fbpx

PENAPOLENSE SE DESTACA NO MUNDO DOS JOGOS ONLINE

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
Laís “Anak” Dias treina cerca de 20 horas em um fim de semana, sendo que, da equipe ‘Ownerd e-Sports’ ganha uma ajuda acessórios para os jogos
Com apenas 22 anos, a penapolense Laís Dias conhecida também pelo seu codinome “Anak”, vem se destacando no mundo dos jogos online, principalmente, no recém-lançado ‘Heroes of the Storm’. 
Ela como outros mulheres, ainda é, um número muito pequeno se comparado com a quantidade de jogadores homens, o que gera muito preconceito.
“Para quem está no mundo dos jogos, existe muito preconceito com a mulher que joga. Por isso que acaba tendo tanto repercussão com menina que joga sério. Porque para eles (homens), acham que mulher jogo para chamar atenção. Mas eu mostrei na minha dedicação e preparo que posso jogar de igual para igual”. 
Tanto é que ela, está jogando a Copa América do jogo contra outras equipes da América Latina, entre eles, do México, Argentina, Uruguai e do próprio país.
Laís é filha do casal Márcia Regagnan Dias e Luis Dias e irmã de Celso e Luís Dias. Na infância, sempre jogou vídeo game com os irmãos. Aos 10 anos, seus pais lhe deram de presente um computador e com ele a possibilidade de conhecer os jogos online.
Entre os jogos que mais investiu foi o famoso League of Legends, que no último ano teve mais de 27 milhões de pessoas jogando diariamente – um recorde para a história dos jogos online.
Mas ela só foi se dedicar diariamente ao jogo, quando acabou o ensino médio e foi estudar Administração na UNESP (Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”) em Tupã.
“Acabei de dedicando mais no ‘League of Legends’ lá em Tupã, porque eu ficava constrangida de jogar em casa. Não que meus país me proibissem não é isso, mas porque eu me incomodava”, comenta.
“Foi neste jogo que ouvi muitas frases preconceituosas como: Já lavou louça hoje? Definitivamente era um bullying chato, com isso o ‘League of Legends’ foi perdendo a graça, além de estar consumindo muito meu tempo, que naquele momento era preciosos pra mim”.
Tanto é que a ‘Chapada Matadora’ codinome usado no antigo jogo, precisou escolher entre o namorado ou o jogo. “Eu terminei com ele porque ele queria que eu parasse com o jogo, afinal, ele queria passar o tempo comigo. Mas quando ele fez a pergunta: “o jogo ou eu?”, não tive dúvidas – o jogo claro!”, comenta dando uma gargalhada.
CORÉIA
No último semestre da faculdade de Administração em Tupã, conseguiu um intercâmbio para estudar Comércio Exterior na Coreia do Sul – ‘Meca’ dos jogos online.
“Durante a faculdade aqui no Brasil, descobri que eu gostaria de me especializar em Comércio Exterior e quando cheguei na Coreia foi a matéria que escolhi fazer”, lembra.
Gostou muito da experiência de morar seis meses do país oriental. “Lá além de ser muito frio, neva boa parte do ano, e o povo coreano fala muito mal o inglês, precisando se comunicar por mímica. Mas é um país totalmente desenvolvido, evoluído, sendo sem dúvida uma grande experiência de vida para mim”.
Na Coreia, em suas horas vagas acompanhou de perto os campeonatos de jogos online. “Eles estão muito na frente de nossos jogadores. Não é atoa que são os melhores do mundo. Aprendi muito com eles”.
VOLTA AO PAÍS
Na volta ao país, em junho do ano passado, Laís começou a se dedicar ao ‘Heroes of the Storm’, que até então era um jogo em versões Alfa e Beta.
Segundo ela, a competitividade era tamanha no jogo que assemelha aos tempos de handebol. “Tive por diversas oportunidades defender as cores da bandeira penapolense nos jogos regionais”.
Tanto é que a disposição e dedicação que era colocava no handebol enquanto adolescente, foi a mesma que o fez ser aceita no time ‘Ownerd e-Sports’ de Brasília.
Ela que está desde o inicio desse ano em Brasília para concluir o estágio em Administração e assim concluir de vez a sua faculdade, vê na Capital Federal uma oportunidade para crescer num mundo extremamente concorrido.
“Aqui em Brasília minha vida é corrida. Faço estágio das 7h às 18h, treino com minha equipe das oito da noite até à 1h da manhã e nos finais de semana 10h no sábado e 10h no domingo”.
A ‘Ownerd e-Sports’ oferece a Laís uma ajuda de custo de cerca de R$ 200, mais acessórios de computador, como teclado, mouse e fones. além das possíveis viagens para etapas mundial caso seu time chegue as finais.
Além dos 5 jogadores – Lais “Anak” Dias, Ericke “Erické” Maciel, Daniel “Rziha”, Thiago “Shark” Donola e Mario “Mariozito” Vicente, existem na equipe o representante externo da equipe – Luciano “Malkan”, o Manager Raphael “Kolisher” Magalhães, o Coach e Analista Técnico Guilherme “Orderon” Oliveira, o Coach e Analista individual Paulo “iRaziel” Reis e o Coach e psicólogo Thiago “Insanix” Carvalho que acompanham todo o trabalho de desemvolvimento da equipe.
De acordo com Laís somente para a primeira temporada do ‘Heroes of the Storm’ teve mais de 200 equipes inscritas, sendo quase 1000 atletas num jogo que foi lançado neste mês.
A premiação será de 25 mil dólares, sendo que as oito melhores equipes participarão da grande final da Copa América que classificará as equipes para o mundial com data a ser definido.
Laís está terminando o estágio, mas pretende ficar em Brasília para desenvolver ainda mais seu jogo, pois, existe a possibilidade do jogo crescer e com ele a criação de centros de treinamentos. “Está crescendo o número de equipe e de jogadores no jogo, com isso a chance de se desenvolver é ainda maior. É 95% de chance para dar certo”, finaliza.

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest