fbpx

Legendas municipais preparam estratégias para alcançar eleitorado

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
PSDB e PT buscam no trabalho das equipes dos candidatos ao legislativo alçar votos aos majoritários; Já o PSB faz um trabalho de voto a voto, o famoso boca a boca
Benoninho disse que campanha de Geraldo Alckmin está consolidada no município de Penápolis; Já João Baptista aposta na campanha boca a boca para eleger Marina Silva e; Evandro salienta que campanha para os majoritários passa pelas candidaturas ao legislativo
Na noite dessa sexta-feira (26), o instituto Datafolha publicou nova pesquisa sobre a corrida eleitoral que elegerá o próximo governador do estado de São Paulo e o próximo Presidente da República. 
A presidente Dilma Rousseff (PT), figura na primeira colocação com 40% das intenções de votos, seguidos pela candidata do PSB, Marina Silva com 27% e de Aécio Neves (PSDB) com apenas 18%. 
Já no estado de São Paulo, se as eleições fossem Geraldo Alckmin (PSDB) venceria as eleições no primeiro turno com 51% dos votos válidos. Paulo Skaf (PMDB), vem bem atrás com 22% e em terceiro Alexandre Padilha (PT) com apenas 9%. 
A exatos uma semana do pleito, o INTERIOR entrevistou os dirigentes municipais das legendas para saber quais as principais estratégias para alcançar o eleitorado penapolense. 
Para o presidente do PSDB, o ex-vice-prefeito Benone Soares de Queiroz Júnior, o Benoninho, desde o começo da campanha, quando o partido se reuniu ficou decidido que não haveria um comitê central para as campanhas majoritárias do partido. 
Segundo ele, é melhor estrategicamente que o partido e os candidatos tenham comitês menores, mas que façam o trabalho focalizado para todos os candidatos. 
“Entendemos que seria melhor mesmo que tivéssemos comitês dos candidatos a deputados estadual e federal e junto deles pudéssemos fazer uma campanha focada para o governador Geraldo Alckmin e para presidente Aécio Neves”, comenta. 
De acordo com o PSDB local todo o material que chegou dos majoritários foram entregues nos três comitês existentes na cidade e sua distribuição está sendo feita via equipes de campanha dos candidatos ao legislativo. 
Benoninho comentou ainda que no inicio desse mês teve acesso a uma pesquisa interna do partido onde foram levantados dados no município de Penápolis sobre a corrida para ocupar o Palácio dos Bandeirantes. Segundo as informações, o atual governador os resultados são animadores. “Isso demonstra o bom trabalho que o governador Geraldo Alckmin realizou na cidade e na região”. 
PSB
Já no PSB (Partido Socialista Brasileiro) de Marina Silva que ocupa a segunda colocação nas pesquisas, o trabalho de divulgação chega ser inexistente. 
De acordo com o presidente da sigla na cidade, o médico oftalmologista, João Baptista de Souza Júnior, após a morte do presidenciável Eduardo Campos, o partido teve que refazer todos os materiais após a confirmação de Marina no pleito. 
“Somente agora faltando pouco mais de uma semana para as eleições é que chegou o material de campanha”. 
De acordo com o presidente, o partido local não se reuniu para decidir sobre a instalação de um comitê de campanha do majoritário. 
“O nosso trabalho é bem pequeno, conversando boca a boca e mesmo assim conseguimos analisar que o partido e a Marina estão tendo uma boa aceitação do povo penapolense”. 
PT
Já o Partido dos Trabalhadores montou sua estratégia diferente do PSDB e centralizou em um comitê central. 
“Nós recebemos de empréstimo a casa de um companheiro nosso para fazermos dele o nosso ponto de encontro e decisões”, comenta o presidente do partido, Evandro Moreira. 
O comitê está servido para distribuir material dos candidatos majoritários, mas também para traçar estratégias de campanha para os candidatos ao legislativo. “Temos 6 dobradinhas estadual/federal que nos possibilitou montar equipes de trabalho que percorre toda a cidade. Diariamente nós traçamos quais bairros iremos andar, para não ir duas equipes para o mesmo local”, disse. 
Já para o vice-presidente da legenda, Adão Rodrigues da Silva, a falta de atuação no interior, principalmente, do candidato a governo do Estado Alexandre Padilha, fez com que ele não subisse nas pesquisas. “Nossa região tem 1 milhão de votos e mesmo assim a coordenação trouxe ele apenas agora a poucos dias da eleição”, finaliza. 

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest