fbpx

Grupo de Escoteiros torna-se exemplo de ética e amor a pátria a crianças e jovens

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
Mais de 30 adolescentes participando nas atividades na sede dos escoteiros, que aprendem desde a medição de rio, como, produzir fogo em meio a emergência
Um dos chefes Leandro Rodrigues (abaixo) ao lado dos escoteiros e das escoteiras onde desenvolve atividades de utilidade para os jovens
Criado em 1997, o Grupo de Escoteiros São Francisco de Assis foi criado em meio ao ECC – Encontro de Casais com Cristo da Igreja Católica. Daí então a homenagem ao padroeiro penapolense.

De acordo com João Paulo Beneciuti, um dos chefes dos escoteiros de Penápolis explica que mesmo o grupo tendo um nome com uma figura símbolo de uma religião, não faz distinção.
“Embora tenhamos um nome de santo, não fazemos distinção de religião, podemos ser católicas, evangélicos ou espíritas nós aceitaremos e a respeitaremos dentro do grupo”. 
Atualmente com 30 escoteiros na tropa, a intenção é divulgar as ações do grupo nas escolas públicas e particulares do município para que possam ser criados novas tropas. 
“Estamos com sede nova e isso nos motiva a criar novas tropas, atendendo novas crianças e podendo passar os valores que os escoteiros possuem”, explica o presidente Leandro Rodrigues. 
O Escotismo foi fundado pelo britânico Baden Powell, em 1907, e hoje é um movimento mundial, que trabalha a educação, o voluntariado, é apartidário e sem fins lucrativos. 
A sua proposta é o desenvolvimento do jovem, por meio de um sistema de valores que prioriza a honra, baseado na promessa e na lei escoteira, e através da prática do trabalho em equipe e da vida ao ar livre, fazer com que o jovem assuma seu próprio crescimento, tornar-se um exemplo de fraternidade, lealdade, altruísmo, responsabilidade, respeito e disciplina. 
Todo sábado, das 14h30 às 17h, na sede do antigo Semeando, o grupo se reúne para ensinar valores as crianças, adolescentes e jovens de idade entre 6 anos e meios a 14 anos que são divididos por equipes. 
A tropa dos Escoteiros fazendo atividades como rapel que estimula o exercício físico, mental e de autocontrole
A primeira turminha é chamados de lobinhos e lobinhas que são crianças de 6 anos e meios a 10 anos divididos em equipes com até 6 crianças, de ambos os sexos, onde participam de atividades e jogos voltados para a socialização e o entretenimento. Com constante atenção as crianças desenvolvem o comprometimento consigo e com as demais crianças da sua equipe.
Já a turma dos escoteiros vai de 11 à 14 anos de idade e são divididos em equipes, que também são chamados de patrulhas de até 8 jovens, onde participam de atividades e jogos voltados para a aventura. 
Neste caso, é oferecido um ambiente de responsabilidade, comprometimento, onde é apresentado uma hierárquica e democracia organizado e mantido por eles mesmos.
A também os jovens de 15 à 17 anos, que são chamados de seniores ou guias, e que participam de atividades e jogos voltados ao desafio e a auto superação, tendo um ambiente de maior esforço físico, de realização, cumplicidade e responsabilidade.
E os pioneiros ou pioneiras que divididos por interesse e desenvolvem atividades e projetos voltados as carências da comunidade e do grupo escoteiro.
“Nós somos um grupo de educação não formal, pois aqui, não damos diplomas, mas fazemos o complemento da educação do jovens, família, religião e pátria”, comenta João Paulo. 
Após o período de adaptação, os jovens tem que saber e seguir as leis do escoteiros para depois possam fazer a promessa, com uma solenidade, onde faz o hasteamento da bandeira brasileira, canta o hino nacional e profere: “Prometo pela minha honra fazer o melhor possível para: Cumprir meus deveres para com Deus e a minha Pátria, ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião e obedecer à Lei Escoteira”. 
Durante os encontros os escoteiros aprende a sobreviver. “Quando vamos num acampamento, eles tem que fazer a comidinha deles, tem que lavar prato, sabe se virar e a gente cobra isso deles, inclusive o desempenho dentro da escola, pois, se estiver mal não vai participar de atividades”, salienta João Paulo. 
Segundo relatos dos próprios pais, o desempenho dos filhos após o trabalho com os escoteiros melhorou muito. “Nós fazemos um trabalho, onde ensina o jovens a sobreviver, criando um espírito de cooperação de liderança”. 
Momento em que o jovem profere as palavras de promessa tornando-se um escoteiro
Leandro lembra também que o escotismo prega o aprendizado pela prática, pela ação, valorizando o treinamento para a autonomia baseado na autoconfiança e iniciativa, desenvolvendo os hábitos da observação e dedução. 
“Eles aprende na prática como faz, por exemplo, ensinamos eles como fazia para medir um rio ou como se faz um fogo. São coisas que ajudarão na sobrevivência enquanto indivíduos e  membros de um grupo”, comenta. 
O Grupo de Escoteiros São Francisco de Assis se reúnem todo sábado, neste ano, a partir de 7 de fevereiro, no antigo Semeando, na Rua Getúlio Vargas, 241, das 14h30 às 17h. 
Para conhecer mais o trabalho desenvolvido do grupo e ou para fazer a inscrição de seu filho basta entrar no site www.escoteiropenapolis.com.br. 

Conheça os conceitos inerentes à Lei Escoteira 

Honra, integridade, lealdade, presteza, amizade, cortesia, respeito e proteção da natureza, responsabilidade, disciplina, coragem, ânimo, bom-senso, respeito pela propriedade e autoconfiança.
Quando Baden Powell idealizou a Lei Escoteira, decidiu não estabelecer leis proibitivas, mas conceitos para formação de pessoas benévolas, para que, desta forma, o jovem escoteiro tivesse onde se espelhar e pudesse se orientar.
1. O ESCOTEIRO TEM UMA SÓ PALAVRA; SUA HONRA VALE MAIS DO QUE A PRÓPRIA VIDA.
“A Honra para um Escoteiro é ser digno de toda confiança. Como um Escoteiro, nenhuma tentação, por maior que seja, e embora seja secreta, irá persuadi-lo a praticar uma ação desonesta ou escusa, mesmo muito pequena. Você não voltará atrás a uma promessa, uma vez feita. A palavra de um Escoteiro equivale a um contrato. Para um Escoteiro, a verdade, e nada mais que a verdade.” 
2. O ESCOTEIRO É LEAL.
“O Escoteiro é leal à Pátria, à Igreja, às autoridades do governo, aos seus pais, seus chefes, seus patrões e aos que trabalham como seus subordinados. Como um bom cidadão, você é de uma equipe, jogando o jogo honestamente, para o bem do conjunto. Você merece a confiança do governo de sua pátria, do Movimento Escoteiro, dos seus amigos e companheiros de Patrulha, de seus patrões ou de seus empregados, que esperam que você seja correto, fazendo o melhor possível, em benefício deles, ainda quando eles não correspondem sempre bem ao que você espera deles. Além disso, você é leal também a si mesmo; você não quer diminuir seu respeito a si mesmo jogando mal de propósito; nem vai querer decepcionar ou ficar em falta com outro homem, nem, tampouco, com outra mulher.” 
3. O ESCOTEIRO ESTÁ SEMPRE ALERTA PARA AJUDAR O PRÓXIMO E PRATICA DIARIAMENTE UMA BOA AÇÃO.
“O dever do Escoteiro é ser útil e ajudar a todos. Como Escoteiro, seu mais alto objetivo é servir. Você deve merecer a confiança de que, em qualquer ocasião, estará pronto a sacrificar tempo, trabalho, ou, se necessário, a própria vida pelos demais. O sacrifício é o sal do serviço.”
4. O ESCOTEIRO É AMIGO DE TODOS E IRMÃO DOS DEMAIS ESCOTEIROS.
“É amigo ou irmão, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer. Como Escoteiro, você reconhece as demais pessoas como sendo, com você, filhos do mesmo Pai, e não faz caso de suas diferenças de opinião, casta, credo ou país, quaisquer que elas sejam. Você domina os próprios preconceitos e procura encontrar as boas qualidades que tenham; o defeito deles qualquer um pode criticar. Se você põe em prática esse amor pelas pessoas de outros países e ajuda a fazer surgir a paz e a boa vontade internacionais, isto será o Reino de Deus na terra. O mundo inteiro é uma fraternidade.” 
5. O ESCOTEIRO É CORTÊS.
“Como os antigos cavaleiros, você, sendo um Escoteiro, é, sem dúvida, polido e atencioso com as mulheres, velhos e crianças. Mas, além disso, você é polido mesmo com aqueles que estão contra você. Aqueles que têm razão, não precisam perder a calma; aqueles que não têm razão, não podem se dar ao luxo de perdê-la.”
6. O ESCOTEIRO É BOM PARA O ANIMAIS E AS PLANTAS.
“Você reconhecerá como companheiras as outras criaturas de Deus, postas, como você, neste mundo, durante certo tempo, para gozar suas existências. Maltratar um animal é, portanto, um desserviço ao Criador. Um Escoteiro deve ter um grande coração.”
7. O ESCOTEIRO É OBEDIENTE E DISCIPLINADO.
“O Escoteiro obedece, de boa vontade, sem vacilar, às ordens de seus pais, Monitores e Chefes. Como Escoteiro, você se disciplina e põe-se, profunda e voluntariamente, às ordens das autoridades constituídas, para o bem geral. A comunidade mais feliz é a comunidade mais disciplinada; a disciplina, porém, deve vir do íntimo, e nunca ser imposta de fora. Por isso, tem um grande valor o exemplo que você der aos demais nesse sentido.”
8. O ESCOTEIRO É ALEGRE E SORRI NAS DIFICULDADES.
“Como Escoteiro você será visto como o homem que não perde a cabeça e que aguenta qualquer crise com ânimo alegre, coragem e otimismo.” 
9. O ESCOTEIRO É ECONÔMICO E RESPEITA O BEM ALHEIO.
“Como Escoteiro, você olhará para o futuro e não irá dissipar tempo e dinheiro com prazeres do momento, mas, ao contrário, fará uso das oportunidades do momento tendo em vista o futuro sucesso. Você fará isso com a idéia de não ser um ônus, mas uma ajuda para os demais.” 
10. O ESCOTEIRO É LIMPO DE CORPO E ALMA.
“O Escoteiro é limpo em pensamento, palavra e ação. Como Escoteiro, espera-se que você tenha não só uma mente limpa, como também uma vontade limpa; seja capaz de controlar quaisquer tendências intemperadas do sexo; dê um exemplo aos demais sendo puro, franco, honesto em tudo que pensa, diz ou faz.” 

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest