fbpx

Doutores do Coração participará de oficinas do programa Palhaços em Rede

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
Ao todo foram selecionados 12 grupos do estado de São Paulo, sendo que os Doutores do Coração é o único selecionado da região de Araçatuba 
Grupo de palhaços animam as crianças com suas brincadeiras, músicas e contação de histórias

Há uma semana, um grupo de “besteirologistas” que frequentam os corredores da Santa Casa de Misericórdia de Penápolis, foi selecionado para participar de oficinas de formação dentro do programa Palhaços em Rede, coordenado pelo famoso grupo Doutores da Alegria. 
Os Doutores do Coração formado há quatro anos por uma necessidade do Grupo de Trabalho Humanizado da Irmandade, atualmente conta com 18 palhaços que regularmente visitam seus pacientes nas alas do hospital duas vezes por semana. 
Com a coordenação do professor Renato Paes, pelo grupo já passaram centenas de pessoas que por sentirem tocadas pelo trabalho desenvolvido quiseram participar do ‘corpo clínico da alegria’. 
Mesmo assim, o atual grupo de besteirologitas voluntários não acredita serem palhaços. “É muito louco, nós fomos participar de um encontro e num determinado momentos perguntaram ‘Você é palhaço’ e alguns ficaram se perguntando – Será que sou mesmo?”
Isso não os impediu de encantar a cada novo paciente ou em uma visita. 
“Nós palhaços temos um encantamento, e quando chegamos ao quarto usamos de todos os artifícios para tirar a criança daquele ambiente hospital e levar para um patamar mais lúdico, mais da brincadeira usando de instrumentos e contação de histórias”. 
“Colecionamentos histórias divertidas que certamente enriquecerá não somente os palhaços, mas os pacientes, os pais, os médicos, os enfermeiros e todo o hospital, bem como, em todos os eventos que participamos”, comenta Renato.
Todos os integrantes que variam na faixa etária de 16 a 60 anos entendem o trabalho de responsabilidade social e humanizado que o Doutores do Coração exerce na Santa Casa. 
“Entendemos que somos artistas que fazem um trabalho no hospital, por isso, nós devemos nos formar sempre, nos qualificar sempre e esse aprendizado passa pelo trabalho desenvolvido pelos ‘doutores’ aqui no Brasil, mas também pelo Patch Adams e de Michael Christensen, pioneiro na arte de clown em hospitais”. 
Para Doutores do Coração a oportunidade é de melhorar o trabalho desenvolvido no hospital

Desde então, o grupo não parou de se qualificar e buscar encontro e oficinas para que pudesse melhorar o que era desenvolvido nos quartos do hospital. 
Participaram do 1º Encontro Nacional de Palhaços em Rede, evento promovido pelos Doutores da Alegria e que capacita e orienta grupos que atuam em hospital de todo país, entre outras oficinas em Fernandópolis e Limeira. 
ORIENTAÇÃO
Para divulgar suas ações, os Doutores do Coração participam de eventos fora do hospital, disseminando alegria

Os Doutores do Coração participará das oficinas orientadoras a partir desse mês, onde um profissional dos Doutores da Alegria estará na cidade para acompanhar uma visita dos besteirologistas na Santa Casa de Penápolis. 

Em setembro, dois integrantes do grupo irão para a capital paulista participar de um ciclo de oficinas formativas e os orientará no trabalho desenvolvido no hospital penapolense. 
Eles terão apenas um mês para replicar o que aprenderam durante o encontro, pois, em outubro, a equipe dos Doutores volta a cidade para acompanhar a evolução da trupe. Encerrando a orientação no final de novembro, começo de dezembro. 
Foram selecionados 12 grupos do estado de São Paulo, sendo que os Doutores do Coração é o único selecionado da região de Araçatuba. 
HISTÓRICO 

Os trabalhos dos Doutores do Coração começaram em meados de 2010 com o Grupo de Trabalho Humanizado da Santa Casa de Misericórdia de Penápolis, que tinha a coordenação do psicólogo Lucas Bondezan Alvares e de Ricardo Murarotto. 

Na época, eles e mais três voluntários se reuniam para nas datas comemorativas como o Dia das Crianças, fazerem uma ação com os pequenos pacientes. 
“Levávamos bexigas e fazíamos contação de histórias para as crianças”, lembra Ricardo. 
Com o tempo sentiu a necessidade de se formar e foram nos livros, reportagem e filmes sobre os Doutores da Alegria para criar uma metodologia própria para o hospital da cidade. 
“Nós não podíamos colocar o nariz sem preparo, pois a criança sente daí percebemos que não era só colocar o nariz”. 
“Fazíamos os relatórios da visita e lembro que entramos num quarto e a criança estava dormindo, mesmo assim, começando cantar para a criança e ela dormindo sorriu”, disse Ricardo. 
Os Doutores do Coração atendem na Santa Casa de Misericórdia as quartas-feiras, das 19h às 21h e nos sábado das 14h às 16h. 

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest