fbpx

RESÍDUOS SÓLIDOS – RESPONSABILIDADE DE QUEM?

Na noite de quinta-feira (12), tive a oportunidade de participar da audiência pública promovido pelo Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis) sobre o Plano Municipal de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos que vem sendo debatido desde março do ano passado quando realizou a 11ª edição do Fórum de Saneamento Ambiental.

Na ocasião o engenheiro ambiental, Fabiano de Souza, da empresa Ambiental Costa Oeste Projetos Técnicos e Consultoria, apresentou o Plano de Resíduos Sólidos à sociedade.
Entre os presentes estavam o prefeito Célio de Oliveira, o vice-presidente da Câmara Municipal de Penápolis, Lucas Casella, a Diretora Presidente do DAEP, Silvia Sinkai, o Promotor do Meio Ambiente do Ministério Publico Estadual, Dr. Fernando César Burguetti e o Gerente da Regional da CETESB de Araçatuba, o engenheiro José Benites de Oliveira. 
MEDIDAS
O Plano de Resíduos Sólidos propõe diretrizes a serem cumpridas de imediato, a curto, médio e longo prazo, entre eles, a responsabilização não só do poder público, mas também da iniciativa privada quanto a obrigatoriedade de também apresentar um plano de resíduos sólidos. 
A regulamentação da política pública de resíduos sólidos em Penápolis, definirá responsabilidades tanto para pessoas físicas como jurídicas por meio da lei que será enviada em breve para a Casa de Lei, onde após aprovado será um marco histórico na gestão municipal de resíduos sólidos. 
De acordo com Sílvia Shinkai, o Plano Municipal de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos é o ponto de partida para ações que garantirão o bem comum e o interesse da coletividade.  

PELADA NO TENENTÃO

Penápolis, sete e meia da noite, terça-feira nebulosa. Dois times tentam suar o manto sagrado de duas importantes cidades – que carregam em si a terra de oportunidades. 

Município que acolheu centenas de imigrantes como italianos, suíços, espanhóis e japoneses – ascendentes diretos de um dos maiores símbolos de beleza – Sabrina Sato. Na outra ponta a São Bernardo do Campo – terra que foi um dos primeiros “palanques” de um dos maiores estadistas que tivemos neste país – Luiz Inácio Lula da Silva. 
Entraram em campo do majestoso estádio municipal “Tenente Carriço” para correr e assim abrir novos horizontes e perspectivas cumprindo o ditado: “Bola pro mato que é jogo de campeonato”. Torcida [mais de três mil presentes], gandulas, maca, juiz, jogadores juntaram-se a bola [razão pela qual todos estavam lá], para conquistar a liberdade na abstração de uma vitória. 
Começa o jogo, o Penapolense dá ares de que naquela noite a primeira vitória viria. Com o tempo, o time com idade entre 20 e 25 anos começou andar em campo, dando espaço e oportunidade do time do ex-presidente que aos 39 minutos do primeiro tempo, o estreante Lúcio Flávio numa pintura de cavadinha abriu o placar permanecendo até o fim.
Ao final, a torcida irritada com a apresentação do time vaiou: “Narciso burro”, “Timinho” e tantos outros que foram suficientes para tirar o técnico do sério e segundo o qual xingara a torcida. Isso foi o estopim para que no vestiário fosse demitido. 
E assim ficou. O campo, invadido pela sombra da derrota, deixando todos bem perplexo. 

➲➲➲ 50 FATOS SOBRE MIM

Sempre quis me aventurar pelo ‘youtube’. Já fiz algumas coisas que subi, mas nada pensando como um conteúdo. Com a reformulação do meu blog e a oportunidade de monetizá-lo tomei coragem para criar para outras plataformas que nem imagina estar. Ainda este mês estarei em uma das páginas da Revista Destaque – novo projeto editorial do Gilson Ramos do Jornal Interior. 
Agora a oportunidade de expor o que penso e o que sou para milhões de pessoas. Sim, milhões de pessoas. Então eu quero que vocês curtem o meu primeiro vídeo do ‘Vlog do Faria’. 

RUMO À SEGUNDA…SERÁ?

Foto: Miguel Schincariol / Ituano FC
É difícil fazer uma crítica em Penápolis, pois, os interlocutores  se sentem pessoalmente ofendidos sem saber separar o que é pessoal do que é público ou privado. 
Não podemos negar o que o Nilso e a família Moreira fizeram pelo Clube Atlético Penapolense e consequentemente a Penápolis. Em uma ascensão meteórica do time da terra de Maria Chica sair da terceira divisão para a elite do maior campeonato estadual do Brasil. 
A visibilidade que Penápolis alcançou foi graças aos belíssimos times que a diretoria penapolense montou. Um dos responsáveis é o talentoso gerente de futebol Paulo Rogério de Carvalho, ex dirigente do Santos Futebol Clube trazendo a experiência de uma grande agremiação. 
Entretanto, neste ano o meio de campo do time está sem cérebro, perdemos o Guaru [nosso eterno maestro], o camisa 10 que chamava a responsabilidade pra si. Tínhamos Liel um volante raçudo que fazia dupla com o Washington tornando-se um dos melhores do Paulistão 2014; e Petros que pelo ótimo campeonato paulista foi contratado pelo Corinthians [na época o presidente prometera um novo Petros], porém, é uma equipe apática, acéfala, que não cria nenhuma oportunidade de gol. 
O nosso camisa 10, Wellington Bruno, apagado nos três jogos, não criando nada. Com isso o bom atacante Crislan só consegue marcar se for bola parada como no último jogo ou numa falha da defesa do São Paulo que ele com faro de gol não perdoou. 
Mesmo que com dois meses de preparação, ainda sim, sentimos que falta muito para esse elenco ter o entrosamento daquele time que registrou na história a nossa primeira semifinal do Paulistão. 
Se continuar assim, lamentamos profundamente, pois, com o elenco do jeito que está não continuará no Paulistão, amargando a segunda divisão em 2016.

Não foi atoa que parte da torcida capeana começou a gritar o nome de Guaru, com grande saudades do ídolo. Não tenho dúvida que no jogo contra o Rio Claro, o meia será ovacionado. 

Mas, continuarei acreditando que o Penapolense dará a volta por cima e já no próximo jogo contra o São Bernardo na terça-feira. Não vamos desistir nunca, afinal: “Vamos ganhar CAP”.

Qual a sua opinião? 

MORTE POR DENGUE

A Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis, veiculou nos jornais impressos do município a notícia de que a morte do jovem Daniel Brandão, de 33 anos, na última quinta-feira, 5, pode ter sido causado pela dengue, pois, os exames davam como positivos. 
Entretanto, a assessoria afirmou que mesmo a vítima ter contraído a doença, não se pode confirmar a causa real do falecimento visto que estão em andamento uma série de exames e investigações sobre a morte do jovem. 
De acordo com a nota, Daniel integrava o chamado grupo de risco, que é formado por pacientes que tenham, por exemplo, doenças como câncer e diabetes, doenças hepáticas, hipertensão, pessoas que fizeram transplantes, crianças até 10 anos, idosos e gestantes. 
Já o secretário municipal de Saúde, Alex Marques Cruz, revelou que estão sendo recolhidos prontuários existentes com outros médicos, com os quais o paciente se tratava do seu problema. Por esta razão, a análise do caso ainda deve levar mais alguns dias para ser concluída. 
BOLETIM
De acordo com o Serviço de Vigilância Epidemiológica, Penápolis registrava, até o dia 6 de fevereiro, 256 casos positivos da doença, 885 casos notificados e 596 que aguardam a confirmação do exame de sorologia da dengue. 

DOS BASTIDORES À TONA!

Depois de quase um ano sem escrever sequer uma ‘palavrinha’ na minha coluna semanal, limitando apenas a dar meus pitacos em artigos sobre assuntos diversos, volto com todo gás para dar luz aos bastidores, principalmente, o que ocorre nos corredores da política local. 
VISITA 
Como é de costume a Câmara Municipal de Penápolis em sua sessão inaugural convida os mandatários do poder executivo para explanar sobre a real situação do município. E como não podia ser diferente o prefeito Célio de Oliveira foi convidado pelo terceiro ano consecutivo. 
VISITA II
Célio de Oliveira que tinha 15 minutos para expor os programas e projetos desenvolvidos pela administração municipal no ano de 2014, resolveu abrir mão e classificando a atitude como – “oportunidade para ter uma conversa franca sobre os rumos da cidade”. 
ANSIEDADE
Todos os vereadores estão ansiosos para ter esse ‘dedinho de prosa’ com o prefeito e o metralhou de perguntas. Quase todos eles fizeram pelo menos três perguntas, ao passo que o prefeito tinha dois minutos para responder as questões. E é claro, não respondeu dentro do tempo regimental.
QUESTÕES
Entre as diversas questões abordadas estavam sobre a Reposição Salarial dos Servidores Municipais, Auxílio Combustível para estudantes, sobre a Epidemia de Dengue no município, Precatórios, Orçamento Subestimado, Centro Popular de Compras, Núcleo Urbano de Moradias, Transporte de alunos, Fiscalização de Horas Extras, Tarifas Progressivas para terrenos, CIP e possíveis denúncias sobre a compra de lonas. 
REPOSIÇÃO SALARIAL
Sempre no início de cada ano, a reposição salarial dos servidores públicos volta à tona com discussões acaloradas, tendo que ter habilidade para resolver sem criar nenhuma rachadura entre as partes. Em 2015 não será diferente, entretanto, o anúncio do prefeito de que os 5,6% de repasse inflacionário de 2013 já teriam sido incorporados no vale alimentação pegaram todos de surpresa. Isso vai dar muito o que falar!
REPOSIÇÃO SALARIAL II
Segundo informações do próprio governo é de que as negociações estão afunilando e nesta semana os diretores do Sindicato dos Servidores Públicos de Penápolis sentarão com o prefeito Célio de Oliveira para ouvir oficialmente a proposta para após levar em plenária em reunião ainda a ser marcada. 
DAQUI AQUI, TIRA ACOLÁ! 
Em 2014, o governador Geraldo Alckmin veio em duas oportunidades no município. Nelas anunciaram a construção de duas rotatórias e a vinda do Poupatempo e AME Mais. Mas após os “mimos” para a cidade vem a fatura né!? Agora o governo municipal, caso queira transportar os alunos das escolas estaduais terão que pagar do bolso. Como também é o caso do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) se quiser ficar com o serviço terá de pagar o aluguel do prédio. São verdadeiros presentes de grego. 
HORAS EXTRAS
Durante a sessão o vereador Ricardinho Castilho (PV), um dos opositores ao governo Célio de Oliveira lhe questionou sobre o aumento das horas extras. O prefeito expôs que a única forma de conceder o repasse inflacionário aos servidores seria através da diminuição das horas extras e determinou aos secretários a tarefa de fazer o controlar, mas com sua supervisão direta. 
LONA
O vereador Prof. Luiz (PSDB), fez graves denúncias sobre a compra de lonas de propaganda pela prefeitura, principal, para o Instituto Municipal de Profissões. O prefeito disse que denúncias tem de ser apuradas; mas que não permite e não permitirá nenhum tipo de corrupção, pois, seu governo não é conivente com desonestidades. E propôs abrir as contas bancárias e telefônicas seus e de seus secretários. Mas salientou, que esse tipo de denúncias chega beirar a leviandade. 

CONSELHO APROVA REAJUSTE DE 12% NA ÁGUA DO MUNICÍPIO

Desde o dia 28 de março de 2014, fui designado pelos usuários dos serviços do DAEP (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis), através do voto popular, um dos representantes no Conselho Gestor de Saneamento Ambiental. Nele entre outros assuntos discute o aumento das tarifas de água, esgoto e lixo. E eu sabia desde início que esse dia chegaria. E chegou!
Pois bem, na manhã de hoje (5), o departamento colocou em pauta o reajuste. Na hora pontuei que as informações com as razões do porque do aumento deveriam ser enviadas anteriormente para tempo de análise do próprios conselheiros, pois, poderiam votar sem convicção um aumento que afetará 100% da população. Entretanto, o Conselho Gestor decidiu pela aprovação do reajuste anual com índice de 12% no valor da tarifa de água. E eu e mais um conselheiro nos abstemos, pois, entendiamos que já pagamos tanto imposto – vide os aumentos da energia elétrica e dos combustíveis. 
Entre as justificativas estão os possíveis aumento salarial e de vale alimentação para 2015, a necessidade de contratação de pessoal, um percentual de investimento de pelo menos 8% e projetos de melhoria da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), bem como, a desassoreamento da 1ª lagoa de tratamento. 
Um imóvel com o consumo médio mensal mínimo de 5 metros cúbicos passará a pagar, com o reajuste, R$ 15,48 (água e esgoto), contra os atuais R$ 13,82.
Ainda assim, conforme os estudos apresentados pelo DAEP, a água em Penápolis continuará a de menor valor cobrado entre várias cidades da região. Em pesquisa de mercado em valores de janeiro, revelam que em Lins o consumidor paga pelos mesmos 5 metros cúbicos R$ 31,22. Em Araçatuba este valor é de R$ 25,68 e em São José do Rio Preto é de R$ 23,80.
Para aprovar o reajuste, o Conselho Deliberativo levou em consideração o fato real de que no Daep a folha de pagamento do departamento está em 51,39%, mas dentro do valor prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal de 54%. Também o aumento da energia elétrica que pela informação deverá atingir em média 12,73%, como também, o recente aumento dos valores de combustíveis e de produtos para o tratamento da água. 
Para chegar no índice o DAEP apresentou planilhas com os custos de cada um dos gastos, menos os possíveis impacto que esse aumento fará na arrecadação mensal a mais pelo departamento. 
REAJUSTES
Com informações do INTERIOR que publicará matéria sobre o reajuste, a tarifa de água já teve aumentos bem maiores no passado. O maior deles, por exemplo, nos últimos 17 anos, ocorreu em 2005, primeiro ano da primeira gestão do ex-prefeito João Luís dos Santos (PT), quando foram concedidos 20,20%, assim distribuídos: 10% em março e 3% nos meses de maio, julho e setembro. 
Em 2006, o aumento foi de 16,81% também escalonado (8% em maio e 4% nos meses de junho e junho). A mesma política de preservação do Daep pela compensação das receitas deu-se no ano seguinte, com o reajuste de 16,60% (10% em fevereiro e 6% em março).
Neste período, apenas nos anos de 1999, 2000 e 2004 (governo Firmino Sampaio) não houve reajuste de tarifas de água e esgoto. Por esta razão a gestão anterior justificou necessidade de recompor as finanças do Daep. Em 2013, primeiro da administração do prefeito Célio de Oliveira, o aumento foi de 8%. E no ano passado o reajuste foi de 10%. 
Os reajustes sempre foram maiores que a variação da inflação. Em 2004, quando não houve aumento na tarifa, a inflação de 2003 foi de 8,69%, conforme índice IGP-M FGV. A inflação de 2004, agora pelo índice INPC, foi de 12,41% e o reajuste da água em 2005 alcançou 20,20%. Em 2006 a tarifa subiu 16,81% contra uma inflação em 2005 de 1,20%.

DIA HISTÓRICO, MAS PREOCUPANTE!

Foi surreal. Ver o estádio Tenente Carriço lotado para assistir o São Paulo de Muricy, Rogério Ceni e Luís Fabiano – o Fabuloso [que fez aqui o seu 200º gols pelo tricolor] foi realmente mágico.
Por eu ter comprado o passaporte tive que obrigatoriamente assistir o jogo na torcida capeana. Não que isso seja demérito, mas, é que na primeira vez em 2013 eu também tinha assistido na torcida do pantera da noroeste. Queria desta vez estar do lado de lá para ver e sentir o jogo de outro ângulo.

Bom jogo, que mesmo com o calor [com sensação térmica de “Saara”] não abalou a vontade dos jogadores em campo, que buscou o tempo todo o gol. E gol não faltou. Gol de fora da área, gol histórico e gol sem querer [que aliás o Jaílton tá virando especialista em gols contra para o São Paulo].
Ao final do jogo, minha noiva e eu [ela comemorando seus 27 aninhos] foi “tietar” os jogadores do tricolor, afinal de contas, não é todos os dias que vemos tão de perto ídolos do futebol brasileiro. E Amanda aguentou pacientemente um por um para que eu pudesse tirar fotos e desejar sorte para a caminhada que nos levará aos quarto título na Taça Libertadores da América.
No caminho de volta pra casa e ainda perto do estádio vimos o quanto os seres humanos não tem consciência do quão prejudicial é jogar lixo nas ruas. Além de ter uma aparência feia, sabemos que se não reutilizado direito pode trazer graves problemas ao meio ambiente.
Analisando o entorno do estádio não vemos nenhuma lata de lixo para que possam jogar o ‘lixo no lixo’, mas o pior é que dentro dele também não. [Pelo menos eu lembro que não!] E isso em uma cidade que está prestes a ter um Plano Municipal de Resíduos Sólidos.
Como dica pedimos que as autoridades, bem como, os dirigentes do Penapolense possam disponibilizar latões de lixos recicláveis, como também, realizar uma belíssima campanha de conscientização, diminuindo assim, o volume de lixo produzido nas portas do pequeno mas charmoso Estádio Tenente Carriço.

E você? Qual foi a sua impressão do jogo? 

FANÁTICOS FC

(Da dir. para esq.) Gabriel, o pequeno Lucas de 5 anos, Lucas Brito e Diego são apaixonados pelo tricolor paulista
A frase “Ser tricolor não é uma questão de gosto ou opção, mas um acontecimento de fundo metafísico, um arranjo cósmico ao qual não se pode, e nem se deseja fugir” escrita por Nelson Rodrigues em alusão ao tricolor das laranjeiras cabem perfeitamente no contexto de hoje à tarde no estádio Tenente Carriço. 
O Penapolense, considerada ano passado a melhor equipe do interior paulista, sendo ela tricolor – azul, vermelha e branco enfrentará pela segunda vez na história o tricolor paulista – hexacampeão brasileiro, tri da libertadores e tri mundial e um dos maiores clubes do país. 
E nestes momentos de pura apoteose, muitos penapolenses ficarão com os corações divididos e com um dilema até minutos antes do jogo a escolher – ir em qual torcida? 

Para os jovens penapolenses Diego Casagrande, de 24 anos, Lucas Brito, 19 e, Gabriel Parpinelli Chaves, 18, a escolha já está feita – irão na torcida do tricolor da capital. 
Mesmo que acompanhando a ascensão da pantera da noroeste que o levou a elite do futebol paulista, eles de certa forma nasceram em berço são-paulino. 
Diego e Lucas, por exemplo, seus pais são torcedores fanáticos do melhor do mundo e essa identificação com o clube foi inevitável, principalmente, após o título mundial de 2005. 
Já Gabriel nasceu em um berço corinthiano, o fazia daquela pequena criança – um menino triste. “Eu nunca gostei do Corinthians, algo dentro de mim não me identificava com aquele clube. Hoje eu entendo que aquelas cores opacas não significava nada pra mim”. 
Segundo ele, o encontro com o tricolor foi graças ao seu mais novo vizinho – Lucas Brito. “Na época eu já meio que torcia para os dois, pois, precisava agradar a minha família. Mas com o tempo, o pastor Lucas [fazendo uma brincadeira com seu amigo que o apresentou o tricolor paulista] me apresentou o evangelho tricolor e agora estou convertido de vez ao manto tricolor e ao mito dos mitos – Rogério Ceni”, lembra.
Gabriel complementa dizendo que um grande amigo é sócio torcedor do clube e que voltou de lá contando detalhes como: “Nenhum jogador tem vaidade, isso a própria diretoria corta na época da contratação, sem que contar que a própria diretoria é muito integra, tornando-se o melhor clube do mundo”. 
Atualmente, tanto Gabriel, como Lucas e Diego fazem parte de um grupo ‘soberanos’ no whatsapp que trocam informações sobre o tricolor na capital e dividem a ansiedade de rever o São Paulo nos campos do Tenentão. 
“Pra mim não importa se é o time titular ou o reserva, a emoção de ver o meu tricolor não tem preço, até mesmo perdi o segundo dia do Enem para assistir um jogo na capital”.  
“Nós temos uma foto com todos os membros da minha família, devia ter umas 20 pessoas na foto, todas elas com a camiseta do São Paulo”. 
Recentemente mandei recado para todos os jogadores do São Paulo que eu seguia no Instagram na esperança de tirar uma foto e receber um autógrafo no dia do jogo e não é que o atacante Jhonatan Cafu recém contratado do tricolor me segue agora”, comenta Lucas.
Diego já comprou o ingresso para o grande jogo que terá estrelas do futebol brasileiro
Em muitas das boas histórias para contar Diego lembrou da sua primeira vez no Maracanã num jogo entre Flamengo e São Paulo. “Eu fui no templo do futebol brasileiro – Maracanã. Lá é mágico e olha que eu fui antes da reforma para o mundial. Se já era lindo daquele jeito, imagina hoje”. 
Mas Diego também teve que assistir a final da libertadores de 2005 de dentro da Santa Casa de Misericórdia. “No dia do jogo eu fui subir no telhado de casa e acabei caindo e quebrando meu pé. Assisti o jogo com um senhor que nunca tinha visto na vida numa televisão pequena”. 
CORAÇÃO DIVIDIDO
E não é de hoje que o radialista e há três anos prefeito de Penápolis, Célio de Oliveira, não esconde sua paixão pelos dois clubes. 
Ele que desde criança acompanhava as partidas do Penapolense no Tenentão sabe o quanto é importante para um time do interior paulista estar na elite do futebol paulista por três anos seguidos. 
“Essa partida trará mais uma vez a sensação única, ver minhas duas paixões em campo. É muito bacana de estar acontecendo novamente”, revela.
Apesar desta emoção, ele já decidiu que torcerá pelo CAP. “O Penapolense é meu primeiro time e torço para ele desde menino e sempre acompanhava os jogos no estádio, por isso torcerei pelo CAP”. 
Célio de Oliveira transmitirá meio tempo da partida pela Rádio Difusora (820 AM), voltando ao posto de locutor. 

BATE CORAÇÃO!

Nasci numa família tradicionalmente são-paulina [pelo menos os mais inteligentes dela são tricolores rs!] meu avô, meu tio, meus irmãos e vários primos e primas. 
Vi o São Paulo de Telê Santana, Zetti, Cafu, Toninho Cerezo, Pintado, Raí, Muller e Palhinha serem bicampeões da libertadores e mundial em 1992 e 1993. Vi também o time de 2005, 2006, 2007 e 2008 campeões de libertadores, mundial e três vezes brasileiro, fortalecendo ainda mais o meu amor por esse grande clube, que a cada ano mostra-se ser ainda maior. 
Muitos de vocês sabem que nasci na terra da garoa, mas foi aqui no interior paulista [no sertão desconhecido por muitos] que me formei e sou o que sou. 
Nem nos melhores sonhos imaginaria que um dia aqui em Penápolis eu e tantos outros são-paulinos iriam ver o tricolor paulista jogando nos gramados do Estádio Tenente Carriço. 
Pois bem, no dia 03 de março de 2013, o que poderia ser um desejo utópico isso se realizou. O São Paulo FC entrara em campo com aquele que pra mim se tornaria uma segunda paixão. 
Acompanhei de perto a trajetória do CAP (Clube Atlético Penapolense) durante o campeonato de 2011 onde sagrou-se campeão paulista da série A3. Em 2012, de forma inesperada até mesmo para os dirigentes do “Pantera da noroeste”, conseguiu o acesso para a elite do futebol paulista. 
E logo no seu primeiro jogo contra um dos grandes – Palmeiras – eles mostraram para o que vieram e ganharam dos porcos em pleno Pacaembu por 3 a 2. 
Mas, para história, ficaria a primeira recepção de um time grande na pacata Penápolis. Estádio lotado e com ele a festa que o esporte pode proporcionar. Todos estavam atônitos querendo um “beslicão” para cair na real, saindo de um sonho ilusório, para a realidade presente e perpetuada naquele momento. 
Confesso que até momentos antes da partida, eu estava em dúvida em qual portão entrar. Mas acabei dando a oportunidade para o caçulinha  tanto do campeonato, como do meu coração. 
Bom o jogo acabou 2 a 0 para o tricolor paulista com gols de Rhodolfo e Ademilson, agora a história não, que por sinal se repetirá neste domingo com a presença do grande M1TO Rogério Ceni. 
E sinceramente não sei para que lado torcer!? Bate coração! 

SOBRE A REUNIÃO PÚBLICA DA DENGUE

Na noite de ontem, a Câmara Municipal de Penápolis foi palco da primeira reunião pública sobre a dengue no município de Penápolis. 
Estiveram na mesa cumprindo as formalidades o presidente do legislativo municipal, Alexandre Gil de Melo (PT), o secretário de governo e gerência da cidade, Coronel Daniel Rodrigueiro, o secretário de saúde, Alex Marques Cruz, o coordenador da vigilância epidemiológica Wladimir Marangoni e os representantes da Sucem, Clélia Moura e Sandro Garcia. 
Na oportunidade, o representante da vigilância fez uma apresentação relatando a situação da dengue no mundo e no município. No planeta existe em média 100 milhões de casos por ano. Sendo que desses 500 mil teve dengue hemorrágica, dos quais 22 mil vieram a óbito. Em Penápolis, os anos que deram maiores incidências da doença, foram nos anos de 2007 e 2010. Este último com exatos 1.740 casos positivos.

De acordo com a Clélia Moura, existe sim uma elevação em números de casos de tempos em tempos, geralmente, de 4 a 5 amos, pois, os mosquitos transmissores evoluem e transformam qualquer tipo da doenças cada vez mais resistentes. 
Vieram a óbitos apenas dois casos – um em 2010 e 2012, mas esse ano já tivemos a morte de morador de Luiziânia que fora transferido para o município de Penápolis. 
Segundo as informações da prefeitura foram retirados na primeira etapa do arrastão mais de 207,7 toneladas de lixo das casas dos munícipes, sendo que 37% foram de materiais inúteis. Até a noite de ontem foi notificados 481 possíveis casos de dengue no município, destes 188 deram positivos. 
O secretário de saúde disse que não é necessário fazer uma grande ação, pois, é necessário o trabalho de conscientização. Já o secretário de governo relatou o empenho que a prefeitura e o corpo de servidores públicos (entre 120 a 150 pessoas) estão colocando para cumprir a ‘nota de serviço’ instrumento criado para o acompanhamento pessoal das autoridades. Entre as ações estão a distribuição de panfletos informativos em casa a casa, bem como, na coleta de detritos das residências. Na primeira etapa foram 75 notificações. 
Ele comentou ainda que pelo o prefeito Célio de Oliveira ter decretado situação de emergências algumas leis são flexibilizadas e assim o serviço público torna-se mais ágil. Com isso, haverá a contratação de nossas equipes temporárias, bem como, de uma empresa para fazer a pulverização nas residências do município. 
Perguntei sobre os possíveis casos não notificados, principalmente, por hospitais e laboratórios particulares do município e o coordenador da vigilância epidemiológica Wladimir Marangoni comentou que um funcionário é responsável por passar em cada um desses espaços e coletar as informações. 
Vale lembrar que normalmente os índices começam a cair no início de abril, portanto, nós temos ainda pela frente mais dois meses de luta contra a dengue. 
Simbora nesta causa?

