através de seus espetáculo fez críticas contundentes a política, a morte, ao poder e ao amor. Tanto é que em certo momento da apresentação uma mãe chamou o menino e diz: “Vamos embora que isso não é palhaço não”. Logo no inicio, ele autorizou uma mulher sentar na cadeira, desde que assim que o prefeito chegasse ela cederia o assento. Estamos até agora o prefeito chegar! 

E Ellen? Ellen Oléria com sua multiplicidade de identidades de resistências – jovem compositora, negra periférica e lésbica subiu ao palco e nos presenteou com uma apresentação ímpar, capaz de nos tirar do chão literalmente. Com as batidas do Rap, Funk, Levadas Crioladas, Forró propõe  Afrofuturista em um novo futuro para a raça negra. Isso é Ellen Oléria.

Quem não foi perdeu a oportunidade de embebedar-se com o melhor das artes. Já para quem foi nos resta sentir saudades e esperar 2016. O que você achou? 

BLOG DO FARIA ESTREIA NA REVISTA DESTAQUE

Este lindo final de semana de carnaval, é marcado pelo lançamento da Revista Destaque. Projeto editorial desenvolvido pelo Jornal Interior e a Gráfica Santo Expedito
Tive a honra de ser convidado pelo jornalista Gilson Ramos para integrar a equipe de colaboradores que a cada dois meses levará os melhores assuntos para um público qualificado. 
Vamos juntos porque o Blog do Faria produzirá durante ano muito mais conteúdo pra você.

Programa “Existe amor em Penápolis”

Como definimos o amor? Pra mim o amor é uma grande afeição por algo ou alguém. Ela nasce com o tempo e genuinamente gratuita, sem nenhum interesse. É assim na vida! 

Nasci na capital paulista, terra da garoa, com mais de 11 milhões de pessoas, cidade das oportunidades. Dela guardo um profundo respeito. 
Mas foi aqui, no interior [sertão desconhecido] que me criei. Primeiro nas terras de Manoel Alvez de Athaíde, o povoado de São João da Saudade, atualmente Mirandópolis, cidade que recebeu José Datrino – o Profeta Gentileza – autor da celebre frase “Gentileza gera gentileza”. 
No final dos anos de 1990, foi a vez de Penápolis me receber. Não foi amor a primeira vista, mas é hoje um amor profundo, capaz de discernir o que há de belo e o que há de malfeitos. Contudo, prefiro guardar as coisas amorosas que a vida me proporcionou aqui nas terras de Maria Chica, mulher guerreira que lutou bravamente pela sua sobrevivência.  

E por sobrevivência continuo lutando para que essa terra continue gerando gentis oportunidades. Para isso, parafraseei Criolo, um dos maiores rappers da atualidade, onde ele diz: “Não existe amor em SP”, e criamos no Blog do Faria o projeto “Existe Amor em Penápolis”. Essa iniciativa norteará todas as nossas ações pelo ano inteiro, afinal, comemoramos cinco anos. 
O projeto consiste em sete atividades que irá propor para a sociedade penapolense momentos de reflexão sobre a própria cidade trazendo a tona novos modos de pensar, de construir e de ocupar os espaços que lhes são devidos, afim de,garantir direitos fundamentais à cidade e a cidadania. 
OLHARES
Em março, lançaremos o Concurso Fotográfico “Existe Amor em Penápolis”, a primeira de nossas sete atividades. Nele buscaremos olhares diferentes sobre o município. Como que você vê a cidade? O que mais te chama atenção? Existe gentileza em Penápolis? E beleza também existe? 
DIÁLOGOS
Em 2013, de forma bem experimental realizamos o Hashtag – Hiperligando Ideias, uma conferência estilo TEDx que estimula a disseminação de boas ideias. A proposta é trazer penapolenses espalhamos pelo país afora e que estão fazendo a diferença por onde passam, mostrando que existe amor nos penapolenses!
SARAU
A celebração faz parte da vida do ser humano. E existe amor maior do que celebrar a vida através da arte? Pois bem, pretendemos convergir e fundir o que há de melhor na música, na dança, na pintura, na escultura, no teatro, na literatura, no cinema, na fotografia, nas histórias em quadrinhos, nos jogos eletrônicos e na arte digital, mostrando que há sim trabalhos autorais. 
SOLIDÁRIO
No fim do ano passado, o Blog do Faria teve uma experiência bem bacana que foi a campanha “Doe um chinelo de dedo” que entregamos para as crianças da ‘Casa Abrigo’ – casa mantida pela Apae de Penápolis. Neste ano, não será diferente e acamparemos outras campanhas em prol das entidades do nosso município. E com toda certeza contaremos com você! 
KOMUM
O Komum será um trabalho de mini documentários que tem por objetivos contar histórias de ideias inovadores e inspiradoras de penapolenses e ou de organizações não governamentais que transformam as vidas de muita gente. Tem alguma dica aí?
PARTICIPAÇÃO
Todo ano a Prefeitura de Penápolis realiza o Orçamento Participativo. Espaço onde o governo exerce o processo de escuta das demandas da sociedade, que posteriormente será processada como política pública a ser executada no orçamento subsequente. Isto é, tudo o que foi proposto para ser realizado neste ano, foi pensado em 2014 e tudo que será realizado em 2016, será proposto agora. 
Para isso faremos dois trabalhos: 
De fiscalizar o encaminhamento e a execução do que foi proposto para esse ano e;

De acompanhar todos os encontros do Orçamento Participativo de 2015, afim de, documentar e estabelecer e garantir mecanismos de participação de todos os cidadãos. Então bora participar?
DIVERSÃO
Em novembro, o Blog do Faria completa cinco anos. E nesta nova etapa nada mais justo do comemorar com os amigos né!? Mas até agora não imaginei o que poderíamos fazer juntos! Tem uma ideia?

CONECTANDO PENÁPOLIS, CIRCULANDO IDEIAS

Neste sábado, 3, o SESC SP em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura promoverá na praça 9 de julho mais uma edição do Circuito Sesc de Artes – Conectando lugares, circulando ideias. 
A programação inicia-se às 17h com apresentações de dança, teatro, cinema, circo e encerrará às 22 horas com o show de Karina Buhr, cantando Secos e Molhados. 
Neste ano, de 25 de abril a 11 de maio, o Circuito Sesc de Artes percorrerá 102 cidades do Estado de São Paulo recebendo os mais de 370 artistas. Todas as apresentações são gratuitas.
Serviço
Circuito SESC de Artes 
Local: Praça 9 de Julho.
Data: 03 de maio.
Horário: Das 17h às 22h.
Entrada: Livre.
Confira a programação completa
MÚSICA
Karina Buhr canta Secos & Molhados [PE]

A cantora, compositora, percussionista e atriz baiana faz uma homenagem ao álbum Secos & Molhados, que leva o nome do famoso grupo criado nos anos 70 por Ney Matogrosso, Gérson Conrad e João Ricardo. No show, ela interpreta as 13 músicas presentes no vinil lançado em 1973, considerado um dos álbuns mais marcantes da história da música brasileira. Entre as canções, destacam-se os clássicos: Sangue Latino, O Vira e Rosa de Hiroshima. Com: Karina Buhr (voz), Mau (baixo), Guizado (trompete), Caetano Malta (violão), Davi Bernardo (guitarra) e Samuel Fraga (bateria). Duração: 70 min.
TEATRO
O Romance do Vaqueiro Benedito
[Mamulengo Presepada-DF]


O espetáculo narra as aventuras de um vaqueiro apaixonado. No sertão nordestino, acompanhado do boi Estrela, Benedito leva a esposa, prestes a dar à luz, para o hospital. Mas quando seu sogro, o Capitão João Redondo, descobre sobre a gravidez da filha, manda uma cobra para assustá-los e a serpente acaba engolindo a família do boiadeiro. Para resgatar os parentes, o personagem conta com a ajuda da plateia ao som de violino e percussão ao vivo. Com: Chico Simões / Músicos: Flávia Felipe Inácio, Cristiane Brandão Peres e Joaley Almeida Lemos. Duração: 50 min.
CINEMA
Brinquedos Óticos
[Coletivo Unsquepensa-SP]
No século XIX, duas máquinas contribuíram para a criação do cinema: o zootrópio e o fenacistoscópio. Na intervenção, os artistas vestidos como personagens da época apresentam a funcionalidade desses aparelhos, recriados pelo próprio grupo para demonstrar seus efeitos óticos. Direção: Nanda Ribeiro e Mazzon Gil / Atores-artistas: Fernanda Ribeiro e Carlitos Tostes / Projeto dos brinquedos ópticos: Mazzon Gil / Figurino: Melissa Peixoto de Vargas
CIRCO
O Pintor
[Barracão Teatro-SP]
O palhaço Zabobrim é incumbido de uma difícil e estranha tarefa: pintar uma nova bandeira para o seu país. Mesmo sendo um profissional empenhado que sempre cumpre sua tarefa, Zabobrim entra num conflito interno. Ele reflete que sua tarefa não é tão simples quanto parece e seu trabalho se revela mais complicado que um duelo à mão armada. Este é o seu conflito. Um palhaço e sua missão, a bandeira e o público. Aí está a moldura para pintar o sete! Direção, criação e atuação: Esio Magalhães. Duração: 60 min.
DANÇA
Cardápio de Dança
[Liga da Dança Dura-SP]
O espetáculo apresenta um restaurante de improvisação de dança. Os dançarinos oferecem as opções através de um cardápio escrito numa lousa, com diferentes ingredientes – uma memória, uma frase, um espaço… – e modos de preparo – à sauté, à doré, à poché ou frito. O público escolhe a combinação do prato e como quer que ele seja feito. E, assim, o trio improvisa a partir das sensações que as palavras despertam e das qualidades de movimento escolhidas. Idealização: Fabiana Bueno de Castro, Evandro Gonçalves e Larissa Pretti / Com: Evandro Gonçalves, Larissa Pretti e Tatiana Cotrim / Concepção de Figurino: Fabiana Bueno de Castro e Juliana Nunes. Duração: 60 min.
INTERVENÇÃO TEATRAL
O Pequeno Grande Teatro
[Cia. Mala Caixeta de Teatro Surpresa-SP]

Em três caixas são apresentadas peças de teatro em miniatura inspiradas livremente em clássicos da literatura mundial. Um espectador por vez pode ver as peças Os Lusos – história de um navio que parte rumo às Índias e, no percurso, enfrenta monstros marinhos e outros perigos até chegar à cidade de Calicute; A Selva – em que o índio Peri luta com onças bravas e perigosos bandeirantes e, em meio a vários desafios, encontra finalmente a jovem e bela Ceci; e O Seco – que mostra uma família do sertão partindo em busca de uma vida melhor na cidade grande. Direção: P. H. Alves / Com: Verônica Giordano. Elvira Cardeal e Rosana Borges.