fbpx

Jurídico da Câmara emite parecer pela ilegalidade do projeto de gratificações

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print

A Assessoria Jurídica da Câmara de Vereadores de Penápolis emitiu parecer pela ilegalidade do projeto de lei que cria gratificações para membros de comissões de licitações, pregoeiros e de sindicâncias. Projeto foi aprovado em 1ª discussão e retorna ao legislativo hoje (12).
 
O parecer enviado aos vereadores e que o BLOG DO FARIA teve acesso, foi escrito durante sessão ordinária, na última segunda-feira (5), pelo assessor jurídico Dr. Márcio Reis, após, pedido de análise da legalidade pelo vereador Evandro Tervedo de Novaes (DEM). A leitura do conteúdo deverá acontecer durante a sessão dessa noite.
 
Segundo Reis, a ilegalidade consta no artigo 22 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que diz: “Se a despesa total com pessoal exceder a 95% do limite são vedados ao Poder ou órgão referido no art. 20 que houver incorrido no excesso”.
 
Para o assessor, o percentual do limite de gastos com pessoal da Prefeitura de Penápolis foi assunto nos meios de comunicação no final do ano passado.

“Por esses motivos, tendo como verdadeiras a informação de que os gastos com pessoal da administração municipal estão acima dos 95% (noventa e cinco por cento) do limite legal, no caso em comento entendo que prevalente o impedimento legal ditado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº 101/2000)”.
 

Legal
Márcio salientou no parecer que o projeto de lei cumpriu os requisitos na Lei de Responsabilidade Fiscal com relação à apresentação de estimativa de impacto orçamentário-financeiro desse e dos dois próximos anos, tudo devidamente assinado pelo ordenador de despesas – o secretário de finanças José Orcione Rocha.

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest