fbpx

MANIFESTAÇÃO PRA QUÊ MESMO?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
Arquivo/Jornal Interior
Cinco dias após as manifestações que reuniram mais de 1 milhão de brasileiros nas ruas do país, desejo registrar minha opinião sobre o que eu vi, ouvi e li. 
Entretanto, as paixões acirradas de ambos os lados, fazem com que percam a razão e partam para as ofensas particulares, sendo muitos deles sem fundamentos. 
Mesmo achando que as manifestações é um direito adquirido pelo povo, antes mesmo, da criação da Constituição Federal de 1988, não via motivos pelo quais da manifestação – a não ser pela corrupção. 
Lembro-me de um trecho do texto poético “Só de sacanagem” de Elisa Lucinda que diz: “Dirão: É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal”. Pois bem, é uma verdade. 
Esse país nasceu da corrupção e nela está incrustada há mais de 500 anos. Mas como Elisa eu também direi: “Não admito! Minha esperança é imortal! / E eu repito, ouviram? IMORTAL!!! / Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final”.
Criar mecanismos eficientes que detectem, investigue e puna rigorosamente os envolvidos de crimes de corrupção é um dos caminhos para sairmos desse marasmo que o país se encontra, tendo os filhos da pátria que pagar as contas dos desmandos de um grupo de bandidos de colarinhos brancos. 
Entretanto, sair às ruas para pedir impeachment de uma presidente que foi legitimamente eleita pelo povo há seis meses e a três reconduzida para a função é no mínimo golpismo. E olha que quem está falando não foi eleitor da Dilma Rousseff nas eleições gerais de 2014. 
Diariamente na vida se ganha e/ou se perde e (in)felizmente ou não os opositores perderam legitimamente no voto, mas não se contentaram com a derrota e que só ajudam a criar um clima de instabilidade – provocado pela fase em que se está das investigações do Lava Jato. (Vale destacar que acredito na justiça desse país, sendo que, no momento certo incriminará todos os envolvidos e culpados  desse que já o maior escândalo de corrupção desse país). 
Tanto é verdade, que não se acostumaram com a derrota, que membros do partido de Aécio Neves de vez participarem do movimento por aqui nas terras de Maria Chica, rumaram para a capital paulista fazer coro na Avenida Paulista. 
Mas como é de praxe desse povo, ao sair da “manifestações” com sua camiseta #ForaDilma foram a um dos “botecos chicosos” da paulista para comemorar tomando seu delicioso chopp. Não que isso não seja legítimo, mas é no mínimo irônico. 
Quando tive a oportunidade de entrevistar um dos organizadores das manifestações de Penápolis e perguntar: E a intervenção militar você é a favor ou contra? Ele me responde que conversa com familiares que conviveu o período de regime militar e concordaria com uma intervenção militar para restabelecer a democracia, é porque ele não sabe o peso e a marca histórica que ficou dos 21 anos da ditadura militar. 
E a reforma política? Nesta manifestação ficou relevada a segundo plano. Concordo com o cantor Tico Santa Cruz, da banda Detonautas quando ele diz: “em vez lutar pelo impeachment que tal lutar pela reforma política?”. Principalmente, no que se refere o financiamento público de campanha, afinal de contas, ser patrocinada por empreiteiras já vimos no que dá – Lava Jato. 
Portanto, quando lutarem para fortalecerem a democracia e ajudarem a construir um país mais justo, igualitário e socialmente livre estarei na linha de frente apoiando-os. 

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest