fbpx

ROLLING STONES VEM AO BRASIL EM 2016

Uma das maiores banda de rock de todos os tempos estará no Brasil no ano que vem. Os ingleses Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood, do Rolling Stones anunciaram hoje (5), que farão uma turnê pela América Latina.

No país, a banda passará por três cidades – Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. O Maracanã, no Rio, receberá a primeira apresentação, no dia 20 de fevereiro. Em São Paulo serão dois shows, nos 24 e 27 de fevereiro, no Estádio do Morumbi. Os Stones encerram a passagem pelo país em Porto Alegre, no Estádio Beira-Rio, no dia 2 de março.

No vídeo publicado no Youtube a banda comenta que os latinos proporcionam um ambiente “elétrico”. “Sem dúvida, o melhor ambiente que já vimos com a banda desde o início dos anos 1970”.
Os ingressos começam a ser vendidos ainda este mês, mas os valores ainda não foram divulgados.

[poll id=”3″]

Turnê

A Olé Tour estreia no dia 3 de fevereiro em Santiago, no Chile, e ainda passa por Buenos Aires (Argentina), México City (México), e, pela primeira vez, em Montevideo (Uruguai), Lima (Peru), Bogotá (Colômbia).

Eu quero estar lá e você?

ARTISTA CELINHA TRINDADE DESENVOLVE SEU TRABALHO COM FAIANÇA, PORCELANA E AZULEJO

Artista participa da sua primeira exposição em Penápolis, desta vez, apresentando os trabalhos desenvolvidos em seu ateliê no fundo de casa

Ateliê construído nos fundos de sua casa é onde Celinha Trindade desenvolve suas peças e ensina as técnicas de pintura em porcelana

Filha do alfaiate José Trindade e da dona de casa Nadir Trindade, Maria Célia Trindade de Paiva, ou simplesmente, Celinha Trindade, 63 anos, é artista com formação acadêmica em Desenho e Plástica e que empresta todo o seu conhecimento para a produção de suas peças em faiança, porcelana e azulejo.

Celinha lembra que desde aos 12 anos já tinha habilidades para o desenho e a pintura, mas, quando o seu pai lhe perguntava o que ela desejaria ser ela prontamente respondia: “Quero ser médica”. Entre seu pai muito sabiamente dizia que ela iria seguir o mundo das artes plásticas. Dito e feito. Aos 22 anos conclui na Funepe (Fundação Educacional de Penápolis).

“Depois que eu entrei no Curso de Desenho e Plástica, logo eu comecei a estudar pintura em porcelana em Araçatuba com uma amiga e descobri que era isso mesmo que eu queria para minha vida”, comenta.

Mas, como tudo não é flores, mesmo trabalhando na área, Celinha mudou-se para a capital paulista para trabalhar no governo do Estado de São Paulo junto a Secretaria do Trabalho, no departamento de desenho, tendo que parar com os trabalhos por algum tempo.

“Lá em São Paulo produzi algumas peças que até foram expostas, mas tive que parar e voltar apenas alguns anos depois a produzir minhas peças. Isso foi logo após o nascimento de minha filha”, comenta.

Em São Paulo, Celinha chegou a estudar na Panamericana Escola de Arte e Designer e frequentou o curso de vitrine e diagramação.

Voltou para Penápolis para cuidar da sua filha Laura Paiva e trabalhar na empresa de Identificação visual do marido e publicitário Antônio Henrique que por muito tempo fez placas estilizadas em madeira.

Somente em 1998, montou o ateliê Celinha Trindade na qual produzia suas peças e ministrava suas primeiras aulas para interessados em aprender a técnica da pintura.

Ateliê
Seu ateliê foi construído nos fundos de sua casa na Rua 15 de novembro, no centro da cidade. Lá ela ministra aulas de pintura para turmas de até cinco alunos.

“Eu cheguei a ter 30 alunos ou seja seis turmas durante a semana. Aos poucos eu fui diminuindo o ritmo e me dediquei mais nas minhas produções. Hoje são apenas duas turmas de cinco alunas cada, o que me deixa com mais tempo para produzir”, comenta.

Ela lembra que no ano 2000 o ateliê produziu uma exposição em parceria com o Museu do Sol com trabalhos apenas de seus alunos.

“Lembro até hoje, por termos muitos aprendizes na época fomos capazes de montar essa exposição e apresentar ao grande público os trabalhos desenvolvidos por meus alunos”, lembra com carinho.

Celinha participa da sua primeira exposição em Penápolis, desta vez, apresentando seus trabalhos desenvolvidos com faiança, porcelana e azulejo.

“É um prazer enorme poder apresentar os trabalhos que desenvolvo com tanto carinho e dedicação – sabemos o quanto é trabalhoso o processo de montagem de uma peça. Temos que filetar, levar pro forno, depois passar a primeira demão de tinta, voltar pro forno e assim levamos pelo menos quatro dias. Mas quando vemos a peça é aí que sabemos como ficou o resultado final”, comenta.

Exposição
Desde o dia 23 de outubro, o Museu do Sol recebe a exposição Terra, Cor e Fogo, com as artistas penapolenses Celinha Trindade, Ana Franco e Celina Passafaro.

Elas transformam ideias em objetos de beleza para uso ou contemplação. Na mostra terão peças em porcelanas e faianças pintadas num processo que envolvem pigmentos secos que aglutinados se transformam através do fogo. Ou o barro que são transformados em objetos utilitários ou escultóricos, através da queima, onde fixa a forma e esmalta com variadas colorações. A exposição ficará até 17 de dezembro, no Museu do Sul, na Rua Bento da Cruz, 798. O horário de funcionamento é das 13h às 17h.

PITACOS #30 – FRENTE PARLAMENTAR DE JUVENTUDE

Conferência
Na quarta-feira (21), estive em São Paulo para dois importantes compromissos. O primeiro foi na Coordenadoria de Políticas da Juventude, na Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo. Lá participei de mais uma reunião da Comissão Organizadora Estadual que elabora a 3ª Conferência Estadual de Juventude. Ainda não temos datas e nem local definidos, mas, muito em breve traremos mais notícias.
Frente Parlamentar
O segundo compromisso foi à tarde na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Lá as vossas excelências deputado Caio França (PSB) e a deputada Leci Brandão (PC do B), retomaram as discussões da Frente Parlamentar de Juventude. Na oportunidade, como membro de um Conselho Municipal de Juventude e da articulação estadual do Fórum Paulista de Juventude falei da importância de se efetivar o tão sonhado Conselho Estadual de Juventude, que servirá para discutir nossas aspirações a cerca das políticas públicas de juventude que contemple toda a diversidade dos mais de 10 milhões de jovens paulistas.
Conselhos Municipais
Falei também que neste processo estão os conselhos municipais de juventude que na “ponta” dialoga e constroem juntos com os governos municipais as PPJ´s, Porém precisamos de um trabalho efetivo junto aos prefeitos e prefeitas dos 645 municípios paulistas para que criem e efetivem órgãos de juventude (sejam eles secretarias e coordenadorias de juventude); Conselhos de Juventude; e Fundos Municipais de Juventude.
FPJ
E foi na perspectiva dos Conselhos Municipais, que em 2009, surgiu e assim permanece até hoje o Fórum Paulista de Juventude, como um espaço aberto à discussão, reflexão, formação, proposição e troca de experiências entre os municípios do Estado de São Paulo e de todo país, visando à melhoria da qualidade de vida da juventude paulista.
FPJ II
O Fórum conta com diversos atores como conselheiros municipais, gestores de juventude e jovens dos movimentos sociais. Por isso afirmamos o compromisso com a construção de uma sociedade justa, solidária, democrático-participativa e que respeite as diferenças, colocando o Fórum Paulista de Juventude, a disposição da Frente Parlamentar de Juventude, pois, entendemos que é um importante espaço e quem vem somar na construção das Políticas Públicas de Juventude no Estado de São Paulo.
Festivais
E pelo segundo ano consecutivo, a Secretaria Municipal de Cultura, realiza o “Carlão Rock”, festival que surgiu para substituir o já extinto “Plis Rock”, que por sua vez nasceu para homenagear Carlos Ferreira, popular Carlão, que faleceu em 2008 e foi um dos maiores incentivadores do rock´n´ roll em Penápolis.
Carlão Rock
O “Carlão Rock” será hoje (23), na Praça Nove de Julho, a partir das 17h. Tocarão no festival três bandas de Penápolis – “Banda Don Ramon”. “ADN Rock”, com integrantes também de Campinas e a “Banda Hëllisch”. Já da cidade de Marília vem a “Banda Partido dos Poetas”.
Pethit
E para encerrar o festival sobe ao palco o cantor paulistano Thiago Pethit, que cantará os sucessos do CD ‘Rock’n’Roll Sugar Darling’, que em seu novo trabalho evoca o rock’n’roll clássico, mas provocativo, apropriando-se de sua origem marginal, afetada, sexy e debochada para chegar a canções em que guitarras rockabilly e tambores à la Bo Diddley convivem com batidas eletrônicas, elementos digitais e samples. O show é gratuito e faz parte do Circuito Cultural Paulista, uma parceria entre a Prefeitura de Penápolis e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.
Exposição
E começa hoje, a partir das 20h, no Museu do Sol, a exposição “Terra, Cor e Fogo”, com as artistas penapolenses Ana Franco, Celinha Trindade e Celina Passafaro. As três vão mostrar suas ideias transformadas em objetos de beleza para uso ou para contemplação. A exposição fica até 17 de dezembro.
Estudantes
Na sexta-feira passada, a Câmara Municipal de Penápolis realizou audiência pública para tratar da reorganização das escolas públicas no Estado de São Paulo. Participaram as representantes da Apeoesp Tereza Cristina e da Umesp (União Municipal dos Estudantes Secundaristas de Penápolis), Larissa Gimenes. É de lamentar a ausência do dirigente regional de ensino Lucinei Aparecido Euzébio – que sequer enviou representante em seu lugar, mostrando claramente que a posição do Estado é unilateral, impositiva e truculenta. Na terça-feira, parte da Umesp foi até São Paulo protestar contra a reorganização.
Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@ricardofaria.com.br. E acesse: www.ricardofaria.com.br

ANA FRANCO TRANSFORMA SUAS IDEIAS EM OBJETOS DE BELEZA

Suas obras de artes estão espalhadas pelo mundo – Austrália, Espanha, Estados Unidos, México, Argentina e Reino Unido
Eduardo Simão/ Penapolitanos
Ana produz as peças em diversas plataformas como em papel, tela, chacote, cerâmica, vidros, porcelanas ou faiança no ateliê instalado em sua casa
Com um olhar bastante peculiar sobre a vida e as pessoas, a artista Ana Franco, com 62 anos, está sem dúvida em um de seus melhores momentos artísticos. Ela, após aposentar-se, ao invés de parar e naturalmente descansar, preferiu investir seu tempo em mais e mais pesquisas que pudesse de alguma forma melhorar ainda mais seus trabalhos. 
Formada em Educação Artística pela Funepe (Fundação Educacional de Penápolis), em 1977, Ana entende que a formação acadêmica foi fundamental para a artista que é hoje. 
“A minha formação em artes teve um embasamento teórico muito bom, o que me possibilitou na prática conhecer outras técnicas com diversos artesões e aproveitar ao máximo cada conhecimento. Se eu não tivesse essa prévia com toda certeza teria sido muito mais dificultoso, pois, não conseguiria assimilar e traduzir no meu olhar”, comenta. 
Ana Franco define-se com um gosto bastante eclético, mas sem estilos definidos. “Prefiro transitar sempre em diversas plataformas seja ela de papel, em tela, chacote, cerâmica, vidros, porcelanas ou faiança”. 
Quando criança já tinha seus papéis em mãos, pintando sempre que via pela frente. Já na adolescência sonhava em ser artista plástica. 
“Em casa nunca vivemos da arte, mas estava muito presente em tudo que fazíamos – sempre fomos muito estimulados. Meu pai [Benedito Pereira] era músico, trocava trompete divinamente então naturalmente fomos levados a gostar de arte”, lembra. 
Quando criança já tinha seus papéis em mãos, pintando sempre que via pela frente. Já na adolescência sonhava em ser artista plástica
Tanto é, que a música está presente no processo de construção de suas peças. “Eu coloco música para trabalhar. Eu sou muito eclética com música também. Para trabalhar prefiro os autores que prioriza a melodia como na MPB e no Jazz. Gosto também da música instrumental – quando ouço os mais agudos, de fundo, a movimentação dos sons, você imagina e descreve uma maravilhosa história”. 
Outra coisa que ajuda Ana Franco no momento de suas criações é a paisagem verde presente em seu quintal. “Eu não fico sem jardim, sai de uma casa no centro e vim pra essa porque tem quintal. Eu gosto da terra, preciso ter paisagem. O jardim foi eu quem fiz, se eu não tiver um pouco de verde eu fico sufocada, pois, além do mais aqui na nossa região não conseguimos ver a linha do horizonte”. 
Suas obras de artes estão espalhadas pelo mundo – Austrália, Espanha, Estados Unidos, México, Argentina e Reino Unido são alguns dos países que possuem alguma peça de Ana Franco. 
CONHECIMENTO
Assim que Ana Franco saiu da faculdade foi lecionar no Colégio Educandário Coração de Maria; nas escolas públicas como Adelino Peters, Casa da Amizade e Marcos Trench, além de ministrar aulas também na Funepe. Com isso, teve que desacelerar suas criações, mas, não deixou de aprender. 
“O trabalho em sala de aula é muito enriquecedor para o trabalho da gente. O aluno traz ideias que ele nem imagina. Vamos com uma proposta e ele vem como uma respostas que a gente não tinha pensado anteriormente”, comenta. 
Saiu da sala de aula para assumir a responsabilidade de ajudar a construir o acervo do Museu Histórico e Pedagógico “Memorialista Gláucia Maria de Castilho Muçouçah Brandão”, anteriormente denominado “Fernão Dias Paes”. 
“Trabalhei por mais de 15 anos como diretora do museu. Naquela época chegamos realizar mais de 19 eventos em um único ano. Diversas exposições itinerantes vinham para Penápolis e nós fazíamos parceria com a Galeria Itaú e com a Caixa Federal para expormos em seus espaços. O que me marcou também foi alguns ciclos de debate sobre diversos temas – um deles era a ‘mãe trabalhadora’ onde convidamos psicólogos, sociólogos, delegada da mulher para falarmos sobre o assunto e também a ‘A Influência da mídia no comportamento social’, quando trouxemos o diretor da TV Tem de Araçatuba. Até que veio o processo de municipalização e eu voltei a lecionar”. 

Artista participará da exposição “Terra Cor Fogo” no Museu do Sol

Ana Franco irá expor porcelanas e faianças pintadas num processo que envolve intervenção de pigmentos secos que aglutinados se transformam através do fogo em vitrificador
No próximo dia 23 de outubro, a partir das 20h, no Museu do Sol, a artista Ana Franco fará parte da exposição “Terra Cor Fogo”, com outras duas grandes artistas penapolenses – Celinha Trindade e Celina Passafaro.  
Elas há décadas se dedicam a transformar ideias em objetos de beleza para uso ou contemplação, tanto é, que Celinha e Ana vão mostrar porcelanas e faianças pintadas em suas respectivas oficinas, num processo que envolve peças industrializadas. Através de intervenção utilizam pigmentos secos que aglutinados se transformam através do fogo, em vitrificador. 
Já Celina Passafaro transforma o barro em objetos utilitários ou escultóricos num primeiro momento. Através da queima fixa a forma, esmalta com pigmentos de várias colorações e, novamente, vai ao forno para vitrificar a peça.
As expositoras, todas com formação artística, têm produção expressiva, fator que permite neste momento do 107º aniversário da cidade de Penápolis exibir suas produções. (Com informações do Museu do Sol)
Fotos: Eduardo Simão/Penapolitanos 

PENAPOLENSES SE DESTACAM NA LITERATURA DESCREVENDO SENTIMENTOS, ANGÚSTIAS OU MOSTRANDO SUA CONDIÇÃO ALBINA

Juliana Costa, Roberto Rillo Bíscaro e Marcos Serafim são alguns dos desbravadores que ousaram escrever e transformá-los em livros

O que seria a humanidade sem livro? Ou sem escritor? Será que sem eles teríamos relatos importantíssimos sobre a história da humanidade?  Os escritores sem dúvida alguma tem a capacidade de expressar em palavras os seus sentimentos, as suas angústias, bem como, sua completa falta de habilidade para concordar com o que está posto dentro da sociedade. 
Nos mais longínquos lugares do mundo nós encontraríamos com toda certeza algum escritor. Mas não precisamos rodar o mundo para falar com um deles – temos eles aqui, perto de nós, nesta terra de Maria Chica que acolheu Cora Coralina acolheu também Juliana Costa, Roberto Rillo Bíscaro e Marcos Serafim. 
Eles são alguns dos desbravadores que ousaram escrever e transformá-los em livros o que havia de melhor das suas neuras, das suas angústias ou simplesmente se despir de todas as vaidades e lançar um livro autobiográfico. 
Não é à toa que o poeta paulistano Mário de Andrade resume perfeitamente a arte de escrever. “Escrevo sem pensar, tudo o que o meu inconsciente grita. Penso depois: não só para corrigir, mas para justificar o que escrevi”. 
A escritora Juliana Costa comenta que escreve desde muito criança. “Adorava inventar histórias e passá-las para o papel. As lembranças mais antigas que tenho escrevendo é com 12 para 13 anos, quando escrevia fanfictions sobre Arquivo X, um seriado que eu era muito fã”. 
Juliana diz que é uma aficionada por livros e sempre tinha, aliás, tem até um livro em sua cabeceira. 
“Sempre li muito, até hoje, é uma grande paixão e sempre fiquei indignada com o fim das histórias, nem sempre serem como eu gostaria que fosse, então acho que isso me induziu a começar a escrever histórias com o fim que eu queria”. 
Ela comenta ainda que com a adolescência vieram os dilemas, as dúvidas e as paixões, descobrindo o mundo dos poemas. “Era a forma que eu tinha de me expressar, desabafar e gritar para o mundo o que eu queria, mas, em metáforas para, ao mesmo tempo, só eu entender. Desde então nunca parei de escrever”. 
No início de 2013, ela resolver lançar um livro pela editora Clube de Autores, publicação por demanda, com poesias escritas de 2007 até 2013. Porém, o valor de R$ 42 inviabilizou o seu sonho e as vendas foram baixíssima.
“Já passaram-se dois anos e recentemente, com novos poemas escritos, decidi relançá-lo com o mesmo título, “Retalhos de Tinta”, com todos os poemas daquele primeiro mais os novos, só que dessa vez com publicação caseira, assim barateou bastante e cada livro sai por R$ 10,00. O lucro é simbólico mas meu objetivo é divulgar mesmo meus escritos”. 
Autobiográfico
Para o professor e blogueiro Roberto Rillo Bíscaro, escrever para ele está totalmente ligado a sua condição de ser albino e o trabalho que ele desenvolve a frente de seu blog “Albino Incoerente”. 
“Na verdade o que eu tenho escrito é minha autobiografia, que foi uma continuação do trabalho do blog, mas também uma necessidade interna e emocional de colocar as coisas e a minha história de vida em perspectiva. Na verdade escrever pra mim foi rearranjar a história pessoal e colocar fatos e procurar uma certa ordem, dentro da minha história pessoal de superação, isso na verdade é o que m motivou a escrever”. 
Ele comenta que o livro “Escolhi ser Albino”, escrito em 2011, demorou pelo menos um ano para ser elaborado. “Eu escrevi uma versão, li e achei uma versão ruim até por ter formação em literatura, então não fiquei nada contente com ela e ai comecei a escrever de novo. Foi um processo bastante bom no sentido emocional, porque foi uma viagem ao passado pessoal e familiar, sendo que cada parte, capa capitulo eu tinha uma viagem interna, lançando novos olhares para fatos que havia acontecido”. 
Poesia 
Já para o poeta Marcos Serafim, a literatura entrou na sua vida aos onze anos, quando ganhou um  caderno de anotações da sua irmã.  “Foi ali que comecei a escrever o que pensava e o que sentia. Eu fui escrevendo um caderno após outro, ainda os tenho guardados. São escritos com coisas minhas e adaptações de coisas que me tocavam, principalmente a música. E em certo ponto percebi que estava escrevendo prosas poéticas”. 
Marcos possui sete livros publicados, mas lembra com carinho do primeiro “Em meu Jardim Secreto…”, lançado em 2010 na biblioteca municipal. “Reuni nele alguns textos escritos, escrevi novos. Já os livros seguintes seriam poemas, não mais prosas poéticas”. 
Para ele escrever independente com que estiver a mão quando a inspiração vem. Segundo ele não é uma escolha escrever, sendo que, qualquer coisa pode desencadear essa vontade.
“Eu materializo algo que não cabe mais na alma, ou no campo nos sentimentos, e precisa ser materializado, posto para fora. É a forma que tenho de expressar mais intimamente, mesmo que metaforicamente, algo que está dentro de mim, e sente a necessidade de não estar mais. Não escrevi por escrever. Tudo o que fiz veio de algo real, algum acontecimento ou sensação vivido. Quando alguma experiência toca a alma, eu coloco isso no papel, ou na tela [do computador]”. 
Marcos Serafim escreveu também “Alma à tona” de 2012, “Mais de mil palavras – a poesia da imagem” de 2012, “Nuvens de Janeiro” de 2013 “Chiaroscuro” de 2014, “Ex-voto” de 2014, “Tempos Inversos” de 2015. 

PITACOS #29 – ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR

Controle Social
Muitas pessoas que me acompanham sabem que sou um apaixonado por controle social. Não é à toa que participo de três conselhos simultaneamente – Conselho Gestor de Saneamento Ambiental do DAEP (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis), do Conselho Municipal de Juventude e do Conselho Municipal de Cultura – pois penso que fortalecendo os conselhos, fortaleceremos a participação cidadã nas decisões políticas do governo, independente de qualquer esfera seja ela.
Conselho Tutelar
Por isso mesmo que me coloquei a disposição da sociedade para disputar a uma vaga do Conselho Tutelar de Penápolis. Afinal de contas é um dos maiores espaços de decisão quanto a política pública para crianças e adolescentes do país. Durante o processo (que foi longo), pois, tiveram as inscrições e suas homologações, período de impugnações, curso preparatório, campanha e eleições; aprendi muito com diversos atores que promovem as políticas sociais da cidade.
Conselheiras
E no último dia 4 de outubro finalmente conhecemos as quatro novas conselheiras do Conselho Tutelar de Penápolis para o quadriênio 2016 a 2019. Quero parabenizar a Aline Castro Lortscher Rahal com 675 votos; Vânia Aparecida de Brito Santino com 666 votos; Ruth Pereira Dias com 534 votos; Cleuza Dos Santos Araújo com 526 votos e Denise Fabiano Mian Pinto com 520 votos, que terão a incumbência primordial de ajudar na proteção integral de nossos pequenos e pequenas penapolenses.
Ponto Positivo
Não poderia deixar de parabenizar o CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), na figura de sua presidente Marlene Nascimento e o Ministério Público do Estado de São Paulo, na figura do promotor de justiça João Paulo Serra Dantas, que organizaram e fiscalizaram respectivamente todo o processo da eleição do Conselho Tutelar. Foi sem dúvida muito bem organizada.
Ponto Negativo
Por outro lado e principalmente nos bastidores do processo de escolha pudemos acompanhar o que tem de mais perverso e mais sujo na política brasileira. Ora era dirigente partidário colocando o poder econômico em cima da mesa para negociar parceria, ora era dirigente partidário dizendo claramente que decidiu em reuniões do partido em quem apoiar. Não é à toa que vimos durante a eleição diversos cabos eleitorais travestidos de “amigos”. Tanto é que no final desse pleito o MP irá investigar possível transporte de eleitores. Será este a prévia para as eleições municipais de 2016?
São Francisco
Nosso amigo e articulista do INTERIOR aos domingos, Olmair Perez Rillo, expôs segunda-feira na Câmara de Vereadores, a sua preocupação quanto à destruição e deterioração do monumento de São Francisco no trevo da bandeira, construído pelo artista plástico Reinaldo Munhoz Morás. Ele deseja que o monumento seja retirado de lá e colocado do Museu de São Francisco, atualmente instalado na 1ª Casa de Penápolis. O que você acha disso?
Exposição
A Sokka Gakkai Internacional, uma ONG filiada a Nações Unidas, trará para Penápolis, nos próximos dias 16 a 25 de outubro, a exposição “Sementes da Esperança” – que traz como mensagem principal “Começa com você”, mostrando a relação saudável entre o ser humano e a natureza, embasando sempre na educação humanística “Aprender, Refletir e Empoderar”.  A exposição será no Penápolis Garden Shopping.
Reorganização
O estado de São Paulo anunciou semana passada que irá promover uma reorganização nas escolas públicas estaduais, deixando algumas escolas com apenas um ciclo escolar, isto é, ou os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e/ou ensino médio. Em Penápolis, as unidades escolhidas para essa mudança será o Adelino Peters, Dr. Carlos Sampaio Filho, Yone Dias de Aguiar e Luiza Maria Bernardes Nory.
Mobilização
Professores e alunos, no entanto, não querem a reorganização por entender que não haveria ganho pedagógico nenhum, além de aumentar a distância da casa a escola, dependendo da unidade. Alguns professores entregaram panfletos no centro da cidade e usaram a tribuna da câmara de vereadores para reivindicar ajuda da sociedade e dos políticos para que não haja essa mudança. E os alunos promoveram na quarta-feira uma passeata nas ruas da cidade e terminaram na Diretoria de Ensino. A movimentação está dando resultado, pois, a Câmara aprovou na última sessão uma audiência pública para discutir o tema. Qual a sua opinião sobre isso?
Outubro Rosa
E o Blog do Faria pelo segundo ano consecutivo aderiu à campanha Outubro Rosa. Em 2015, o lema é “Mulherada, se toca”, fazendo alusão ao autoexame que a mulher deve fazer. O câncer da mama é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. A maior incidência dos casos ocorre na região sudeste, sendo que esta taxa é de 64.54 casos/100mil mulheres. Essas incidências são decorrentes de quanto maior o desenvolvimento da região maior a incidência de câncer de mama, refletindo uma sociedade mais industrializada com consumo cada vez maior de uma alimentação inadequada, excesso de peso e talvez estresse.
Casa de Apoio
Falando em câncer, o presidente da Associação Casa de Apoio de Penápolis em Barretos, Valdenez de Campos Caputo, carinhosamente chamado de Chiquinho, esteve na Câmara Municipal explicando o funcionamento da Casa de Apoio que funciona como dormitório para os pacientes oncológicos do Hospital de Câncer de Barretos. Ele destacou que a casa está sendo mantida com o dinheiro arrecadado no último show de prêmios que a entidade realizou, sem nenhum aporte financeiro da prefeitura de Penápolis. A entidade recebe em regime rotativo mais de 100 pacientes por mês.
Jurídico
E o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo concedeu liminar ao Procurador Geral do Estado da Ação Direta de Inconstitucionalidade quanto às expressões de Procurador Geral do Município, Diretor Presidente da Emurpe, Diretor Presidente do DAEP, Coordenador Pedagógico, Recepcionista de Gabinete, Secretário de Prefeito e Tesoureiro. Sendo que o relator Borelli Thomaz ressaltou que as funções de recepcionista, secretário e tesoureiro são meramente administrativos e burocráticos nem devendo ter relação de confiança. Já o de Procurador Geral do Município o colegiado entende ser de livre nomeação do prefeito, porém, entre os advogados de carreira.
Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@ricardofaria.com.br. E acesse: www.ricardofaria.com.br 

PROGRAMAÇÃO DE OUTUBRO DO BLUE TREE PARK LINS HOMENAGEIA OS ANOS 60

Infomercial 
O Blue Tree Park Lins, maior resort de águas termais do interior de São Paulo, oferece uma programação especial em homenagem à década de 60 durante mês de outubro. As atividades englobam aulas de dança, baile da “Brilhantina”, baladas que remetem a famosos filmes da época, além de gincanas na piscina e oficinas de drinks.
Para complementar a celebração aos anos dourados, de 18 a 24 de outubro, será realizada a semana “Anos incríveis no Blue Tree Park Lins”, com bailes temáticos, bingos, gincanas, musical retrô e shows de piadas.
Os hóspedes também poderão curtir os 2,8 mil m² de piscinas termais com temperaturas que variam de 35 a 40º C, fitness center, pista de cooper, quadra poliesportiva e de tênis, sauna, salão de jogos, spa, lago com pedalinhos e arvorismo com tirolesa. Também são oferecidas atividades diárias como caminhada, hidroginástica e alongamento, sempre acompanhados por monitores treinados.
Em sistema de pensão completa (café da manhã, almoço e jantar com bebidas não alcoólicas e sobremesas à vontade), o valor do pacote para dois dias no mês de outubro está a partir de R$ 1.649,00 + 10% de taxa de serviço, em apartamento Standard para casal, com gratuidade para duas crianças de até 11 anos.
Para efetuar reservas, basta entrar em contato pelos telefones (11) 3018-1848, se estiver em São Paulo, ou 0300-150-5000, no caso de ligar de outras localidades. Mais informações sobre o Blue Tree Park Lins podem ser obtidas emwww.bluetree.com.br e www.bluetreeparklins.com.br
BLUE TREE PARK LINS
Situado no noroeste paulista, o resort Blue Tree Park Lins possui um dos maiores complexos de águas quentes e minerais do Brasil (média de 38ºC nas piscinas). São 2.800 m² de piscinas de águas termais naturais, recortadas por pequenas ilhas artificiais, que formam um caminho onde o hóspede encontra cascatas, pontes, hidromassagem e bar. Os hóspedes também têm à disposição uma piscina de água fria de 500 m², com cascata e deck de madeira de 250 m², bem como quadras esportivas, salão de jogos, spa, lago com pedalinhos e arvorismo com tirolesa, caminhada, dança, alongamento e hidroginástica. O Blue Tree Park Lins está localizado no interior de São Paulo, a 450 km da capital.
Blue Tree Park Lins
Rod. Marechal Rondon, km 443 – Lins (SP)
Tel.: (14) 3533-6300
Central de Reservas
São Paulo: (11) 3018-1848
Demais localidades: 0300-150-5000
reservas@bluetree.com.br
www.bluetree.com.br

PITACOS #28

Liderança
A sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira (21), caminhava para uma sessão chata, sem nenhuma novidade, quando eis que surge o vereador Caíque Rossi (PSD), propondo ao também vereador Dr. Rodolfo (PROS), que abrisse mão da liderança do governo na Câmara para um dos vereadores do PSDB – partido agora do Prefeito Célio de Oliveira.
Surpresa
Pegaram todos de surpresa, vereadores e população presente na Câmara. Tanto é que teve parlamentares petistas aplaudindo o pedido do Caíque Rossi e outros que davam risadas sem entender o porque desse pedido, afinal de contas, Dr. Rodolfo é fiel ao prefeito Célio de Oliveira. Mesmo assim, ele colocou a disposição a função caso o prefeito e seu novo partido deseja assumir o posto.
Emendas
Durante a sessão, o presidente da casa Alexandre Gil (PT), conclamou os vereadores a criarem emendas ao orçamento de 2016, que será votado em breve pela Câmara. Segundo ele, houve uma conversa entre os parlamentares e a Secretária de Finanças Maria Emília que lhes explicaram como fazer uma emenda ao projeto sem ferir a legislação. Já faz tempo que não a uma emenda parlamentar em orçamentos municipais.
Candidato
Ainda durante a sessão, tive a oportunidade de brincar com o Ricardinho Castilho (PV), de quem deveria ser o candidato a prefeito do Partido Verde, era seu pai Ricardo Castilho, que já fora ‘alcaide’ nos idos dos anos 1970. Dr. Ricardo já falou publicamente que foi o responsável pelas as eleições de 2008 e 2012, para João Luís (PT) e Célio de Oliveira (na época pelo PSD). Não está na hora de ganhar uma eleição, sendo ele o candidato a prefeito?
CISA
E na próxima terça-feira, 29, a partir das 19h30, a Câmara Municipal realizará audiência pública sobre o possível fechamento do Consórcio Intermunicipal de Saúde. Foram convidados representantes da direção do CISA, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Conselho Municipal de Saúde e vereadores e prefeitos dos municípios integrantes do consórcio.
Poeta
Em julho do ano passado, eu tinha a honra de conversar com o professor de matemática, Maurílio Machi, que se aventura brilhantemente pelo mundo poético das palavras. Na oportunidade ele apresentara ” Acolhimento ou Recuso”, o livro que seria lançada na Bienal do Livro em São Paulo. Infelizmente nesta semana, a vida e seus desígnios o tirou de nós. Mas seu legado e suas obras ficaram para relembramos com carinho desse grande homem.
Contradições
Ele dizia gostar das contradições, pois, todos nós somos contraditórios o tempo todo. Como pode perceber no poema Fábula de “Faces e Fases” –
“Por detrás do muro/ Espreita a vida/ Não a sua vida/ Mas, talvez a vida que gostaria de ter/ A vida que não viveu/ Que não vive/ E que possivelmente/ Não viverá”.
Sarau
E no dia 1 de Outubro, Penápolis participa do Desafio “Dia de Ler, Todo dia!”, uma mobilização nacional pela leitura. Durante todo, das 09h às 21h, a página no Facebook da Biblioteca Fausto Ribeiro Penápolis, receberá fotos e vídeos de pessoas sozinhas ou em grupo lendo seus livros preferidos, contando pontos para a cidade. Como prêmio, o município ganhará um kit de livros novinhos para as duas bibliotecas municipais. Para encerrar as atividades do dia, a partir das 19h, terá o Sarau na Biblioteca Municipal ” Prof. Fausto Ribeiro de Barros”. Estão todos convidados.
Picadeiro
A Praça Dr. Carlos Sampaio Filho, será palco hoje (25), a partir das 20h, do espetáculo “Metro y Medio”, com a palhaça Maku Jarrak. É um espetáculo que emociona através da expressão corporal e da comunicação cômica, provando que o humor é universal. Ela é dirigida por um dos mais referentes palhaços latino-americano, o Payaso Chacovachi (que esteve em Penápolis durante o Circuito Sesc de Artes). O evento é uma promoção do Governo do Estado de São Paulo, através do Circuito Cultural Paulista.
Doações
Publicamos durante a semana aqui no INTERIOR que os adolescentes do Interact Club de Penápolis iniciaram uma campanha de arrecadação de alimentos, de produtos de limpeza e de materiais em geral para doar aos desabrigados de Panorama, município distante a 220 km de Penápolis. A arrecadação vai até o dia 14 de outubro, podendo ser entregues as doações a um dos interactianos.
Piloto
Estão abertas as inscrições no Aero Clube de Penápolis, o Curso Teórico de Piloto Privado. O curso é o primeiro passo para quem deseja se tornar um piloto de avião. No final desta primeira etapa o aluno se submeterá a uma prova teórica da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). Caso seja aprovado, estará apto a concluir o treinamento prático. O inicio será dia 15 de outubro. Maiores informações: 3652 2617 e aeroclubepenapolis@gmail.com.
Alguma sugestão, crítica ou elogio mande para ricardo@ricardofaria.com.br. E acesse: www.ricardofaria.com.br

PENÁPOLIS RECEBE A ESCRITORA BRUNA BEBER


Os penapolenses apaixonados por literatura terão a oportunidade de participar amanhã (23), a partir das 15h, na Biblioteca “Fausto Ribeiro de Barros”, de um bate-papo com uma das escritoras que foi sensação da FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) de 2013. Com o livro “Rua da Padaria”, a escritora Bruna Beber, faz dos poemas veículos para um retorno a infância e da adolescência vividas em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Não é à toa que o crítico literário Luciano Trigo classifica-os como: “versos marcados pela ironia e pelo ceticismo, mas também por uma nostalgia sentimental e quase alegre, algo como aquilo que a gente sente quando folheia um álbum de fotografias de família”, e completa: “O que importa não são os fatos, aliás, banais, mas a vida interior que eles ajudaram a construir e formatar – o registro de histórias ouvidas, de frases soltas, das brincadeiras na rua, filtradas pela memória e pela imaginação”. 

Beber é também autora de “Rapapés e Apupos”, “A fila sem fim dos demônios descontentes” e “Balés”. O Blog do Faria entrevistou a poetisa por e-mail e ela falou um pouquinho do processo criativo e da expectativa de conhecer as cidades do interior de São Paulo através do programa Viagem Literária, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.
FARIA: Você sempre foi incentivada a escrever desde pequena? Lembra quando foi a primeira vez que sentiu que poderia escrever? Como foi pra você?
Bruna: Sim, sempre, comecei participando de concursos de poesia na escola. A primeira vez foi assim, lembro-me da sensação até hoje, parecia tão natural.
F: Você é daquelas pessoas que vê poesia em todo lugar?
B: Na maioria das vezes, sim, e quando não, procuro.
F: Em outras entrevistas você comentou que no livro a “Rua da Padaria” você demorou quatros anos para escrevê-lo. Como foi esse processo? Testou bastante?
B: Sim, escrevi e reescrevi. Gravei os poemas, ouvi várias vezes. Espalhei os poemas que ainda precisavam de resolução em cantos estratégicos da casa para conviver com eles.

F: A memória está muito presente na Rua da Padaria. Qual é a importância que ela tem no livro?
B: Em certo sentido, sim, da primeira infância, grandiosas e primeiras memórias, as construídas/reais, tudo se mistura muito.
F: Como é pra você ser comparada com Leminski? “Leminski de saias”.
B: Foi uma brincadeira que fizeram porque meu livro vendeu muito na FLIP, um dos mais vendidos em 2013, e na época essa discussão de “poesia vende/ poesia não vende” estava bastante comum porque a poesia completa do Leminski tinha batido várias reimpressões em pouco tempo.

F: Qual a sua expectativa em participar do Programa Viagem Literária?
B: Estou muito ansiosa, sempre quis participar do programa. Este ano ainda bem me chamaram. Gosto de viajar para as cidades mais afastadas das capitais, interiores, estados pouco visitados. O público tem um interesse diferente no nosso trabalho e isso é muito gratificante. E o fato de ser nas bibliotecas públicas me instiga mais ainda, eu sempre fui rata de biblioteca.

CASAL WEEDS REFORMA KOMBI, APELIDA DE ‘CHICA’ E SE PREPARA PARA VIAJAR O PAÍS

Renan e Natália comenta que queriam ter tido essa ideia antes, trajeto sairá de Penápolis, passando pelo litoral paulista, Rio de Janeiro, Espírito Santo até chegar na Bahia

Em meio a poluição sonora do centro comercial de Penápolis, um casal chama a atenção para o estilo de vida que resolveram ter. Eles são conhecidos por seus amigos como “casal weeds”, mas, na verdade, eles são Renan Praes e Natália Falkembach Vieira, ambos com 28 anos de idade.

Como todo jovem, estão desacelerando a vida e buscando meios mais alternativos de sobrevivência, deixando de lado a turbulência do dia-a-dia e dos trabalhos que exigem sempre mais e mais, sem devolver na mesma medida a recompensa que lhes é devida.

Renan, natural de São Paulo, passou sua adolescência em Penápolis, mas, como todo jovem que deseja crescer profissionalmente precisou ir para São José dos Campos, trabalhar como corretor de imóveis. De lá, passou por diversas cidades trabalhando com corretagem.

“Trabalhando com corretagem eu passei por Taubaté, Jacareí, Itanhaém, Praia Grande, Angra dos Reis, Maresias, ficando em torno de 6 meses a 1 ano em cada local. Mas aquela vida de trabalhar na sexta, sábado e domingo mais de 12 horas por dia estava me deixando estressado. Quando tive a oportunidade de sair, aluguei um ‘box’ numa galeria e fui vender camisetas, skates, pranchas de surf, relógios entre outros artigos”, comenta.

Já Natália, também conhecida por Naty Falkem, nesta mesma época estava cursando faculdade de direito e trabalhando numa operadora de celular vendendo chips. “Eu já trabalhei com tudo que se possa imaginar, vendi chip de celular, assinaturas de revistas e fui atendente de telemarketing, mas, eu queria mesmo era montar meu próprio negócio. Foi quando resolvi alugar um ‘box’ na mesma galeria que o Renan e montei a tabacaria”, lembra.

Juntos, eles decidiram sair da galeria em Santos e mudarem as lojas para São Vicente (cidade vizinha), em um único ‘box’. “Nós alugamos esse ‘box’ em São Vicente e juntamos as mercadorias, mas com o tempo, precisamos fechar, pois, estávamos ficando muito apertado, foi quando meus pais ofereceram para vir morar aqui em Penápolis”, relembra Renan.
Terra de Maria Chica
Quando desembarcaram em Penápolis, tinham apenas duas mochilas com roupas e uma máquina de lavar. “Nós literalmente damos um tiro no escuro, não sabíamos ao certo no que daria, foram 8 meses sem nada de móveis, chegava a ter eco dentro de casa”.

“No inicio ficamos quatro meses sem nenhum trabalho. Conseguíamos uma grana divulgando páginas no Facebook. Depois disso começou a se encaixar, eu consegui emprego de telemarketing e ele na Usina Clealco”.

Concomitantemente eles montaram um grupo na internet e vendiam camisetas. Com o tempo e a estabilidade financeira fez com que Naty saísse do trabalho e montasse a loja de roupas e tabacaria. “Neste tempo ia para São Paulo buscar mercadorias, mas como a tabacaria no interior não é bem visto paramos. Foi neste tempo que entrou o artesanato em nossas vidas. Tanto é que nosso primeiro filtro foi feito num pneu de bicicleta. Depois fizemos um de cipó e nossos amigos gostaram e começaram a comprar, com isso vimos que podia ser um trambalho”, comenta Naty e Renan completa “Eu levava material para construir os filtros nas minhas horas vagas”.

Num desses dias, Renan ao voltar do trabalho na Usina foi questionando por Naty que iria fazer da vida. “Eu falei sei lá vamos viajar. Mas a verdade é que estávamos cansando mesmo daquela rotina casa-trabalho-casa. Nós trabalhávamos muito, ganhava pouco e ainda tinha a pressão dos chefes, chegava em casa estressado e tudo mais”, diz Renan.

“Nós trabalhamos para pagar água, luz, aluguel e internet, e ainda tenta juntar dinheiro para fazer uma viagem no fim de ano, mas na real não dá pra viver assim, por isso, mesmo que resolver trabalhar viajando”, comenta Naty.
Chica
Com a proposta de Renan, os dois foram pesquisar como poderiam viajar com um mínimo de conforto e eles resolveram comprar uma Kombi que logo apelidaram de ‘Chica’. “Ficamos três meses reformando ela. Trocamos o painel, estofado e adaptamos os bancos traseiros para ser a nossa cama”.

Eles vão continuar vendendo os produtos via internet na loja https://www.arteweeds.com.br/  e entregando as mercadorias de diversos lugares do país. “A gente tem um trabalho rolando na internet, se não der nada na rua, tem outra loja na internet que está vendendo por nós. muitas pessoas tentam menosprezar, mas não sabe o potencial que isso tem”.

Eles pretendem sair ainda no final do mês. o primeiro destino é Pratigi na Bahia, onde terá o festival Universo Paralelo na virada do ano. “Estou muito empolgada para irmos, pois, eu queria ter tido essa ideia antes, nós vamos sair daqui, vamos para o litoral paulista e de lá passando por Rio de Janeiro e Espírito Santo”.

O casal pretende registrar os momentos da viajem num blog. “Ainda não sabemos ao certo como vamos tocar isso, mas, a ideia é que possamos registrar esses momentos, pois, além de conhecer o local queremos interagir com ele”.

“Com o tempo, a ideia é de desenvolver oficinas com as comunidades carentes das cidades por onde passaremos, onde nós podemos deixar a nossa marca”, finaliza Renan. 

PITACOS #27

CISA 
Na edição de ontem (10), publicamos aqui no INTERIOR uma matéria sobre o possível fechamento do CISA (Consórcio Intermunicipal de Saúde), que engloba as sete cidades da microrregião – Penápolis, Avanhandava, Barbosa, Glicério, Braúna, Alto Alegre e Luiziânia. A verdade é que a empresa pública de natureza privada criada em 1986, está mal financeiramente. São mais de 24 milhões de dívidas com INSS patronal e o FGTS não é recolhido desde setembro do ano passado. 
Fechamento
Mesmo com todo esse cenário, a diretora geral Renata Vidal afirma que não tem hipótese alguma de fechamento do CISA. Do outro lado, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Penápolis Anderson Leone, o Batata, está mobilizando servidores, vereadores e comunidade para discutir o assunto numa audiência pública que será convocada pela Câmara Municipal de Penápolis. 
Médicos
No pequeno expediente da última sessão, o vereador Francisco José Mendes, o Tiquinho, ao comentar o sofrimento de uma cidadã que usara a tribuna da Câmara, disse que a empresa que atuar no Pronto Socorro Municipal contrata médicos que se “formaram ontem” e que se fosse assim era melhor não ter médico. De pronto o vereador Dr. Rodolfo rebateu a fala do parlamentar dizendo que muitos dos profissionais do Pronto Socorro fizeram residência e tem experiência para estarem ali. 
Leite de Pedra 
O prefeito Célio de Oliveira (PSD), tem dito nos últimos meses que a Administração está “tirando leite de pedra” e que se não alterasse os pagamentos de pequeno valor de 20 para 6 salários mínimos, de ações judiciais transito e julgados pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a Prefeitura de Penápolis não suportaria até o fim deste ano. 
Cargos 
Pois bem, nas últimas duas semanas, a administração municipal enviou para a Câmara de Vereadores, dois projetos que criam quatro cargos de encarregaturas – Chefia de Serviços e Licitações; Chefia de Transporte Público; Serviço do INCRA e Serviço de Inspeção e Fiscalização dos produtos de origem animal. Nos dois primeiros, 10 de 12 vereadores com direito a voto votaram contra, rejeitando assim a criação dos mesmos. Já no de Chefia do INCRA, os parlamentares foram bem claros que a prefeitura deve extinguir alguns cargos para obter êxito. No caso do Serviço de Inspeção e Fiscalização dos produtos de origem animal, a mudança será apenas de secretarias, saindo da Secretaria de Saúde e indo para o de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente. 
Mulheres
Acontece hoje, 11, a partir das 7h30, a 2ª Conferência Municipal de Políticas para Mulheres. Com o tema “Mais direitos, participação e poder para as Mulheres” o evento vai avaliar o que já está sendo desenvolvido e definir estratégias para avançar fortalecendo ainda mais as políticas públicas para as penapolenses. O encontro será no CEU das Artes, rua Manoel Foz, 515, na Vila Aparecida. 
Trânsito
Também hoje, 11, mas a partir das 19h30, a Câmara Municipal de Penápolis realiza a audiência pública sobre a municipalização do trânsito. 
Serão discutidos entre outros assuntos: os benefícios da municipalização, criação da Junta Administrativa de Recursos e Infrações, a estruturação administrativa, as obras de engenharia, a ordenação do fluxo de veículos e pedestres, sinalização, regulamentação de estacionamentos e programas de educação, preparação técnica, adequação legal do município às normas e leis do trânsito.
Ministérios
E não é que os possíveis cortes de ministérios no governo federal está dando o que falar? A presidente Dilma Rousseff determinou que houve diminuição de apenas 10 dos 39 ministérios existentes. Mas o Ministro de Planejamento, Nelson Barbosa sugeriu o corte de 15 pastas. Entre as possíveis mudanças está a incorporação do Desenvolvimento Agrário à Agricultura ou ao Desenvolvimento Social, e a extinção do Turismo. 
Cultura 
Nesta mudança, o MinC (Ministério da Cultura) poderia voltar a integrar o Ministério da Educação. Entidade que militam na área cultura já se mobilizam contra esse possível retrocesso. É inadmissível que o MinC desapareça, pois é o único espaço oficial possível da disputa do pensamento, da reflexão e do simbólico no governo federal. #MinCResiste
Abandono
Fechar o MinC hoje seria abandonar a cultura tradicional indígena, quilombola, dos povos de terreiro, de matrizes africanas, do Circo – que apenas nos últimos 10 anos conseguiram alguma representação junto aos poderes públicos. Seria abandonar os artistas, fazedores e pesquisadores de Teatro, Dança, Artes Visuais, Cinema, Hip Hop, além de todas as linguagens embrionárias advindas da relação contemporânea entre tecnologia e Arte. Seria abandonar a construção cotidiana da subjetividade dos brasileiros.
Exposição
Está aberta à visitação gratuita a exposição “Uma ideia sustentável”, instalada no Museu do Sol. A exposição conta com cerca de 60 trabalhos artísticos criados pelos alunos do Ateliê do Museu do Sol. São obras desenvolvidas ao longo do primeiro semestre, cuja temática abordada foi a sustentabilidade do planeta e o reaproveitamento de materiais. A exposição é aberta ao público e pode ser apreciada de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, na Avenida Rui Barbosa, 798, centro.
ricardo@ricardofaria.com.br | www.ricardofaria.com.br 

DUPLA EVANDRO & JUNINHO FAZEM SUCESSO NA INTERNET COM ‘MASHUP’

Recentemente bateram a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube; dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas
A dupla já percorreu os estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo

A dupla sertaneja penapolense Evandro & Juninho bateram recentemente a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube – maior rede social de vídeos do mundo. Eles fazem sucesso com os famosos ‘Mashup´s’ – composições criada a partir da mistura de duas ou mais canções pré-existentes. Normalmente é feita pela transposição do vocal de uma canção em cima do instrumental de outra, de forma a se combinarem.

“Vimos que outras duplas no Brasil já estavam fazendo mashup’s – como as duplas ‘Leo Verão e Daniel Freitas’ e ‘Lu e Robertinho’, também estavam fazendo e nós também resolvemos fazer os nossos e deu muito certo”, comenta Evandro. 

E Juninho explica que a dupla começou em 2012, mas, no inicio eram as famosas músicas do sertanejo e sertanejo universitário, vindo após seis meses os primeiros mashup’s. “As primeiras apresentações eram apenas o sertanejo, até que seis meses depois gravaram o primeiro mashup e surpreendendo muito, o nosso primeiro vídeo já foi além da expectativa e nem as gravações do DVD com o Caipiroska com tanta produção, deu certo assim”, explica Juninho.

No canal, o mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos. A dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas. E a partir dos vídeos os penapolenses tiveram os primeiros convites para tocarem nos estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo. “Nós chegamos a ter convites de cidades do Amazonas, Bahia, Pará, Acre para tocar, mas por questões de logística não podemos tocar”.

Para diversificar os formatos dos vídeos, no inicio desse ano a dupla fez um Pocket Show. “Pedimos a casa de um amigo e gravamos lá nove músicas que estamos soltando aos poucos. Lá foi muito bacana porque apresentamos para aproximadamente 30  amigos”.

Eles não tem certeza de onde chegaram, mas sabem de uma coisa, trabalharão com o pé no chão. “Iremos onde Deus nos levar. Por nossa força quebramos muito a cara, nos outros trabalhos criamos muito expectativa em cima, então agora eu prefiro deixar a coisa fluir. Não vou criar muita expectativa”, fala Evandro.

“Vamos comemorar um dia de cada vez. É claro que a gente almeja o sucesso, ser conhecido pelo nosso trabalho. E se a gente vê o que estamos fazendo desde do Caipiroska para agora é muito legal ver a evolução. Pra se ter ideia tem mais gente nos conhecendo fora do que aqui em Penápolis”, comenta Juninho.
Influência
Mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos
Evandro e Juninho são primos e a música sempre estiveram no seio da família. O pai de Evandro é o músico Jair que por mais de 30 anos esteve a frente da banda American Show que percorreu fazendo bailes país a fora.
“Desde pequeno sempre fui influenciado pela música, meu pai e meu avó que era sanfoneiro sempre me ensinou. Aos 15 anos fui tocar com eles e no início era bateria, depois que passei pro vocal”, disse Evandro.

