fbpx

PITACOS #63 – Representação contra o presidente em exercício Evandro Tervedo de Novaes

Judicialização
Após algumas tentativas de colocar na ordem do dia a leitura de representações contra o vereador e presidente em exercício Evandro Tervedo Novaes (DEM), precisou o judiciário intervir e através de liminar expedida na tarde de quarta-feira (1º) pelo juiz da 4ª Vara de Penápolis, Dr. Heber Gualberto Mendonça, fez com que o 1º secretário da Câmara de Vereadores, Bruno Marcos (PSD), lesse os motivos da denúncia.

Liminar
A liminar foi solicitada pelas advogadas do Partido da República, após a ausência de leitura na sessão ordinária do dia 20 de fevereiro, onde houve descumprimento do Regimento Interno da Câmara de Vereadores, no qual obriga colocar em sessão imediata. Como não houve o cumprimento, o juiz concedeu a liminar determinando a leitura na noite de anteontem.

Descumprimento
Caso o vereador Bruno Marcos descumprisse a liminar o juiz fixou multa de R$ 5 mil por cada sessão em que fosse feita sem ser pautado/lido o pedido administrativo de extinção do mandato. Contudo, após muito bate-boca o vereador cumpriu a liminar e leu na integra os motivos pelos quais o PR pede a extinção do mandato de vereador de Evandro Tervedo Novaes.

Expectativas
Quem acompanha in loco a Câmara de Vereadores, ficamos todos na expectativa do que iria desenrolar nos próximos capítulos dessa longa história. Iria a Mesa Diretora descumprir novamente o regimento interno e desta vez uma liminar judicial? Ou iria finalmente ler a representação do Partido da República? A expectativa ficava ainda maior com cada minuto de atraso para começar a sessão ordinária. Foram exatos 34 minutos de atraso. A demora, entre outras coisas, foi uma reunião do presidente com a banca do PSD.

Recusa
Teve um momento, já no Grande Expediente, que o vereador Bruno Marcos pediu para o presidente em exercício a palavra e o mesmo fazendo um sinal pediu calma ao vereador que estava nitidamente nervoso com o que viria acontecer. O presidente em exercício procrastinou até onde pode, inclusive lendo todos os requerimentos e moções para depois entrar na discussão do mérito da representação – agora sem ter como fugir.

Primeira tentativa
O vereador Bruno Marcos após ler trecho da liminar impetrada pelo Juiz de Direito, tentou de certa forma eximir-se da prerrogativa de colocar em pauta a representação. Ficou claro à todos que sua fala foi escrita por um dos dois advogados (da Câmara ou contratado pela presidência) tentando burlar o regimento da Câmara de Vereadores dizendo que não tinha competência enquanto 1º secretário e que isso caberia à presidente – isto é, do próprio réu.

Segunda tentativa
O presidente em exercício, Evandro Tervedo Novaes, quis dar no jargão popular ‘de João sem braço’ – já que o 1º secretário não tinha competência e que a prerrogativa é da presidência da Casa Legislativa para dar o parecer. Analisando o pedido do vereador para se houve o cumprimento regimental. Ao ser questionado por munícipes que estavam nas galerias, o presidente em exercício citou o artigo 42 da Câmara que diz que: “A provocação de Partido Político deverá ser subscrita, conjuntamente, pela maioria dos membros de sua diretoria executiva local e dos integrantes de sua bancada na Câmara” e como o partido não tinha representantes, em uma análise “grosso modo” jurídica e legal ao Regimento Interno. E ao final disse: “Estou assumindo toda a responsabilidade da minha prerrogativa de presidente”.

Afastamento
Os vereadores Nardão Sacomani (DEM) e o Tiquinho (PSDB) lembraram o presidente em exercício que no parágrafo 4º do artigo 40 diz que “Se o Presidente da Câmara for o denunciante ou denunciado, a partir da apresentação da denúncia passará a Presidência ao substituto legal, para os atos do processo”, ou seja, neste caso (da representação) a presidência é do vereador Bruno Marcos (substituto legal) e não mais de Evandro Tervedo.

Leitura
Depois de toda manifestação, no retorno dos trabalhos legislativos o vereador Bruno Marcos finalmente fez o que devia fazer. Leu os motivos da representação que pede a extinção do mandato do vereador Evandro Tervedo Novaes. Foram 46 minutos de leitura e que levou a sessão terminar quase duas horas da manhã.

Próximos passos
Segundo próprio Regimento Interno da Câmara de Vereadores de Penápolis em seu artigo 37 e seu parágrafo único de que fica assegura a ampla defesa, observando os seguintes procedimentos – leitura dos motivos da extinção (realizado); publicação na integra na imprensa local; comunicar por escrito o vereador cujo mandato se extingue; prazo de cinco dias para a apresentação da defesa; na primeira sessão após o recebimento da defesa será submetida no Grande Expediente que só deixará de homologar a extinção se não ficar comprovada a existência do ato ou fato que lhe deu causa; não sendo homologada, a extinção, assim como os demais atos dela decorrentes, serão nulos; expirando sem defesa o prazo do inciso III, ou sendo homologada pelo Plenário, reputar-se-á consumada a extinção, cabendo ao Presidente da Câmara – promulgar a competente resolução, dispensada sua tramitação regimental e comunicar o fato à Justiça Eleitoral.

Contudo…
Em entrevista à imprensa após a sessão, o presidente em exercício Evandro Tervedo, voltou a dizer que irá analisar a entrada ou não da representação do Partido da República. “Foi dada entrada na sessão conforme requerido pelo juiz de direito e nós faremos então uma análise que pode ser dada entrada ou não pode dependendo os requisitos legais do pedido não do juiz, mas do advogado do Partido da República”. Segundo ele, a manifestação ontem não é manifestação popular e sim manifestação partidária de algumas pessoas por causa da eleição da presidência da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores.

Nosso papel
Essa assunto vai render muito o que escrever ainda. É claro que nós não queremos uma situação dessa no nosso município, mas, enquanto jornalistas temos o dever incansável de trazer a verdade e o que de fato está acontecendo no meio político de nossa cidade.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br.

Rodrigo Alvarez: Chef busca na culinária latino americana referências para construir seus pratos

A arte está presente na cozinha e na vida do Chef paulistano Rodrigo Alvarez. Radicado em Penápolis há quatro anos, ele é dono de um dos mais charmosos e emblemáticos restaurantes da cidade – o Grill 187.

Rodrigo é filho da escritora e dramaturga Marilu Alvarez e do produtor e empresário do cantor Toquinho, Genildo Fonseca. As referências artísticas e culturais na infância consolidaram sua personalidade também na cozinha.

Não à toa, que sua cozinha é composta de diversas referências da culinária latino americana. Possui em seu cardápio os melhores pratos da culinária Tex-Mex, ou seja, pratos texanos com nítida influência mexicana como Nachos, Tacos, Burritos e Quesadillas.

“A comida Tex-Mex consolidou o restaurante por ser leve, nutritiva, refrescante e que alimenta. Mas trazemos ela, por entender que não tem rejeição paladar que a (comida) mexicana teria por causa da pimenta. Pelo contrário, levamos ao nosso cliente a pimenta a parte para que possa degustar ou não”.

E recentemente acrescentou também no menu pratos com cortes especiais de carne como o Chorizo argentino e de Angus. “Tivemos esse insight de colocar em nosso menu essas referências das cozinhas argentina e uruguaia, trazendo o melhor de cada um dos pratos como, por exemplo, pouco sal e carne que privilegia o sabor, feitos numa na Char Broiler”, explica.

Aliás, a carne está presente em sua memória gastronômica. “As minhas primeiras referências culinárias eram os churrascos de família que faziam durante as férias na praia”, por isso é que sempre manteve alguns grelhados em seu cardápio. “O grelhado é feito de forma simples, e o simples nem sempre é o mais fácil, mas, que com toda certeza privilegia o sabor do alimento”.

Formação
Depois de trabalhar por mais de 10 anos com seu pai na produtora da família, Rodrigo desejou mudar de ares e ir atrás de seu sonho – fez o curso de gastronomia do Anhembi Morumbi.

“Depois de muito tempo trabalhando com meu pai na produtora, ora indo a campo com os artistas, ora na produção executiva, resolvi investir no que mais me satisfazia. Já na faculdade de gastronomia fui confrontado com a rigidez que a cozinha e meu professor tinham. Ele nos diziam – esquece tudo que vocês aprenderam em casa com a vovó, aqui vocês irão aprender técnicas e habilidades específicas de uma cozinha profissional. Não à toa que os padrões de qualidade e atendimento estão presentes ainda hoje e continuará sendo a todo tempo na minha cozinha”, lembra.

Rodrigo comenta também que o professor dizia que ali eles não criariam nada, exceto no trabalho de conclusão de curso. “A teoria é tudo, e é em cima dela que você pode criar usando técnica ou não. Para se ter uma ideia nós demoramos seis meses para entrar na cozinha”.

“Até hoje quando visto a dólmã lembro da minha época de faculdade onde aprendíamos fazer um simples fundo, ou o tratamento com os vegetais ou o modo certo de fazer tal prato e percebemos o quanto é importante apreender a técnica, pois levamos para o resto da vida”.

Mas, para o chef, a experiência de comandar uma brigada é com o tempo. “Ninguém sai formado e com a experiência para saber comandar uma cozinha”. E ele continua: “O maior desafio é estabelecer um padrão de qualidade”.

Espaço
Antes de mudar para o interior, Rodrigo montou na chácara da família um espaço para eventos exclusivos para família e ou executivos. Mas, devido a problemas de alvará de funcionamento acabou fechando o empreendimento.

Esse improvável fechamento o estimulou a vir para Penápolis, terra de sua mulher, Mirela Maia. “No fim de 2013 vim com a família dela celebrar as festas de fim de ano e percebi que os penapolenses tem um elo importante com a gastronomia, fazendo nestes momentos grandes eventos, onde todos colocam suas melhores roupas para comer em família e isso chamou minha atenção”.

Tanto é, que Rodrigo faz questão de enfatizar que a ideia de vir para Penápolis foi dele. “A família da Mirela estavam voltando para cá, resolvi vender minha casa e investir no nosso negócio por aqui. Alugamos essa casa e começamos seis meses de uma grande reforma para deixar do jeito que imaginávamos, afinal, ela tem o seu charme com detalhes incríveis. Estar aqui, em frente à praça com essa profundidade que só ela proporciona é sem dúvida a mais charmosa da cidade. Isso tudo levamos em consideração para montarmos nosso negócio aqui”.

O salão e as áreas externas do restaurante comportam até 80 pessoas e em cada um dos ambientes possuem uma decoração que chama a atenção pelo rico acervo de peças. Para se ter uma ideia, o espaço possui peças do escultor taubateano Fernando Ito e um grande acervo de cardápios do mundo.

“Meu pai viaja o Brasil e o mundo produzindo o Toquinho e onde ele vai, pede o menu para os chefs que acabam escrevendo lindas dedicatórias”.

Para conhecer o menu do Chef Rodrigo Alvarez, o Grill 187 – Restaurante e Bar, está na Rua Ramalho Franco, 187 e abre de quarta a domingo, das 19h às 23h30. O telefone é 3652 5140.

Fernando Pascoaletto: Cozinheiro usa da criatividade para fazer massas artesanais

A memória afetiva de Fernando Pascoaletto é na cozinha. Seus pais Valdemar Pascoaletto, o Zito e Neuza Cervigne foram donos do Churrascão – churrascaria à beira da Marechal Rondon com diversos outros serviços como hotel, oficina e posto de combustível.

Hoje, um dos principais nomes da culinária penapolense, faz das massas artesanais a sua própria arte. “Quando eu preciso fazer uma massa que nunca fiz, procuro referências, analiso pelo menos três versões, vejo quais são os ingredientes básicos, levo para a minha cozinha e recrio dando o meu toque”.

O seu despertar para o que seria o ‘Pascoaletto Massas Artesanais’ surgiu quando no ócio foi convidado por uma prima para fazer um jantar.

“Eu estava em processo de mudança após quase vinte anos fora. Estávamos nos meses finais de 2013 e o que mais queria fazer era ter um tempo para mim, mas, resolvi aceitar o convite e neste jantar vi que poderia fazer dele um negócio e de lá pra cá não parei mais”.

No início Pascoaletto ainda se dedicava a fazer sobremesas, mas, com o tempo resolveu se dedicar exclusivamente com os diversos tipos de massas.

“Quando de fato resolvi me dedicar, decidi fazer um curso de massas coloridas para me especializar. Agora fico na cozinha de terças às sextas-feiras criando sabores em massas e molhos”, explica.

Pascoaletto lembra que aprendeu fazer massas há 25 anos. “Meu pai cuidou de um restaurante em Campo Grande (MS) e lá nós tínhamos alguns cozinheiros vindos do sul da Itália. E para almoçarem, eles preparavam as massas de talharim”.

Mas foi se aprimorando mesmo ao fazer jantares em sua casa para os amigos. “Adoro esses encontros, pois, além de reencontrar amigos, é o momento onde acabei aprimorando as minhas massas”, lembra.

Para criar, Pascoaletto diz que inspirasse em tudo que mexe com o belo. “Isso me inspira muito a criar. Se eu vejo um decoração, uma louça ou uma roupa e ela diz alguma coisa a mim é porque eu preciso criar algo na cozinha que remeta ao que eu vi, li ou ouvi”.

Segundo ele, suas criações vem do senso paladar. “Eu passo dias e dias pensando, matutando sabores e combinações para que eu possa criar nossos sabores, tanto é, que na semana que vem já tenho algumas ideias da cabeça que vou colocar em prática”.

Pascoaletto faz um paralelo sobre a vida e sua criação na cozinha. “Quem diz que não sabe faz tal coisa na cozinha é porque nunca amou cozinhar. Afinal, criar e viver para mim são as mesmas coisas”.

Moda
A criatividade com os sabores e principalmente com as cores vem de uma outra área de atuação – a moda. Pascoaletto trabalhou por muito tempo em lojas de grifes como a Rouparia K, da Kika Sato e da marca Miriam Pinheiro.

“Quando já trabalhava na Mirian Pinheiro, fui convidado para assumir a gerência da loja em Lins, assumi o desafio e fui. Em Lins morei por quase vinte anos, passando por diversas lojas na cidade”, comenta ele.

Pascoaletto revela que sempre adorou construir coleções e vitrine de lojas. “Sempre gostei de usar e abusar das cores nas coleções e vitrines que eu montava para as lojas que trabalharei”.

Nestes quase vinte anos na moda, contudo, nunca esqueceu das raízes na cozinha e preparava bolos, doces e cafés para as clientes se sentirem mais à vontade.

“Gostava de preparar quitutes para agradar nossas clientes. Era com certeza um diferencial que nossas lojas ofereciam. Isso acabava chamando as clientes para a loja”.

Neste mesmo período, Pascoaletto escreveu uma coluna de gastronomia para a ‘Revista Mais Magazine!’ onde dava dicas e receitas para os leitores.

“Sempre quando eu ia no supermercado sempre encontrava alguém que tinha feito as minhas sugestões de receita. Isso sempre mostrou para mim que a culinária nunca caiu de moda e que não tem nível social”.
Além da revista, Pascoaletto também se aventurou nos negócios gastronômicos. Criou no bosque da cidade de Guaiçara, o Cozinha Pascoaletto.

“O restaurante era na beira de um lago e lá nós tínhamos os nossos próprios pratos, todos assinados por mim. Foram cinco anos muito criativo”.

Pascoaletto possui uma linha enorme de produtos artesanais – Talharim, Nhoque, Lasanha, Rondelli, Hambúrguer Gourmet, Polpetone Recheado, Canelone e outros tipos de massas como integral e sem glúten (por encomenda), escondidinhos e berinjelas à bolonhesa.

Para comprar seus produtos ou encomendar um jantar pode procurá-lo na página do “Pascoaletto Massas Artesanais” no Facebook; por Whatsapp 14 99785 1914 e por telefone 3652 0319. Ou ainda na Feirinha do Produtor nos segundos sábados de cada mês, na Rua Otacílio Ferraz Pacheco, 230, das 8h30 às 15h.

PITACOS #62 – Quer conhecer uma pessoa, dei-lhe poder!

PODER
Minha sábia mãe sempre me disse que: “Quer conhecer uma pessoa, dei-lhe poder”. E nestes últimos 47 dias, o vereador e presidente interino da Câmara Municipal de Penápolis, Evandro Tervedo Novaes (DEM), está mostrando ser. Vide a votação para a presidência, que até agora não se pronunciou e talvez nem se pronunciará oficialmente sobre o assunto; a polêmica com a Igreja Católica; a truculência regimental para não colocar nenhum projeto, requerimento, indicação ou moção na primeira sessão e tão pouco a representação contra ele próprio em nenhuma das sessões subsequentes.

INTERPRETAÇÃO
E falando em representação, tanto o presidente (que tem como uma das prerrogativas de interpretar o regimento interno, quanto a assessoria jurídica (seja ela contratada por ele ou da própria Câmara), se equivocaram feio ao usar o art. 232 para justificar o prazo regimental para entrar na pauta a representação. No referido artigo o prazo é para proposições. Já no artigo 40, parágrafo 1, o texto é claro: “será incluída na sessão imediata”. E isso fez toda diferença nas duas últimas sessões.

TRIBUNA
Ainda com relação ao regimento interno da Câmara de Vereadores de Penápolis, o presidente e nenhum dos vereadores penapolenses se atentaram que o advogado do presidente interino da Câmara, Raimundo Cândido da Silva Júnior, não é morador e consequentemente não vota em Penápolis. Ou seja, ela não poderia ter usado a tribuna livre da última segunda-feira (13), pois, no art. 138 do regimento interno é bem claro: “ser eleitor, comprovando-o através da apresentação do Título de Eleitoral”.

PALHAÇOS
O paradoxo de Epiménides se fez presente na Câmara de Vereadores de Penápolis. Ele dizia enquanto cretense que era – que todos os cretenses eram mentirosos. Pois bem, a vereador Ester (PSD), disse durante o pequeno expediente que aquela sessão estava vendo um programa de humor e que ali era um circo. Se ali é o circo, então todos os vereadores são os palhaços?

RETIRADA
Logo no início da sessão, o vereador Mauro Olímpio dos Anjos (SD), pediu que todos os assessores da presidência (incluindo o assessor jurídico contratado, o segurança e a mulher do presidente), que ficavam no corredor entre o plenário e a área administrativa da Câmara, saíssem do local. Após o presidente pedir a retirada, eles tomaram assento nas galerias da Câmara. Um deles virou líder de torcida gritando a todo momento “Uhuuul” ou “Chupa essa manga”.

CHANTAGEM
Correu durante a sessão da Câmara de Vereadores de que os parlamentares Evandro Tervedo, Estar Mioto e Bruno Marco, assinaram enquanto mesa diretora um pedido de cassação com o vereador Ivan Sammarco (PPS), com a justificativa de quebra de decoro parlamentar na primeira sessão da Câmara. Segundo consta, isso seria uma chantagem do presidente aos vereadores de oposição para que neutralizasse a representação contra ele. Contudo, o pastor retirou sua assinatura e a representação contra o Ivan não prosperou. Será que a oposição dará sequência na representação?

FORÇA POLICIAL
O vereador Tiquinho (PSDB) repercutiu ofício do vereador Evandro Tervedo Novaes, solicitando a presença da polícia militar da sessão da última segunda-feira (13). A solicitação era pelo movimento nas redes sociais das páginas “Porra Prefeito” e do “Vereador Não é Profissão”, que estaria convocando os católicos de Penápolis e os interessados para propor processo de cassação contra um vereador após instigação feita por um frei da cidade na qual os fatos estão sendo investigados na justiça.

PRISÂO
O vereador presidente interino pede inclusive que para a manutenção da ordem e disciplina, inclusive com a possível voz de prisão por crimes de calúnia, injúria, desacato ou até mesmo ofensas físicas que poderão ocorrer devido a alteração dos ânimos de um grupo específico. Que ano ele está? Entre os anos de 1964 e 1985? Contudo, o cenário de horror descrito no ofício não se configurou por alguns motivos. Um deles e creio que o principal é que o povo penapolense é um povo ordeiro. Creio que vereador já devia saber disso. O interessante ainda é que não sabemos por qual motivo, mas, nenhum policial apareceu na sessão da Câmara e nem por isso o caos foi instalado. O vereador deveria conhecer mais o povo que ele representa.

CASA DE APOIO
Saindo do campo político e passando para a área social, acontece hoje (17), nas quadras externas do Ginásio Nagib Sabino, o Nagibão, a 3ª edição do Show de Prêmios da Casa de Apoio de Penápolis em Barretos. Esse é o único evento que arrecada dinheiro para a manutenção da entidade durante o ano todo. Foram colocadas 2 mil cartelas ao preço de R$ 15. Vale a pena participar. O evento começa a partir das 19h.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br

PITACOS #61 – Factoides político, vereador fujão e outras cositas más!

UM MÊS E TRÊS DIAS
Nestes 33 dias de governo interino de Rubinho Bertolini (SD) aconteceu muita coisa. Não, não foram milagres. Pelo contrário. Tentativas e mais tentativas de desvincular-se do antecessor (o que é natural), mas, com ações que caem no ridículo. Vide o pífio decreto de contenção de despesas assinado pelo mandatário e chancelado pelo secretário de governo Alexandre Gil de Melo e pela secretária de finanças Maria Emília Pereira de Souza.

DECRETO
No dia 19 de janeiro, foi publicado nos jornais da cidade, decreto que estabelece contenção de despesas na administração pública direta ou indireta, anunciando que a dívida atual da prefeitura era mais de R$ 11 milhões, incluindo Febom (Fundo Especial dos Bombeiros) e do Fundo da Merenda. Contudo, o que eles não especificaram (de propósito), foi que desse valor, R$ 7,6 milhões era de folha de pagamento dos servidores municipais. Isto é, a dívida real da prefeitura é de R$ 4,4 milhões.

SIMPLES
Fazendo uma conta simplista, se dividirmos a dívida real em 12 meses, dará pouco mais de R$ 360 mil por mês. O que perfeitamente natural num orçamento de mais de R$ 115 milhões no ano. E que arrecadou neste primeiro mês do ano mais de R$ 2,4 milhões em ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Portanto, esse decreto é para criar um factoide político pensando estritamente nas eleições suplementares que esperamos ocorrer ainda este ano em Penápolis.

INFORMAÇÕES
Na semana passada, para completar o trabalho jornalística que faço também no Blog do Faria, solicitei informações à administração municipal, quanto as dívidas deixadas do último ano de governo do ex-prefeito João Luís dos Santos (PT), no qual a Maria Emília era secretária, para o então prefeito que assumiria Célio de Oliveira. Contudo, rasgando a direito à informação e a transparência, a secretária se negou de repassar as informações, alegando a mim que não se envolver em questões políticas. Dias depois, a administração amenizou o discurso de que não teria neste momento condições de fazer tal levantamento.

INFORMAÇÕES II
Entretanto, o vereador Nardão Sacomani (DEM), também pediu as informações, que segundo a própria Maria Emília já havia respondido a solicitação do parlamentar, mas, até na sessão extraordinária de segunda-feira (30), o ofício não havia chegado. Enquanto isso, na manhã de hoje (03), farei protocolarmente o pedido à prefeitura de Penápolis de todas as informações sobre as dívidas e receitas em administrações passadas. Se a Maria Emília não quer repassar as informações, usarei de todas as instâncias para consegui-las (inclui aí o Ministério Público), afinal, são públicas, certo?

ENTREVISTA
Não é somente na prefeitura que as coisas estão as avessas. Na Câmara de Vereadores creio eu está pior. Pois, desde que Evandro Tervedo Novaes proferiu seu voto que mudou o rumo da história, deixando uns furiosos e outros com o sentimento de dever cumprido, ele não mais tentou se expor – digo na imprensa, pois, nas redes sociais! Desde então, jornais da cidade e o meu blog entrou por diversas vezes para entrevista, sendo marcada e desmarcada uma atrás da outra. Segundo o assessor de imprensa, Ricardo Alves, o vereador dará entrevista após a sessão dessa segunda-feira (6). Na terça-feira (7), mandarei novo e-mail, vamos ver se ele recusará novamente ou se de fato atenderá a nossa solicitação.

PERGUNTAS
Creio que Evandro tem muitas perguntas a serem respondidas, mas, algumas estão claras e postas à mesa. Na postagem do Blog do Faria digo que o Evandro perde a oportunidade de explicar a população se houve ou não traição de sua parte na eleição para a presidência da Câmara de Vereadores; Que ele perde a oportunidade de explicar para a população, principalmente, a católica, se falou ou não sobre os investimentos com o dinheiro público na reforma do Santuário São Francisco de Assis; Perde também a oportunidade de explicar porque ajudou a nomear seu tio Silvano Nogueira Tervedo para o Consórcio Intermunicipal do Ribeirão Lajeado. E se isso não fere os princípios da Administração Pública na qual você defendeu na tribuna, durante a sua posse? E perde a oportunidade de explicar sobre o possível processo que corre na justiça com relação a AVAN (Associação Acadêmica Valência da Alta Noroeste), entidade que ele criou e que tem como presidente o atual secretário de Esportes e indicado do vereador, Emerson Lúcio Pacheco.

GUARDA COSTAS
Não é de agora, que o presidente interino da Câmara de Vereadores está com guarda costas. Na primeira semana, presenciei o agora segurança esperando para falar com ele. O que não sabemos é se ele recebeu veladas ameaças ou se é por puro estrelismo, uma vez, que o cargo que ocupa interinamente já tenha ‘subido na cabeça’. Só saberemos se ele conceder entrevista. Outro pergunta é: Quem está pagando a conta: A Câmara ou está saindo do próprio bolso?
Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br

Evandro Tervedo foge de entrevistas após eleição para a presidência da Câmara

O vereador e presidente interino da Câmara de Vereadores de Penápolis, Evandro Tervedo Novaes, foge da imprensa e se recusa de dar entrevistas. A última investida foi desse blogueiro.

Nesta quarta-feira (25), entramos em contato com o assessor de imprensa da Câmara, Ricardo Alves, e o mesmo nos informou que a entrevista estava previamente agenda para hoje, sexta-feira (27), contudo, ainda dependeria de confirmação.

Na manhã de ontem (26), entramos em contato para confirmar a entrevista, porém, novo revés aconteceu. Desta vez, o presidente interino informou que dará entrevista somente após a primeira sessão legislativa, que acontecerá no próximo dia 6 de fevereiro.

Essa não é a primeira vez que o vereador Evandro Tervedo recusa-se a falar com a imprensa. No início do mês, um jornal local, também tentou uma entrevista, mas após desmarcar a primeira tentativa, nem deu satisfação da ausência na segunda investida.

1] Evandro perde a oportunidade de explicar a população se houve ou não traição de sua parte na eleição para a presidência da Câmara de Vereadores.

2] Evandro perde a oportunidade de explicar para a população, principalmente, a católica, se falou ou não sobre os investimentos com o dinheiro público na reforma do Santuário São Francisco de Assis.

3] Evandro perde a oportunidade de explicar porque ajudou a nomear seu tio Silvano Nogueira Tervedo para o Consórcio Intermunicipal do Ribeirão Lajeado. Isso não fere os princípios da Administração Pública na qual você defendeu na tribuna, durante a sua posse?

4] Evandro perde a oportunidade de explicar sobre o processo que corre na justiça com relação a AVAN (Associação Acadêmica Valência da Alta Noroeste), entidade que ele criou e que tem como presidente o atual secretário de Esportes e indicado do vereador, Emerson Lúcio Pacheco.

Então Evandro vai continuar perdendo as oportunidades?

PITACOS #60 – Terceira semana de governo interino

Quente
Começou quente essa terceira semana do governo interino de Rubinho Bertolini (Solidariedade). A ordem nos corredores da Prefeitura de Penápolis é de desmontar os “legados positivos” que Célio de Oliveira (PSDB) deixou nos últimos dias de seu governo. Vou ser mais claro. Eles querem mostrar à sociedade que o ex-prefeito não deixou mais de R$ 6 milhões em caixa. Pelo contrário, que deixou dívidas e mais dívidas.

Saúde
Não à toa, que administração convidou a imprensa para acompanhar a visita do prefeito interino e deu seu secretário de saúde, o médico ortopedista Luiz Fernando de Souto Fink, a Unidade Básica de Saúde do Jardim Del Rey e lá anunciou que somente na saúde a prefeitura deve aos fornecedores e prestadores de serviços mais de R$ 4,8 milhões, impossibilitando a compra de diversos medicamentos.

Saúde II
De acordo com o Dr. Fink, os dados são referentes a 2016 e refletem principalmente os últimos meses da administração passada. Diz ainda que a maioria dos processos licitatórios feitos de novembro pra cá não houve nenhum interessado, visto que, a prefeitura deve para alguns fornecedores desde abril do ano passado. Agora, o trabalho é conversar pessoalmente caso a caso com cada um dos fornecedores.

Judicialização
Ao PITACOS, o secretário comentou sobre a “judicialização” da saúde – meios que os pacientes usam para requerer remédios de alto valor ou cirurgias através de ações judiciais. Segundo Fink, a atual administração não tem o valor exato dos valores gastos com esse tipo de medida. Mas, que está estudando caso a caso e sem querer interferir na conduta médica, propor a justiça alternativas de produtos ou medicamentos que fazem o mesmo efeito, mas, tem um custo menor, gerando economia aos cofres públicos e ao mesmo tempo atendendo as necessidades dos pacientes.

Terceiro Médico
Também ao PITACOS, o secretário afirmou que manterá o terceiro médico no Pronto Socorro Municipal. Medida adotada no governo do ex-prefeito Célio de Oliveira e que funcionou muito, principalmente, por ser implantado no turno a partir das 19h, horário de maior volume de atendimentos. Segundo ele, para atender a medida irá dobrar os plantões de alguns médicos da própria rede que se prontificaram atender no PS. Isto porque como a folha da prefeitura está em 54%, não pode, pelo menos, por agora efetuar a contratação de novos médicos que passaram no concurso público de novembro passado.

Audiência
Para explicar os números das dívidas da Secretaria de Saúde, bem como, tirar dúvidas sobre os assuntos pertinentes a pasta, o Secretário Luiz Fink irá promover audiência pública na próxima sexta-feira (27), a partir das 16h, na Câmara Municipal de Penápolis. Mesmo que o horário seja totalmente ingrato para um cidadão comum, como nós, participarmos, quem tiver a oportunidade de ir, vale a pena!

Outro lado
Para fazer essa coluna, mesmo que opinativa, precisa-se de muita responsabilidade com a verdade. E para nós, que militamos da imprensa isso nos é mui caro. Tanto é que procuramos o ex-secretário de saúde, Alex Marques Cruz, que gentilmente nos atendeu e expôs sua versão dos fatos na saúde. Segundo ele, o valor apresentado pelo atual gestor não é verdadeiro, visto que, para chegar aos valores apresentados teria de incluir a folha de pagamento e o 13º salário de todos os servidores da saúde e mesmo assim nem chegaria.

Outro lado II
Alex lembrou que em 2013, quando assumiu a gestão da saúde em Penápolis, herdou de seu antecessor uma dívida de R$ 1,8 milhões, num orçamento municipal de cerca de R$ 78 milhões. Quatro anos depois, com o orçamento de 2016 ultrapassando R$ 110 milhões, a dívida de restos a pagar dos recursos próprios foi de R$ 2,3 milhões. Se juntar o restos a pagar mais a folha de pagamento com todos os encargos sociais dá algo em torno de R$ 4,2 milhões. Muito diferente do que anunciado pelo atual secretário. Segundo Alex, os dados colhidos na manhã de ontem (19), são do setor de Contabilidade da Prefeitura de Penápolis.

Cultura
Todos que militam na área cultural, estranhou informação veiculada pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis, de que os restos a pagar do ano passado superam a previsão orçamentária desse ano. O total da previsão para a Cultura é de R$ 1,2 milhão. Mas, em conversa com o atual secretário, Lucas Casella (PSD), explicou que o valor da dívida de restos a pagar de 2016 é de aproximadamente de R$ 360 mil. Tirando a folha de pagamento algo em torno de R$ 837 mil, o restante é para investimentos no setor cultural.

Comunicação
De certo que uma das poucas boas escolhas de Rubinho Bertolini, enquanto prefeito interino, foi a efetivação do sociólogo, psicanalista e cientista político e social, Thiago Mazucato. Com dois dias na função, já visitou a redação do Jornal Interior Penápolis, algo que a última gestão não fez nenhuma vez em quatro anos. Esperamos de verdade que ele consiga implantar um sistema diferente que priorize a informação trazendo à tona a verdade, seja ela, boa ou ruim. Afinal, é esse o papel da imprensa.

Bomba
Na edição passada, disse que haveria uma bomba que poderia acontecer nos bastidores da política local. De fato, ainda não existiu nada de concreto. De certo, é que não existe apenas uma bomba, mas, várias que estão prestes a estourar. E risco a dizer que uma delas vai acontecer na primeira sessão da Câmara dos Vereadores, no próximo dia 6 de fevereiro (segunda-feira), onde participará também o prefeito interino, Rubinho Bertolini que irá expor os seus primeiros 30 dias de governo.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br

PITACOS #59 – BASTIDORES DA ÚLTIMA ELEIÇÃO DA MESA DIRETORA DA CÂMARA

220 volts

Dois mil e dezessete começou quente hein! Não falo sobre o verão que iniciou no meio de dezembro, mas das questões políticas que frequentam as rodas de conversas por todo o município de Penápolis. Nós que trabalhamos na imprensa local, acabamos por receber informações privilegiadas e que nem sempre tomam as capas dos jornais. Informações de bastidores que acabam contando a história por um outro ângulo.

Esperar
Após as eleições de 2016, perguntávamos a dois vereadores reeleitos quando que o grupo apoiado pelo prefeito reeleito Célio de Oliveira (PSDB) iriam sentar para compor a Mesa Diretoria da Câmara Municipal de Penápolis? Afinal, não é toda eleição que um grupo consegue eleger oito candidatos. Eles me diziam que iria esperar a decisão do plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que saiu no dia 6 de dezembro, para depois começarem as tratativas.

Preciosismo
A gente nunca vai saber o que de fato poderia acontecer, mas, e se tivesse feito os acordos antes da decisão que cassou a candidatura do prefeito Célio e sem o peso político de ocupar a prefeitura interinamente, o acordo teria continuado de pé? Será que não faltou preciosismo? O fato é, que mexer com pessoas e com suas vaidades é muito complicado, afinal, qual é o político que não deseja, nem que seja pela forma indireta, assumir o comando da prefeitura e colocar sua foto no hall dos prefeitos?

Postulantes
No grupo do Célio de Oliveira tinha pelo menos quatro vereadores querendo o posto de presidente da Câmara. O vereador mais votado na última eleição, Ivan Sammarco (PPS); o vereador reeleito Nardão Sacomani (DEM) e que já fora presidente do legislativo, Francisco José Mendes, o Tiquinho (PSDB), eleito para o sexto mandato e que seria para ‘coroar’ sua história política e o novato na vereança Rubinho Bertolini (Solidariedade).

Vontade
Rubinho falava abertamente que o tempo de Ivan Sammarco e Nardão Sacomani na presidência da Câmara de Vereadores já tinham passado e que agora necessitaria de gente nova, com novos projetos. Mas, tanto o Ivan, bem como, o Nardão foram como o Rubinho eleitos pelo povo e teriam sim a chance de quiçá voltar a presidência. De fato, o Rubinho nunca escondeu que votaria nele mesmo, mesmo que perdesse a eleição com apenas um voto.

Acordo fechado?
Os últimos dias de 2016 foram intensos para aqueles que articulavam votos para a presidência da Câmara. Tanto é que recebo uma mensagem, logo na manhã do dia 31, dizendo que o acordo para a Mesa Diretora da Câmara havia sido fechado. Presidente Ivan, Vice presidente Evandro da Habitação (DEM), Ziza (PMDB) e Nardão para 1º e 2º secretários respectivamente.

Fiel da balança
Contudo, informações que recebi de um membro do PSD é que o acordo vitorioso na eleição do dia 1º havia sido fechado a noite do mesmo dia 31. Porém, aguardavam ansiosos o voto do Evandro, pois, o mesmo havia fechado com os dois grupos. Tanto é que na hora que ele proferiu o voto, dois vereadores do grupo se cumprimentaram selando a vitória da oposição ao Célio de Oliveira, que acompanhou a votação.

Momento antes…
Momentos antes conversei com o prefeito Célio e ele me confidenciou: “Perdemos”. Disse a ele: “Como assim?”. Ele me disse: “Já participei de doze votações para a mesa diretora e eu sei quando está dando errado. O Evandro se quer olhou nos meus olhos para cumprimentar”. Cinco minutos depois, a história confirmara o que havia me dito.

Traição?
Nunca saberemos de fato o que realmente aconteceu. Temos as versões dos derrotados, mas, a versão de quem decidiu a votação. A não ser que ele exponha todos os fatos que geraram a possível ‘traição’ que o grupo da qual ele fez parte o acusam. De certo, é que numa eleição como essa não adianta o seu currículo ou quantos mandatos você tenha, mas, a quantidade de votos que te faça membro da Mesa Diretora.

Indignação
O grupo político do Célio de Oliveira estão todos indignados. Na votação da Mesa é com o Evandro da Habitação, pela possível traição ao grupo, pois, sabiam da vontade política do Rubinho. Agora em relação ao Executivo, a indignação com o Rubinho foi ele aceitar todos aqueles que participaram de um projeto político perdedor nas urnas. Os ex-vereadores Alexandre Gil e Lucas Casella, ambos do PSD, são os primeiros a “priori” a assumir secretarias neste governo que será interino.

Loteamento
Já que estão no poder (com a máquina na mão), o ex-vereador e ex-candidato a prefeito Caíque Rossi (PSD), está junto ao Rubinho Bertolini, pelo menos essa é a informação que nos chega a todo momento, de que estão loteando os cargos entre os grupos políticos que perderam a última eleição, entre eles, o PT do ex-prefeito João Luís dos Santos e o PV do Éder Granato, que aliás, poderá ser anunciado nos próximos dias como novo presidente do Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis). Trazendo PT e PV para o governo interino a intenção é unir forças para derrotar o candidato indicado pelo prefeito Célio de Oliveira.