PENÁPOLIS CONTRA A DENGUE

Hoje eu conversei por telefone com o presidente da Câmara Municipal de Penápolis, o vereador Alexandre Gil de Melo (PT), sobre a reunião que acontecerá amanhã, 29, às 19h, na Sala Pereira Filho, sobre a dengue. 
Segundo ele, foi convidado além da Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância Epidemiológica, os membros do Pronto Socorro, da Santa Casa de Misericórdia de Penápolis, Sucem, Comitê de Combate a Dengue e da DRS (Diretoria Regional de Saúde) da cidade de Araçatuba para explanar sobre a real situação da proliferação da doença no município. 
De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, a situação é de emergência, pois, já foram confirmados 158 casos de dengue e 484 notificações a serem realizados todos os exames necessários. Neste caso, isto é, segundo informações extraoficiais faltam apenas 20 casos para se declaram epidemia. 
Durante a reunião, o vereador e toda a população poderão tirar dúvidas sobre quais serão os próximos passos da prefeitura para conter a proliferação do mosquito e assim prevenir novos casos da doença. 
E você está preocupado com a onde de dengue na cidade? 

AMEAÇA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

No dia 22 de janeiro, a FENAJ [Federação Nacional dos Jornalistas] divulgou o relatório anual sobre a violência contra jornalistas e liberdade de expressão. 
O relatório com mais de 50 páginas traz todas as informações sobre os três assassinatos de jornalistas – dois nos estados do Rio de Janeiro e um na Bahia. 
No documento, a entidade lembra que a segurança é fundamental para garantia da liberdade de expressão e de imprensa garantida do artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos – sendo assim, nenhum jornalista poderia ter sido vítimas de violências, na tentativa criminosa de silenciar os que têm por ofício dar voz. 
A maioria dos casos são no estado de São Paulo – 37 casos, quase 29% dos casos brasileiros. Entre os gêneros 76,74% são homens e trabalhadores de jornais impressos como eu – 32,5%. 
Estes números só reforçam o quanto o trabalho do jornalista deve ser cada dia mais valorizado, tanto pela sociedade, como também, pelos empregadores – que em muitos casos são os próprios ‘patrões’ os causadores dos males. 
LIBERDADE DE IMPRENSA AMEAÇADA
Desde a minha entrada na faculdade de jornalismo tenho a consciência exata do meu papel para a sociedade. Tanto é que qualquer tipo de ameaça a minha liberdade eu já denuncio de primeira.
Foi isso que aconteceu em um jornal do município quando assinava uma coluna semanal – primeiro o ‘Sumeriando’ e posteriormente o ‘Blog do Faria’. Ao ser cerceado, por motivos econômicos anunciei publicamente o meu desligamento. 
Em outro caso, após uma postagem neste blog fui ameaçado, com promessas do interlocutor dizendo: – que eu perderia meu emprego. Isso até agora não se confirmou e olha que já fazem seis meses. 
Tenho certeza que outras ameaças virão, afinal de contas, eu me formei para dar ‘luz’ onde estava escuro/obscuro. E como dizia Tom Zé: “Eu tô te explicando pra te confundir/ Eu tô te confundindo é pra te esclarecer/ Eu tô iluminado/ Pra poder cegar/ Tô ficando é pra poder guiar”. 
Mas fique bem claro – NÃO ME CALARÃO e buscarei sempre fazer um jornalismo ético, justo e transparente. 

GRUPO DE MAMÃES SE UNE PARA FAZER O BEM ÀS FAMÍLIAS DE PENÁPOLIS

Disponíveis para o bem, elas arrecadam alimentos e roupas para aos mais necessitados fazendo a alegria de muita gente

Grazielli brinca com uma das crianças durante entrega de presente do natal organizado pela associação

Em outubro do ano passado, Danielle de Menezes, 35 anos, querendo ajudar algumas famílias do município, resolveu fazer uma chamada pública na rede social Facebook para ver se existiam outras mães interessadas em também colaborar. Pois bem, horas depois apareceu Grazielli Grupo Leite, 29, que ela denomina: “a benção que chegou na minha vida”.

Danielle e Grazielli que até então não se conheciam, encontraram na ação das “Mamães do Bem” um estilo de vida. Atualmente, elas não trabalham fora, dedicando exclusivamente ao lar e as funções da associação. À noite Danielle trabalha na lanchonete de seu marido. Já Grazielli se diz formada em ser mãe e atua nos finais de semana como professora na escolinha dominical da Igreja Assembleia de Deus – Ministério de Penápolis.

Elas se juntaram a outras onze ‘meninas’ (Karine Ortiz, Suzana Rebesco, Cristiane Figueiredo, Gabriela Gaspar Gimenes, Bia Moura, Poliana Teixeira Patricia Lima, Roanita Domingues, Graziele Munhoz, Viviane Farias, Biah Aniceto e Nanccy Rocha), que entraram posteriormente e formaram a Associação Mamãe do Bem – grupo de mães ‘super poderosas’ que dão assistência a outras famílias do município de Penápolis.

