fbpx

SERÁ ESSE O PRENÚNCIO DO FIM DA ERA CÉLIO DE OLIVEIRA?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email
Share on print
Desde as eleições municipais de 2012 quando o prefeito eleito Célio de Oliveira ganhara com apenas 36% dos votos válidos estava mais do claro que não teria vida fácil. 
Pois, além disso, teoricamente teriam seis vereadores (três do PSDB e três do PT) na oposição. Configurando hoje o Ricardinho Castilho (PV) no lugar do Fabinho (PSDB) como opositor do governo do qual seu pai Ricardo Castilho é o vice-prefeito ausente. 
Mas, nesta semana um voto que parecia liquido e certo para aprovação do projeto de lei que dava uma gratificação para chefes de serviço com curso universitário fora da grade salarial da prefeitura de Penápolis não se concretizou. 
O único vereador do PSD (partido do prefeito), Caíque Rossi votou contra o projeto e de quebra ajudou a oposição a rejeitar o projeto de lei do prefeito Célio de Oliveira. 
A justificativa: “Não estava tranquilo para votar uma matéria dessa, pois, acabamos de sair de uma discussão que pede o aumento de salário dos agentes de saúde”. Na oportunidade, o prefeito Célio de Oliveira postergou para junho a resposta definitiva para os agentes de saúde. 
A postura do vereador “pegou” mal entre os parlamentares, principalmente, da base do governo. Segundo eles, não é vereador de grupo. 
O fato é que o vereador Caíque Rossi “segurou” praticamente sozinho as bordoadas da CIP (Contribuição de Iluminação Pública) e agora está tirando de suas costas qualquer matéria que possa manchar ainda mais a sua imagem. E quem sofre com isso é o próprio governo que não pode contar com o vereador do partido do prefeito. 
Será esse um prenuncio de que a era Célio de Oliveira terá seu fim em 31 de dezembro de 2016? 

ARQUIVADO EM:

Deixe sua opinião sobre o assunto...

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on telegram
Share on pinterest