Bomba
Por esses dias poderá estourar uma bomba no meio político penapolense e que poderá mudar os rumos novamente da história recente. Vamos aguardar para ver os próximos capítulos.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br

PITACOS #58 – Durou 20 segundos o julgamento do Célio de Oliveira

Vinte segundos…
Esta semana tivemos o último capítulo da novela que perdurou por quatro longos meses. A cena derradeira durou exatos vinte segundos [Sim, eu calculei o tempo!]. Para alguns um triste final, mas, para outros a cereja que faltava para o bolo. Contudo, o que mais me chamou atenção, não foi a história em si. Já conhecida por todos, mas, constatar que centenas de pessoas, quiçá milhares estavam acompanhando ao vivo o grande desfecho. Alguns até assistiram pela primeira vez a TV Justiça.

(In)justiça?
Ontem (8), nós publicamos a repercussão, tanto nas redes sociais, bem como, nas ruas da cidade, sobre o indeferimento da candidatura do prefeito reeleito Célio de Oliveira (PSDB). O fato é que ficou um clima de injustiça, pois, nem sequer a plenária do Tribunal Superior Eleitoral, presidida pelo ministro Luiz Fux, citou os nomes ou da cidade, ou do próprio candidato. Seguindo por unanimidade o voto do relator Herman Benjamim.

Justiça?
Do outro lado, aqueles que acompanharam com a expectativa de ver o atual mandatário com a candidatura indeferida, pagando pelo ato [doloso ao erário público] segundo qual ele diz não ter cometido, comemorou! Alguns até questionaram os defensores do prefeito: Quando era a Dilma [a cometer crime] todos eram a favor que ela saísse, mas agora que é o prefeito [que cometeu crime] é injustiça? Outros diziam não podemos pactuar com atos ilícitos.

Empírica
Na manhã de terça-feira (7), nós tivemos a oportunidade de ouvir o prefeito Célio de Oliveira, em uma coletiva de imprensa com os meios de comunicação da cidade e da região. Em uma visão completamente empírica, o prefeito deve ter chorado tudo que podia em sua casa, mas, ao sair para enfrentar mais um dia de trabalho, mostrou-nos serenidade e pronto para enfrentar novas batalhas, com a nova eleição que se avizinha.

Primeira vez…
De certo é que será a primeiríssima vez, em 108 anos, que teremos novas eleições. Nem o cartório eleitoral sabe ao certo, os prazos e o que pode e não pode nas tidas eleições suplementares. Para eles, também é novidade! Mas, uma resolução do TRE/SP a ser publicada muito em breve clarificará as regras do pleito. Mas, este ansioso colunista buscou conhecer as resoluções de outras cidades que já passaram por novas eleições e constatou um pequeno artigo que trata sobre a participação “dos candidatos” que deram causa a nulidade, isto é, os integrantes da mesma chapa. Isso botaria em ‘xeque’ a participação inclusive do vice prefeito Carlos Alberto Feltrin. Será? Vamos esperar pra ver!

Contas
O prefeito Célio de Oliveira pode ter sua segunda derrota em menos de uma semana, nesta segunda-feira (12), na Câmara dos Vereadores. Pois, tramita na casa projeto sobre as contas referente ao ano de 2014. O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo aprovou com ressalvas. Todavia, o vereador Caíque Rossi (PSD), questionou o parecer desfavorável do Ministério Público de Contas (MPC) dentro do relatório do TCE e isso pode causar um entendimento dúbio aos parlamentares penapolenses. A verdade é que os conselheiros do tribunal, mesmo que com o parecer desfavorável do MPC deram como favorável as contas da Prefeitura de Penápolis. Isso é passivo de entendimento.

Manifestações
No início dessa semana tivemos em todo país novas manifestações e em Penápolis não foi diferente! Entretanto, nas terras da Maria Chica não chegou a cem pessoas participando. Isso suscitou diversos comentários daqueles que participaram do ato: “A cidade reclama no Facebook, mas a manifestação tá assim, cadê vocês?” [Completamente vazia]. Uma outra colocou “Manifestação em Penápolis, cadê a juventude penapolense, precisam participar o futuro são deles”. Claro que não! O futuro não pertence a juventude. O presente sim! A frase “juventude é o futuro do país”, além de ser velha, arcaica, é carregada de preconceitos – como se estivessem nos dizendo: “Cala a boca, aqui no presente nós ditamos as regras. Agora lá no futuro [quando nós estivermos mortos] vocês mandam, ok!?”. Claro que não queremos discutir o hoje!

Pauta
Os mesmos que organizaram os últimas manifestações [exceto a primeira em 2013], aqueles que outrora foram coniventes com o golpe, tirando o poder uma presidente legitimamente eleita, agora voltam as ruas contra a corrupção, a favor da Lava Jato e das 10 medidas contra corrupção proposta pelo Ministério Público Federal (MPF). Por aqui não vi nenhuma faixa com os dizeres “Fora, Temer”. Já em relação a Renan Calheiros, uma das novidades desta manifestação, mas, os que lutam diariamente pela democracia, estamos todos desde 2007 [quando ele renunciou à presidência do Senado], gritando “Fora Renan”. Contudo, não só os seus o protegem, como o próprio Supremo Tribunal Federal.

Abuso
Quanto a emenda nº 4 aprovada na Câmara dos Deputados e que criminaliza o abuso de autoridade de magistrados e promotores, isso foi nada mais e nada menos, do que um revés ao projeto original das “10 medidas contra a corrupção”. De fato, essa emenda está fora de contexto num projeto de lei anticorrupção. Contudo, entendo que haja a necessidade de impor limites aos magistrados e membros do Ministério Público em um projeto de lei complemente independente e amplamente discutido com a sociedade brasileira.

Contexto
O contexto em que surge o projeto das dez medidas contra a corrupção é o da atuação da Operação da Lava Jato, num momento em que o Brasil vive um governo ilegítimo, e legislar sobre este tema em específico, além de ser inapropriado, passa a impressão de que os políticos temem qualquer investida da Justiça e por isso mesmo estariam retalhando.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br

PITACOS #57 – Fim de feira!

Fim… (de feira)
Após as eleições de outubro, a Câmara Municipal de Penápolis está parecendo um verdadeiro fim de feira! Pois, após serem rejeitados pela população, os vereadores que não se reelegeram estão pedindo “pelo amor de Deus” que o dia 31 de dezembro chegue logo. Digo isso, porque é grande o número de vereadores em cada sessão que “abre mão” da palavra, num momento que ele pode prestar contas de tudo que foi realizado durante a semana.

Finalmente…
Foi aprovado o projeto de lei do Executivo que cria a Parceria Público Privada no município de Penápolis. A proposta foi adiada por sete vezes pela Câmara de Vereadores até ter sua aprovação unânime. Sem dúvida nenhuma essa proposta vai trazer grandes benefícios para a cidade, pois, investimentos que outrora a prefeitura não terá condições de realizar, poderá contar com empresas privadas para efetuar o serviço.

Santa Casa
Era muito esperada a ida da administradora da Santa Casa, Renata Cristina Vidal, na última segunda-feira (21), na Câmara de Vereadores. Isso porque nas últimas sessões, o vereador Zeca Monteiro (PT) pintou uma situação de caos administrativo. A expectativa de quem frequentam a câmara era de que os vereadores queriam “fritar”, bombardear a administradora com questionamentos que poderiam inclusive abrir uma possibilidade de CEI (Comissão Especial de Inquérito).

Por terra
Mas caiu por terra! Não sei se foi intencional ou não, mas, a administração municipal (interventora da Santa Casa), criou uma estratégia que minou com as possibilidade de qualquer questionamentos. Além da Renata, a Câmara autorizou convite ao secretário de governo, Coronel Daniel Rodrigueiro e o médico chefe da UTI Dr. Ronny Sumer. Os dois apresentaram os históricos da intervenção e os números que mostraram avanços após a reabertura do hospital. Enfim, os vereadores ficaram de mãos e pés atados com tanta transparência.

Funepe
Ontem foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, parecer do Conselho Estadual de Educação homologando o curso de Direito na Funepe (Fundação Educacional de Penápolis). Sem dúvida nenhuma é um grande avanço para a cidade. Por que uma instituição tão sólida como a Funepe, que nos últimos anos trouxe pelo menos três grandes cursos (Educação Física, Agronomia e agora Direito) só tem o que comemorar. Que venha agora Medicina.

Calou a boca
Falando em medicina, Dr. Ronny em seu discurso na Câmara de Vereadores explicou ao vereador e ex-candidato a prefeito de PSD Caíque Rossi qual a diferença entre Hospital Escola e um Internado. Deixando o vereador sem reação (só quem tá in loco vê isso). Médicos residentes ainda teria custos para a Santa Casa que no momento não teria condições, enquanto que o Internato Médico são estudantes que estão aprendendo.

PITACOS #56 – Inelegibilidade, mobilização da Apae, festival de teatro e eleição do Trump

Esperado
Nós que acompanhamos política diariamente esperávamos o revés que o prefeito reeleito Célio de Oliveira (PSDB) teria no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Isso porque na semana passada, o mesmo tribunal indeferiu a candidatura do candidato mais votado de Itupeva (SP), usando os mesmos artigos. Além disso, a assessoria de imprensa do TSE divulgou nas redes sociais, vídeo explicativo sobre a rejeição de contas e a inelegibilidade e o prefeito se enquadra em todos os requisitos.

Plano B?
O que era de se esperar também é que o prefeito legitimamente eleito fosse recorrer de uma decisão monocrática do juiz eleitoral Herman Benjamim. A expectativa do prefeito é que reverta essa decisão no plenário do Tribunal e que ele possa assumir no dia 1º de janeiro de 2017. Tanto é, que informações nos chegaram de que Célio tem não ‘Plano B’ para uma nova decisão desfavorável. Ele lutará até o fim.

Eleições ou a possibilidade de…
Caso mantenha a decisão pela inelegibilidade do prefeito Célio de Oliveira, a priori haverá novas eleições no início do ano que vem, ficando como ‘prefeito tampão’ o presidente da Câmara eleito pelo seus pares no dia 1º de janeiro. Mas, com a possibilidade de que isso possa acontecer, os opositores ao Célio, já estão de todas as formas tentando limar as chances de possíveis nomes como Benoninho e Feltrin da disputa à prefeito. Isso sim é uma velha política, rasteira e que as pessoas estão cansados de ver.

Apae
Não é de hoje que as Apaes (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) do Estado de São Paulo sofrem com o descaso do governo paulista. Mas, infelizmente ele chegou a níveis extremos. Não à toa que a Federação das Apaes no estado deflagrou uma paralisação das atividades no dia de ontem para mobilizar pais e sociedade para a causa. A realidade é que eles estão há quase um ano negociando os pontos do convênio (entre eles o aumento do ‘Per capita’ – valor investido em cada um dos alunos especiais na área da educação) que até agora estão sem respostas.

Mobilização
A direção da Apae em Penápolis convidou os pais e a sociedade civil a escreverem uma carta endereçada ao secretário de Educação José Renato Nalini e para o governador Geraldo Alckmin para que os mesmos possam saber o que de fato estão acontecendo com a entidade e mostrar que a sociedade estão atentos contra os abusos desse governo, que a cada ano exigem mais e mais, sem oferecer a contrapartida necessária para fazer um belíssimo trabalho com as pessoas com deficiência intelectual e autista.

Louvável
É notável a atitude do vereador Nardão Sacomani (DEM) de requerer informações à Prefeitura sobre a quantidade de pacientes com câncer que vão diariamente buscar tratamento em outras cidades, para que possa fazer um projeto que os isentam de impostos municipais. Uma ajuda nestes momentos de dor e sofrimento para toda a família e um alento e um fio de esperança para cada um que busca a cura da doença.

Festival de Teatro
Na abertura do Festival de Teatro de Penápolis, na noite de quarta-feira (9), ficou claro o quanto fez mal para a cena teatral do município, o cancelamento por parte da Prefeitura de Penápolis, através da Secretaria Municipal de Cultura, por dois anos seguidos desse que era um dos mais importantes festivais da região. Se tinha 70 pessoas no Teatro Lúmine para acompanhar ‘Braseiros’ da Cia do Blefe de Araçatuba era muito! Triste!

Performance
Em falar em festival, a recém formada Cia Alternativa de Teatro que tem como diretor artístico Rodrigo Santiago, apresentou na noite de ontem, a performance “Silêncios” com a atriz Mônika Norte. Neste domingo, às 19h30, no hall de entrada do Teatro Lúmine, será a vez da também atriz Fátima Pessoa. Sucesso ao grupo! Se quiser conhecer um pouco do trabalho da companhia pode acessar fb.com/ciaalternativa.

Feirinha
Acontece amanhã (12) mais uma edição da Feirinha dos Produtores que conta com 40 produtores penapolenses. A Feirinha de Produtores surgiu em maio desse ano numa ação de vários produtores gastronômicos, de arte e artesanato de Penápolis. O evento tem por objetivo fazer a ponte entre a população e empreendedores, artistas e artesãos locais, mostrando toda diversidade cultural e gastronômica da região. A 7ª Feirinha dos Produtores será das 8h30 às 15h na Rua Otacílio Ferraz Pacheco, 230, próximo à Pizzaria Mezzaluna. A entrada é gratuita.

Medo
Ontem foi um dia atípico para o mundo! Os números ‘9’ e ‘11’ ficarão marcados novamente na história recente do povo americano. Se não bastasse o 11 de setembro para lembrarmos do terrorismo. Vamos lembrar que no dia 9 de novembro, um maluco foi eleito presidente dos Estados Unidos da América. Pude conversar com dois penapolenses que estão morando lá e a sensação é de perplexidade. Segundo eles, os próprios americanos estão querendo entender essa vitória e o que ela representará nos próximos quatro anos. Porém o meu medo é o que ela representa ao mundo, mas, principalmente aos brasileiros, pois, a onda ‘Bolsonaro’ virá com força! #Medo #FimdoMundo.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br. 

PITACOS #55 – Quanto custa um voto?

“Custo”
Ontem (27), repercutimos aqui no INTERIOR PENÁPOLIS o “custo” de cada voto para os cinco candidatos a prefeito de Penápolis e dos 13 vereadores eleitos e reeleitos para a próxima legislatura na Câmara de Vereadores. O interessante é que os gastos até agora, pois, ainda podem mudar, ficaram polarizados entre o prefeito reeleito Célio de Oliveira e o vereador e candidato derrotado Caíque Rossi (PSD). Caíque “gastou’ R$ 14,51 por cada um dos 7.232 votos, enquanto que Célio apenas R$ 9,72 para 17.145 votos.

“Custo 2”
Já entre os vereadores eleitos e reeleitos à Câmara Municipal de Penápolis, o sexto mais votado, Evandro da Habitação (DEM), desembolsou R$ 22,24 por cada um dos 622 votos recebidos. Bem atrás aparece Dr. Rodolfo (PSD) que “gastou” R$ 10,14 para 807 votos. Na outra ponta, o vereador Rubinho Bertolini, investiu módicos R$ 0,22 para cada um dos 807 votos. Seguido por Júlio Caetano e Cabeça do Coletivo, ambos do PSD que gastaram respectivamente R$ 0,43 e R$ 0,53 por cada voto, sendo que Júlio teve 551 votos, enquanto que Cabeça teve 559 votos.

Hospital-Escola
Na quarta-feira (26), teve sessão na Câmara, após ponto facultativo e feriado do aniversário da cidade. Em discurso, o vereador Caíque Rossi criticou a gestão da Santa Casa de Misericórdia em intervenção há mais de 1 ano. “Naquele momento sabíamos que a intervenção era necessária, mas, hoje podemos analisar se foi benéfico ou não para a cidade”. Segundo ele, o hospital precisa de uma gestão mais eficiente e que possa transformá-la em um hospital-escola.

Hospital-Escola II
Mas aí fica uma pergunta: Como criar no município um hospital-escola se ainda não temos um curso de medicina nas faculdades do município? Pelo que sabemos o projeto da Funepe (Fundação Educacional de Penápolis) para trazer o curso de medicina para a cidade é bastante audacioso e contou inclusive com a ajuda do prefeito reeleito Célio de Oliveira (PSDB). Tendo até negociações avançadas para a criação de uma holding com empresários da cidade para ajudar no financiamento desse projeto que traria importante desenvolvimento não só na área educacional, mas, econômica.

Oposição
Quando o prefeito Célio de Oliveira migrou do PSD para o PSDB e abriu “brecha” para Caíque tornar-se opositor. Nós que acompanhamos a política de perto achávamos que era uma estratégia para marcar seu nome como possível candidato a prefeito e estávamos certos. Após as eleições, aquele Caíque que maneirava nas palavras, mesmo “gritando” nos microfones da câmara, continua sendo o opositor ríspido que marcou seus discursos logo após o rompimento. Quero ver até quando ele aguentará fazer esse tipo de oposição. Aliás, já tem data: 31 de dezembro de 2016.

Oposição II
Agora de onde esse colunista nunca imaginaria que iria ver oposição ao Célio era do vereador Lucas Casella (PSD). Quem é amigo dele sabe o quanto ele é opositor ao PT (Partido dos Trabalhadores), tanto é, que doeu-lhe votar no Alexandre Gil (na época no PT) à presidência da Câmara. Saiu candidato em 2012 para apoiar Célio de Oliveira e ambos foram vitoriosos nas urnas. Teve seu nome cogitado para assumir a Secretaria de Cultura. Agora, aliado ao Caíque evita inclusive citar o nome de Célio, chamando-o de prefeito sub-júdice.

Empurrando
Já ouviu aquela frase que “o fulano está empurrando com a barriga”? Pois bem, é o que está acontecendo na Câmara Municipal de Penápolis. Um dos vereadores (que perdeu nestas eleições), antes dela acontecer, já havia pedido por duas vezes para adiar o projeto que cria a PPP (Parceria Público-Privada). Em uma delas até pediu tempo para conhecer o projeto de Lins, mas, agora voltando do recesso pediu mais 30 dias e não é que conseguiu? Verdadeiramente vão empurrar com a barriga este último um mês e meio.

Suplementação
Já o projeto de suplementação de R$ 1 milhão para a Emurpe foi adiado por uma sessão. O motivo: A ausência do presidente da Empresa Municipal, Cláudio Gomes Dias, o Tiradentes, na sessão de quarta-feira (26), a justificativa segundo os vereadores era uma viagem a São Paulo. Contudo, eles aprovaram novo convite para que Tiradentes compareça na próxima segunda-feira (31).

Livro
Hoje o professor, escritor e ex-prefeito João Luís dos Santos lança seu livro “Uns e Outros Versos” a partir das 19h30, no salão social da Loja Maçônica ‘Estrela da Noroeste do Brasil’, na avenida Bento da Cruz, 126, centro. O livro organizado pelo Renato Costenaro tem o prefácio assinado pelo professor Roberto Rillo Bíscaro. Prestigie!

Feirinha
No próximo dia 12 de novembro, 8h às 15h, acontece a 7ª edição da Feirinha dos Produtores. Desta vez, terá a presença do Chef Ivan Achcar, dono do Restaurante ‘Alma’ em São Paulo e que foi jurado nas duas primeiras temporadas do programa “Cozinheiros em Ação”, da GNT. É um dos chefs da Academia da Carne Friboi e tem um programa na rádio Eldorado Estadão chamado “Quantidades Absurdas”. A feirinha acontece na rua Otacílio Ferraz Pacheco, 230. A entrada é gratuita.