“Eu fiz o convite em outubro e em novembro nós começamos os trabalhos. A primeira grande ação foi arrecadar presentes para doar no natal a crianças dos bairros Gualter Monteiro e Silvia Covas, nós tínhamos cerca de 100 presentes e não deu pra quem queria. Mas o que mais nos marcou foi que a maioria de nossos brinquedos era de meninas e quando acabou os de meninos, os próprios queriam receber os de menina só para dizer que ganharam um presente”, lembra.

Durante o natal, além dos brinquedos elas também entregaram cestas básicas às famílias que comprovadamente necessitavam. “Fomos recolhendo todos os alimentos que precisávamos, até que um senhor veio e nos doou várias outras cestas. Ele nos disse para irmos ao supermercado e comprar tudo o que precisávamos. E nós fomos e compramos quase R$ 400 em produtos, com isso, pode ter a certeza que ganhamos mais um parceiro para o projeto e que em outro momento ele vai ajudar novamente por saber que o trabalho é sério”.

PROPOSTA
Mas a ideia principal das “Mamães do Bem” é de ajudar a família como um todo, dando assistência no for necessário. “Nós já tivemos casos da mulher chegar aqui grávida de oito meses e não ter sequer uma roupinha, e nós com muito empenho conseguimos um enxoval inteiro”, comenta Grazielli.

“Buscamos aquelas mães que tiveram um filho recentemente e que não pretendem ter outro tão logo e que possam nos disponibilizar separando as roupinhas para doação”, completa Danielle.
Sem ideia, pelo menos inicial de não se formalizarem, a Associação Mamães do Bem entende que para ajudar cada dia mais famílias não precisaria da formalização de uma organização não governamental. “Nós sentimos muito o que as pessoas estão passando agora. Fome não espera né? E a burocracia que existe hoje limitaria nossas ações, então preferíamos ficarmos do jeito que está. Se lá na frente tornar um negócio maior do que nós, iremos registrá-lo”, comenta.

Todos os meses, as mamães fecham a lista dos ingredientes que compõem as cestas básicas e a partir de então vão captar as doações. “Nós desejamos encontrar parceiros que nos ajudassem mensalmente com uma cesta básica”.

Segundo elas, uma das maiores dificuldades é a incredulidade de algumas pessoas. “Já encontramos aqueles que nos perguntaram se não ficamos com as roupas que foram doadas. Daí nós as convidamos a vir com a gente em algumas das casas que frequentamos para verem a real situação daqueles que ajudamos, mas, geralmente elas não vão”, comenta Danielle.

Outra dificuldade é buscar todas as doações que chegam via grupos do Whatsapp e Facebook. “O difícil é buscar, pois, por ser um trabalho voluntário às vezes o combustível termina, mas, mesmo assim o nosso trabalho é tão gratificante porque vemos os sorrisos das crianças e da família no rosto, entretanto, se tiver alguém que quiser ajudar será super bem vinda”, salienta.

Os donativos são acondicionados numa das salas da casa de Danielle, que preparou o lugar para servir de estoque e atendimento.

IDENTIFICAÇÃO
Para facilitar a identificação, as “Mamães do Bem” confeccionaram uma camiseta que tem a menção das mulheres poderosas que são. “No nosso grupo além de mobilizar as meninas a participarem das ações solidárias, como as próprias coletas e doações, nós também ajudamos uma as outras dando conselho sobre muita coisa que acontecem em nossas vidas foram das Mamães do Bem”.

Para conhecer o trabalho desenvolvido pelo grupo e até mesmo colaborar, é disponibiliza uma página no Facebook onde se divulga a iniciativa de ser solidário e entrar na corrente do bem.
O endereço eletrônico é https://www.facebook.com/mamaesdobem.
Além disso podem entrar em contato pelos telefones 18 9 9806 6194 (Danielle), 18 9 9106 2881 (Grazielli), ou pelo endereço R. Jose Borges de Camargo 143, no Jardim Ipê.

DOAÇÃO FAZ CONHECER A DOR E REALIDADE

Danielle com uma das famílias beneficiadas pelas Mamães do Bem

Ao se solidarizar com as pessoas, inevitavelmente se acabará conhecendo melhor a sua realidade, sua dor, e se envolvendo e se emocionando com os dramas vividos. Aí se dá conta de que há pessoas em situações piores que a sua, e você só reclama.
Com o grupo “Mamães do Bem” não é diferente, e já se tem casos a relatar. Danielle de Menezes que encabeçou via redes sociais a mobilização de voluntárias para a causa social, até se emociona quando testemunha os vários problemas
“Nós temos histórias que nos emocionam completamente”, essa é uma das frases de Danielle que relata com os olhos marejados, por exemplo, a história de ‘Seu Sebastião’, que após sofrer um acidente, hoje vive com múltiplas convulsões. Ele e a mulher Dona Cida cuidam de seus netos e no dia que o grupo das mamães foi à sua casa aconteceu o seguinte diálogo:
“-Seu Sebastião já jantou?
Ele: -Nem jantei e nem almocei, porque se eu comer, meus netos ficam sem comida.”
Ao ver os alimentos que as voluntárias levaram, Sebastião chorou.