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br.

PITACOS #54 – O resultado de meus palpites!

Palpites I
A minha última coluna lá no INTERIOR PENÁPOLIS foi antes das eleições municipais de 2 de outubro. Portanto, não abordei nada sobre a vitória esmagadora do prefeito Célio de Oliveira (PSDB). Mas, queria relembrar dos meus palpites que fiz no início de março desse ano. Em um deles, disse que se realmente confirmasse cinco candidaturas a prefeito, Célio se reelegeria. Acertei!

Palpites II
Quanto a indicação do Partido dos Trabalhadores, realmente não se configurou a presença do ex-prefeito João Luís dos Santos, muito menos, de Alexandre Gil [que logo após meus palpites mudou-se para o PSD]. Para salvaguardar o legado de oito anos de governo petista em Penápolis, foi convocado Adão Rodrigues da Silva, Adão da Saúde. Fez um bom trabalho, mesmo com pouquíssima estrutura.

Palpites III
Já na candidatura do jovem Caíque Rossi (PSD), as questões foram mais conturbadas. Como abordado na coluna tinha o aval do presidente nacional do partido Gilberto Kassab para se aliar com o PT no município. Contudo a precipitação juvenil lhe atrapalhou, pois, nos bastidores davam como certa a aliança com PT e PMDB, mas, que “melou” após resistências dentro do próprio partido. Além disso, anúncio de Gil como vice e sua posterior renúncia foi um grande golpe. De fato, um segundo lugar ficou de bom tamanho para tantos tropeços durante sua candidatura.

Palpites IV
O que na época diziam ser a terceira via tornou-se a última opção para o eleitorado penapolense. Na época já falava da fragilidade de Éder Granato como possível candidato a prefeito pelo Partido Verde. Tanto é que confirmou com a presença de Ricardo Castilho como majoritário na chapa. Mas, que não foram suficientes para salvar os mandatos de Ricardinho Castilho e Prof. Luís (PV) na Câmara de Vereadores e ainda amargou a última colocação no pleito.

Palpites V
A candidatura de Carlos Pizani a prefeito era dada como certa pelo Partido Progressista. Mas, logo após a publicação daqueles palpites, houve sua mudança para o PSB. Na época, disse que não sabíamos muita coisa e que tínhamos que esperar pra ver. De fato ainda não consegui entender e sinceramente não entenderei.

Palpites VI
Já o prefeito Célio de Oliveira (PSDB), desde os meus palpites em março, amarrou perfeitamente a sua candidatura. Esperou até o último minuto pela a desincompatibilização do ex-prefeito João Luís dos Santos (PT), para convidar oficialmente o PMDB, pois, sabia que líderes peemedebistas como Feltrin e Ziza seriam fiéis ao ex-mandatário (por tudo que construíram juntos no mandato do petista). “Livres e soltos” foram com o atual prefeito, que queria Feltrin como seu vice. A dupla só recebeu 17.145 votos, 58,09% dos votos válidos. Nominalmente os mais votados da história da cidade.

CIP
No domingo passado (9), escrevi sobre a CIP (Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública) aqui no blog. CIP: Ato político eleitoreiro. Digo isso, pois, sua revogação se deu uma semana após as derrotas vexatória nas urnas. A pergunta é: Se todos ali estivessem voltado para a Câmara de Vereadores a discussão para revogar a CIP seria colocada à mesa? Sinceramente, claro que não!

2º Turno
Tanto é que antes mesmo de encerrar o período de votação, Ricardo Castilho já falava em segundo turno (fazendo alusão ao pedido de cassação da candidatura de Célio de Oliveira e com isso novas eleições). Isso ficou claro na segunda-feira (10), durante a sessão da Câmara por dois motivos. O primeiro é querem reverter a imagem de Caíque Rossi (PSD), saindo de “Criador da CIP” para “O cara que acabou com a CIP”, vide os grandiosos elogios de seus colegas vereadores.

Motivo Dois
O outro motivo é o clima de instabilidade que a oposição ao prefeito reeleito Célio de Oliveira desejam criar na cidade. Não à toa é que o próprio Caíque se encarregou de trazer a notícia ‘apocalítica’ caso o julgamento da absolvição ou cassação do mandatário demore para acontecer. Citando cidades como Americana e Birigui que sofreram com a incerteza de ter prefeito ou não. Quem iria governar? O Tiquinho lhe respondeu: “Você passou oito anos aqui e não sabia que será temporariamente o presidente da Câmara?”

Verdade
A verdade é que a oposição deva torcer para que o julgamento demore para acontecer, pois, se o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) julgar, por agora, que é procedente a cassação, o clima de injustiça tomará conta do povo penapolense e independente de quer o prefeito Célio indicar será ele o próximo prefeito.

Será?
Mesmo com muitos meses de conversas não houveram acordos na oposição, configurando o que a Folha da Região chamou de “Todos contra um” – saindo quatro candidaturas para tentar combater o atual mandatário. Caso aconteça a cassação, a oposição (PSD, PT e PV) se juntará tentar derrubá-lo. Inclusive despindo-os de vaidades pessoais como: Lucas Casella X PT; Ricardo Castilho X Dr. Rodolfo e Márcio Reis. Será?

Até a próxima. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br.

CIP: Ato político eleitoreiro!

CIP

Nesta segunda-feira (10), a CIP [Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública] volta a ser assunto entre os parlamentares na Câmara Municipal de Penápolis. Isso porque o vereador e candidato à prefeito, nestas eleições, Caíque Rossi (PSD) e de mais oito companheiros, estão propondo a revogação.

Justificativa
Na justificativa do projeto de lei, os vereadores salientam que no período de vigência os moradores não aceitaram a contribuição de iluminação pública enquanto mecanismo de arrecadação neste momento de crise financeira e de desemprego que atravessa o país e a própria cidade. Além disso, foi calcada no recebimento dos ativos do parque de iluminação pelo município, o que acabou não se concretizando, continuando sobre responsabilidade do CPFL.

Porém…
De forma desesperado, Caíque Rossi, enquanto candidato à prefeito, disse reiteradas vezes que assim que assumisse a prefeitura, iria em janeiro realizar uma audiência pública para revogar a CIP. Mas, então, porque agora o vereador antes mesmo de mandar o projeto de lei não convocou uma audiência pública? Enquanto “prefeito” precisava saber a opinião da população? Mas, enquanto vereador não? FAÇAM UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA! Convoque o prefeito reeleito Célio de Oliveira para dar explicações!

Revanchismo
De verdade, até os mais críticos, reconheceram que a atitude de Caíque e de mais oito vereadores – Rodolfo Valadão Ambrósio, Lucas Casella, Joaquim Soares da Silva, Alexandre Gil de Mello, todos do PSD, José Santino e José Carlos que Aguirre Monteiro, ambos do PT e Luís Antônio Alves de Oliveira e Ricardo Faleiros de Castilho, ambos do PV, foi uma atitude revanchista. Isso porque todos esses grupos perderam feio nas urnas.

Urnas
Para muitos deles, pelo menos a impressão que fica, é de que os votos a favor na CIP, em 2013, foram decisivos nas eleições desse ano. Pelo contrário, a CIP não influenciou em nada, pois, senão Dr. Rodolfo (PSD) e Nardão Sacomani (DEM) não teriam voltado. Já Ricardinho Castilho e Prof. Luís (PV), Fabinho (PSDB), José Santino e Zeca Monteiro (PT), teriam voltado, inclusive aumentando seus votos, o que não aconteceu. Definitiva não foi isso que aconteceu!

Constitucional
De certo é que a lei complementar nº 4 de 2013 que institui a CIP é constitucional, pois encontramos na nossa carta magna em seu art. 149 A. Os Municípios e o Distrito Federal poderão instituir contribuição, na forma das respectivas leis, para o custeio do serviço de iluminação pública, observado o disposto no art. 150, I e III. E em seu parágrafo único: É facultada a cobrança da contribuição a que se refere o caput, na fatura de consumo de energia elétrica.

Inconstitucional
Agora será mesmo que os vereadores observaram a constitucionalidade da revogação, pois, uma vez criada a Lei, a sua revogação, entendo eu, cairá em renúncia de receita e isso é inconstitucional. Está explícito no art. 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal. A concessão ou ampliação de incentivo ou benefício de natureza tributária da qual decorra renúncia de receita deverá estar acompanhada de estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva iniciar sua vigência e nos dois seguintes [..]”. Os vereadores lembraram de fazer o impacto orçamentário-financeiro que recairá ao executivo, a partir do próximo mês?

Inconstitucional II
Já no art. 50 da Lei Orgânica do Município de Penápolis diz: “A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, ope¬racional e patrimonial do Município e de todas as entidades da administração direta e indireta, quanto à legalidade, legitimidade, economicidade, finalidade, motivação, moralidade, publicidade e interesse público, aplicação de subvenções e renúncia de receitas, será exercida pela Câmara Municipal, mediante controle externo, e pelos sistemas de controle interno do Executivo, na forma desta Lei Orgânica, em conformidade com o disposto no artigo 31 da Constituição Federal”. E “§ 1º. O controle externo será exercido com o auxílio do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, cujo parecer prévio somente será rejeitado mediante o voto de dois terços dos membros da Câmara. Houve consulta ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo?

Impacto
De acordo com o prefeito reeleito Célio de Oliveira (PSDB), isso traria um grande impacto nas receitas do município. Segundo ele, os gastos mensais com a iluminação pública giram em torno de R$ 180 mil e com a CIP arrecadaria apenas R$ 100 mil. Sendo assim, a prefeitura precisa desembolsar ainda R$ 80 mil para pagar o montante. Ele explica que isso afetará outras áreas como a saúde e educação, pois, uma vez que economiza R$ 100 mil poderá investir em outras áreas essenciais.

O QUE VOCÊ ACHA: A CIP DEVE ACABAR? COMENTE AÍ!

PITACOS #53 – Verdades sobre a sabatina e candidato que não apoia a juventude

DECEPCIONANTE
Muitos me conhecem pelo trabalho que desenvolvo com a juventude. Milito na área das PPJs (Políticas Públicas de Juventude) há nove anos, construindo com momentos de reflexão e discussão, como, as conferências e o Fórum Paulista de Juventude, no qual, até pouco tempo atrás era seu articulador geral. Mas, o que aconteceu nesta quarta-feira (28), durante a ‘Sabatina da Juventude’ foi algo decepcionante.

SABATINA
Nós, do Conselho Municipal de Juventude de Penápolis, preocupados com discussões acerca dos mais de 14 mil jovens penapolenses, criamos um calendário de ações desde o início do ano que incluía estimular os jovens, principalmente, das escolas públicas e particulares, e com idade entre 16 e 17 anos, a tirarem o título de eleitor. O segundo e creio que o mais importante momento era um debate (que se transformou em sabatina) com os cinco candidatos a prefeito.

MAS…
Mesmo que a Diretoria de Ensino de Penápolis fazendo parte do Conselho Municipal de Juventude (aqui vale uma nota para dizer que estranhamente, desde que esse novo dirigente entrou, não houve mais a participação ativa da DE nas discussões do conselho), desde o início das tratativas para esse evento vem nos boicotando, dando-nos o duro golpe: proibindo a participação de centenas de estudantes das escolas públicas estaduais durante o evento.

JUSTIFICATIVAS
Desde o começo, foram as mais diversas justificativas esfarrapadas que a diretoria nos dava. Primeiro é de que os alunos dos terceiros anos, cerca de 390 estudantes, participariam do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) e que eles estariam se preparando para a prova, porém, a avaliação será no fim de novembro. Depois, desculpas como os diretores estão resistentes com a ideia, mudando posteriormente, para semana de provas, viagens com os alunos e outras atividades.

VERDADE
A verdade é que esse semana, hoje por exemplo, começam a arrumar as sessões eleitorais. E portanto, é uma semana ‘perdida’ para a rede de ensino. Tanto é que teve escola que programou viagem com os terceiros anos para o Morro do Diabo, universidades da região. O mais incrível é que no afã, de conseguirmos público, fomos nas escolas estaduais pedir a liberação de alguns alunos para acompanhar o evento e o que ouvimos foi: Temos ordens expressas para não liberar alunos para esse evento.

FORMAÇÃO
Isso demonstra claramente a política educacional do Estado de São Paulo, que não pretende estimular em seus alunos, momentos de reflexão crítica da sociedade ainda neste momento que estamos decidindo os próximos governantes de nossas cidades. Essa resistência nada mais é do que não quer incluir em seu currículo a importância do debate democrático na formação política/pedagógica dos alunos.

ENTENDEMOS
Com esse episódio entendemos que a direção da Diretoria de Ensino está única e exclusivamente preocupados em melhorar a nota do Saresp, para que quiçá sair ‘bonitinho na foto’ entre as melhores diretorias do Estado, em detrimento da formação político/social/pedagógica de cada um dos cidadãos/estudantes.

VELHA
Essa é a velha e conhecida política educacional que se potencializou na gestão do candidato a vice-prefeito pelo PT da capital paulista, Gabriel Chalita, que outrora foi o Secretário de Educação do Estado de São Paulo e responsável por instituir a maldita progressão continua. Mas, as más gestão culminou no ano passado, com outro descalabro educacional: a reorganização escolar.

DIÁLOGO OU A FALTA DELE…
A falta de diálogo fez com que ‘pipocasse’ centenas de manifestações de pais e alunos por todo Estado. Em São Paulo, por exemplo, tivemos as ocupações de escolas e por aqui passeatas e abaixo-assinados entregues no Ministério Público. A Câmara de Penápolis organizou uma audiência pública sobre o assunto com todos os envolvidos e o único que fugiu do debate, foi o mesmo que golpeou a juventude a não dialogar políticas públicas com os candidatos a prefeitos. Ah que saudades da Sueli Bonfietti!

PACTO
Mesmo não tendo o espaço de diálogo com os prefeitos, nós, do Conselho Municipal de Juventude, cumprimos nosso papel e pedimos aos candidatos a prefeito a assinarem o Pacto da Juventude (documento de compromisso com a pauta dos jovens penapolenses.

PACTO II
Dos cinco candidatos, quarto assinaram o Pacto da Juventude – Célio de Oliveira (PSDB), Adão da Saúde (PT), Caíque Rossi (PT) e Carlinhos Baiano (PSB). O único a não assinar e assim a não se comprometer com as propostas e compromissos dos mais de 14 mil jovens penapolenses foi Ricardo Castilho (PV). O curioso é que a juventude verde, principalmente, em nível nacional, liderada pela minha amiga/irmã Mariana Perin é uma das mais combativas, estando a frente de discussões importantes da juventude brasileira.

Até lá. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com.br

PITACOS #52 – Sabatina da Juventude

Sabatina
Pela primeira vez, o Conselho Municipal da Juventude, organizará uma Sabatina da Juventude com os candidatos a Prefeito de Penápolis. O evento será no próximo dia 28 de setembro, a partir das 8h, no Teatro Lúmine. E tem como objetivo discutir as questões relacionadas as políticas públicas voltadas para os mais de 14 mil jovens penapolenses de idade entre 15 e 29 anos. Isto é, cerca de aproximadamente 25% da população total do nosso município.

Ideia
Em abril, o Conselho Municipal de Juventude elaborou o calendário de ações para este ano. Entre as ações que se referem ao processo eleitoral, o conselho visitou todas as escolas estaduais do município, juntamente com o chefe do Cartório Eleitoral, da 87ª Zona Eleitoral em Penápolis, Samuel Pereira. Foram certamente mais de 100 títulos de jovens de 16 e 17 anos, que ainda não possui a obrigatoriedade de votar.

Regras
Na manhã de ontem (15), os representantes dos cinco candidatos a prefeito – Adão da Saúde (PT), Caíque Rossi (PSD), Carlinhos Baiano (PSB), Célio de Oliveira (PSDB) e Ricardo Castilho (PV), estiveram na sede do INTERIOR Penápolis (local neutro), para discutir as regras da Sabatina, bem como, para decidir a ordem de apresentação de cada um dos candidatos.

Tempo
Ficou acertado que cada candidato terá 30 minutos para apresentar suas propostas ao jovens, sendo que, destes os cinco primeiros minutos serão para apresentação, dez minutos com perguntas dos Conselho Municipal de Juventude, treze minutos de perguntas da plateia e dois minutos para as considerações finais. Para otimizar o tempo e proporcionar maiores questionamentos, tanto o Conselho, como a plateia terá 1 minuto para a pergunta e o candidato terá dois minutos.

Ordem
A ordem que foi definida em sorteio ficou assim: O primeiro será o candidato Carlinhos Baiano (PSB), das 8h10 às 8h40. O segundo candidato, já a partir das 8h50 às 9h20, será o vereador Caíque Rossi (PSD). O atual prefeito e candidato a reeleição Célio de Oliveira (PSDB), entrará na sabatina das 9h30 às 10h. O quarto a ser sabatinado será Ricardo Castilho (PV), das 10h10 às 10h40. E o último da sabatina será o candidato do PT, Adão da Saúde. Ele será das 10h50 às 11h20.

Pacto
Nos intervalos de uma sabatina para a outro, o Conselho Municipal de Juventude convidará os candidatos a prefeito a assinarem o Pacto da Juventude. O Pacto é um documento com as propostas de cada um dos eixos estabelecidos pelo Estatuto da Juventude. Entre eles estão, Participação, Educação, Trabalho, Diversidade, Saúde, Cultura, Comunicação, Esporte e Lazer, Meio Ambiente, Território e Mobilidade e Segurança e Paz.

Propostas
Entre as propostas no Pacto da Juventude está a efetivação da Coordenadoria Especial de Políticas da Juventude, na Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude; Aumentar os valores e ampliar o acesso ao Auxílio Combustível para jovens que estudam em cidades próximas como Araçatuba, Birigui e Lins; Criar editais de cultura, especificando uma parcela de vagas para jovens de 15 a 29 anos; Programa municipal de valorização de atletas penapolenses e a criação de ciclovias e ciclofaixas em todo o municípío de Penápolis.

Proibições
Ficou estabelecido ainda que não será permitida a entrada de cabos eleitorais com camisetas, bandeiras e/ou materiais de campanha. Além disso, será permanentemente proibido que o candidato faça referências ou citações ofensivas aos seus concorrentes e que; a plateia façam qualquer tipo de manifestações, como vaia ou aplausos.

Integrantes
Cada candidato terá o direito de levar quatro integrantes de sua coligação, sendo uma vaga para o vice-prefeito e três vagas para os assessores mais diretos. O Conselho disponibilizará ainda o espaço do camarim do Teatro Lúmine para que os candidatos e seus assessores possam esperar o horário de sua apresentação. Os lugares serão reservados pelo Conselho Municipal de Juventude. Caso candidatos a vereador apareçam por conta ficarão em pé, pois, a prioridade de assento será para o jovem.

Expectativas
A expectativa é que todos os candidatos a prefeito de Penápolis estejam abertos para além de ouvir os jovens, fazer propostas condizentes com a realidade atual de nosso município e da nossa juventude. Do outro lado, esperamos que os jovens estejam dispostos para ouvir as propostas e no dia 2 de outubro, votar consciente de acordo com suas convicções e principalmente pelo compromissos assumidos com os mais de 14 mil jovens.

Até lá. Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@blogdofaria.com.br. E acesse: www.blogdofaria.com. br1616

apoie o jornalismo independente