Um outro caso é de um garoto chamado Bruno, atualmente com quatros anos, designado pelos médicos por ter fibrose cística, uma doença hereditária comum, que afeta todo o organismo, causando deficiências progressivas com característica cicatrizante de formação de cistos no interior do pâncreas e, frequentemente, levando à morte prematura.

Ele recebia ajuda das ‘mamães’, quando sua mãe agradeceu-o dizendo que não precisaria mais, pois, Bruninho tinha conseguido aposentar. Danielle quis mostrar que há pessoas que quando conseguem um outro tipo de ajuda, libera para que outros necessitados também sejam socorridos.

BOMBOM
O primeiro caso das ‘Mamães do Bem’ foi a história de Davi, que em época de Natal foi perguntado o que queria de presente e surpreendentemente pediu bombons.  “Na hora pedi pro meu marido buscar um bombom e quando ele trouxe uma caixa, ele não acreditava que aquilo tudo era seu, fazendo que pulasse de alegrias. Não esquecendo-se de sua mãe, lhe ofereceu também não resistindo e saboreando com o filho” – relata.

“Essa atitude fez com que o menino acabasse com a lombriga. Eu fico imaginando, nós temos tanta coisa em casa com muita fartura, nem que seja um pacote de bolacha, isso ou outras coisas que temos condições de comprar. Em minha casa haviam coisas que acabavam estragando porque não se consumia. Hoje aprendemos a dar valor e a compartilhar”, testemunha Danielle.

#CULT | FIM DE SEMANA COM EXPOSIÇÃO, TEATRO E MÚSICA

O espetáculo “Circulando”, da Gentalha Cia de Teatro, será apresentado no sábado, às 17h e no domingo, às 16h
Começou ontem, 22, mais um final de semana cultural no CEU das Artes. Durante a semana, a exposição “Geometrias Urbanas”, do artista plástico William Menkes está aberta a visitação. Toda quarta e quinta-feira, das 13h às 17h, os visitantes podem conversar diretamente com o artista. A exposição prossegue até o dia 29 de janeiro. 
Já na sexta-feira, dia 23, o dueto composto por André Souza e Zezinho Sanfoneiro, apresenta o show Baião de Dois às 19h. O repertório traz músicas de grandes artistas como Alceu Valença, Zé Ramalho, Dominguinhos, Elba Ramalho, Luiz Gonzaga e Fagner, apresentando ao vivo o melhor do ritmo nordestino e suas raízes.
TEATRO
O espetáculo de rua “Circulando”, da Gentalha Cia de Teatro de Penápolis, se apresenta no sábado, dia 24, às 17h e no domingo, dia 25, às 16h. A peça utiliza da linguagem do circo-teatro para mostrar a realidade de Doni e Bininha, um casal de palhaços que após o fechamento do circo onde trabalhavam, se vêm obrigados a se aventurar por novos caminhos, inclusive as ruas, na busca da redescoberta de sua arte e sua relação com o público. 
Agora, desfalcados pela falta de estrutura e até mesmo pela ausência dos amigos artistas, tentam mostrar um pouco daquilo tudo que aprenderam durante os longos anos vivendo em baixo da lona, mesmo que nem sempre obtendo sucesso na realização de seus números.
AÇÃO CULTURAL
Todas essas ações fazem parte do projeto de Ocupação do CEU das Artes, que é desenvolvido pela Funarte (Fundação Nacional de Artes) do Ministério da Cultura, através do Projeto Povoarte.
Vale lembrar que todas as atividades têm entrada franca e estão abertas a toda comunidade.  
SERVIÇOS 
Exposição Geometrias Urbanas 
Às quartas e quintas-feiras das 13h às 17h. 
Show Musical: Baião a Dois, 
com André Souza e Zezinho Sanfoneiro 
Sexta-feira, dia 23/01, às 19h. 
Espetáculo Teatral: “Circulando”
da Gentalha Cia de Teatro
Sábado, 24/01, às 17h e 
Domingo, 25/01, às 16h. 

EXISTE EXTREMA POBREZA EM PENÁPOLIS?

Sim, existe extrema pobreza em Penápolis. Quem confirma tal afirmação são os relatórios do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que após o Censo IBGE de 2010 sistematizou em documento.

Nele afirma que dos mais de 58 mil habitantes, o município possuía 504 pessoas que se encontravam em situações de extrema pobreza, vivendo com uma renda per capita abaixo de R$ 70.

FAIXA ETÁRIA

O que mais me chamou a atenção foi pro número de 43 crianças de 0 a 3 anos que estão sofrendo com essa situação. Entre as idades de 15 a 17 anos, apenas onde estavam nesta situação, mas que calculado na faixa etária de 0 a 17 essa número a 27, 9% dos penapolenses.

GÊNERO

Entre os gêneros 52,3% são mulheres e 47,7% de homens. Já os brancos, sim os brancos, são a maioria absoluta a baixo na linha da pobreza. Na época eram 62, 9% do total.

EDUCAÇÃO

Na educação, das pessoas com mais de 15 anos, 50 não sabiam ler ou escrever, representando 13,8% dos extremamente pobres, sendo que, dentre eles, 33 eram chefes de domicílio.

SANEAMENTO BÁSICO

O relatório por fim que 16 pessoas, 3,1% do total, viviam sem luz e 50, 10,0%, não contavam com captação de água adequada em suas casas.
100 ou 19,9% não tinham acesso à rede de esgoto e ao lixo coletado.

Precisamos saber como que está hoje, após, quase cinco anos do relatório. Será que diminuiu? Será que aumentou? Como você acha que está?

apoie o jornalismo independente