Quando a banda acabou Evandro e Juninho foram tocar numa banda de Rock in Roll.  “Nós tínhamos uma banda de rock, mas nos intervalos dos ensaios, sempre tocávamos uma música sertaneja para descontrair. Daí que surgiu tempo depois o Caipiroska”.
Com o Caipiroska, Evandro e Juninho, tinha a parceria de Danilo e outros amigos, que chegaram a gravar um DVD. “Foi uma época muito bacana pra nós, tivemos o reconhecimento aqui na nossa cidade, mas, após o DVD nós vimos que o investimento foi alto e não tivemos um retorno esperado. Com isso, víamos que grupos como Tradição e Alma Serrana estavam acabando, então decidimos finalizar o trabalho e alçar algo novo. Daí que surgiu a dupla”, comenta Juninho. 

E a dupla já tocou numa festa de universitários em Maringá e  teve aproximadamente 6 mil pessoas, também já tocou em Bacuriti distrito de Cafelândia, que a população dobra quando tem a festa de rodeio. “Foi bacana por nós duas foram top. Maringá tinha uma galera jovem que curtiu muito nosso som e em Bacuriti, o distrito é bem pequeno, mas com um público bem receptivo. Eles nos trataram com muito carinho. Nós que fomos pela segunda vez podemos sentir a mudança na organização da festa”. 

A dupla já tocou com “É o Tchan” e abriram o show de Batom na Cueca. Além disso cantaram o Hino Nacional Brasileiro no jogo da sexta rodada com Campeonato Paulista entre Penapolense e Palmeiras.

DOIS NOVOS CARGOS PRA QUÊ?

Nas últimas semanas, o prefeito Célio de Oliveira, choramingou em sua coluna semanal de que a administração está “tirando leite de pedra” e que se não alterasse os pagamentos de pequeno valor (até 20 salários mínimos) “a Prefeitura não suportaria até o fim deste ano”. Pois bem, então por que o executivo está mandando um projeto de lei que cria dois novos cargos – Chefia de Serviços e Licitação e do Transporte Público?
Lembro-me que na Assembleia dos Servidores Públicos Municipais de Penápolis, em fevereiro desse ano, Célio explicou aos presentes que além de buscar e incrementar novas receitas, teria que reduzir gastos.
Para isso iria fazer uma revisão nos cargos de encarregaturas e chefias, mas principalmente, economizar de 60 a 70% dos R$ 4 milhões em horas extras previstos para esse ano.
Daí eu pergunto: Fez a revisão de cargos de encarregaturas e chefias? Creio que não, pois, se tivesse não estaria criando mais duas não é!? E economizou de 60 a 70% dos valores gastos em horas extras? Mostre-nos os números.
Infelizmente sabemos não foi feito o dever de casa. Pois se o tivesse feito, não teria proposto algo tão descabido. Querer mudar a regra dos passivos é jogar o problema para debaixo do tapete – decerto que se mudasse de 20 para 6 salários mínimos (R$ 4.728,00), o “bolo” dos precatórios daqui a alguns anos seriam bem maior do que o é hoje.
Sugiro que concentre forças para valer a isonomia [segundo o qual todos são iguais perante a lei; não devendo ser feita nenhuma distinção entre pessoas que se encontrem na mesma situação] e assim acabar com o privilégio de apenas 200 servidores em detrimento dos mais de 1.600 funcionários públicos; ao invés de criar novos cargos. 
Você acha pertinente a criação desses dois novos cargos? Deixe sua opinião.

PITACOS #26

Agradecimentos 
Esperei pacientemente 555 dias. Foi quando procurei o jornalista Gilson Ramos pedindo um espaço opinativo semanalmente no INTERIOR, pois, não gostaria deixar de dar os meus “pitacos” sobre os acontecimentos da cidade. Na época, ele me fez uma contraproposta e aqui estou, um ano e cinco meses depois escrevendo diariamente a página 3. Agora surge nova oportunidade, escrever quinzenalmente em um dos maiores jornais da história da cidade. Espero honrar com louvor e dedicação. 
Conferência 
Na quarta-feira (26), a Prefeitura de Penápolis, através da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude, em parceria com o Conselho Municipal de Juventude e Secretaria Municipal de Cultura realizaram no CEU das Artes, a 3ª Conferência Municipal de Juventude. Na oportunidade teve a participação de mais de 100 jovens de diversas escolas públicas e particulares do município.   
Conferência II
Durante a conferência tanto o prefeito Célio de Oliveira, como, alguns secretários ficaram deslumbrados com o tanto de jovens que o Conselho Municipal de Juventude, conseguiu mobilizar para essa etapa. Foi sem dúvida e sem medo de errar, a maior das três etapas que já realizamos. Queria agradecer as funcionárias da Secretaria de Esportes – as professoras Regina e Márcia e a estagiária Fabriny. Da Secretaria de Cultura, Luiz Colevatti e Norberto Belan. E os membros do Conselho Municipal de Juventude, pelo belíssimo trabalho desenvolvido antes e durante o evento. 
Propostas
Uma das propostas e recorrentes na Conferência Municipal de Juventude é a efetivação da Coordenadoria Especial de Políticas de Juventude criada em 2005 e até agora sem um coordenador de fato. Todos os jovens foram unânimes em entender a importância de ter um espaço dentro do governo que pense as políticas públicas para os jovens. Sem dúvida, o Conselho de Juventude vai encampar essa bandeira. 
Propostas II
A conferência propôs 11 temas de discussão e entre eles o de Território e Mobilidade Urbana. E não é que a juventude pensa diferente do governo? Eles elaboram uma proposta de expansão comercial para os bairros, que busca incentivar novos corredores comerciais. Diferentemente do projeto do governo municipal com o densamento ainda maior no centro. Espero que com essa resposta da juventude, o governo possa repensar suas atitudes, pois, só beneficiam meia dúvida de pessoas. 
Estadual 
Durante a 3ª Conferência Municipal de Juventude, foram eleitos dois jovens para a etapa estadual da Conferência, a ser realizada entre os dias 9 e 11 de outubro, em Atibaia, onde terão mais de 2 mil jovens discutindo e propondo ações para melhorar as Políticas Públicas de Juventude no Estado de São Paulo. Os representantes penapolenses serão Larissa Gimenes e Leandro Martins da Rocha. 
Conselho
Também houve durante o evento, a eleição de cinco jovens que farão parte do Conselho Municipal de Juventude nos próximos dois anos. São eles – Lucas Pereira, Damaris Sonsino, Cyntia Giovana Martins, João Victor Adriano e Maria Eduarda. O Conselho reúne-se toda primeira segunda-feira do mês, sempre às 14h, na Sala Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação. Exceto em setembro que a nossa reunião será no dia 14, pois, dia 7 é feriado. 
Campeão 
Ocorreu na tarde de ontem (27), uma linda homenagem ao nadador penapolense Thiago Simon, campeão dos 200m peito no Pan-Americano de Toronto no Canadá. Ele recebeu das mãos do prefeito Célio de Oliveira um certificado de reconhecimento pela conquista e depois percorreu as ruas da cidade em cima do caminhão de bombeiros até o Parque Aquático (onde tudo começou). Lá descerrou placa em sua homenagem. 
Sarau
Amanhã (29), no Anfiteatro do CEU das Artes, a partir das 19h30, o Coletivo Feminista Cora Coralina realiza o Sarau Liberdade e Resistência Feminina. O evento tem como objetivo, além de, discutir as questões das mulheres através da música, da poesia, do teatro e de intervenções artísticas, divulgar a 2ª Conferência Municipal da Mulher que ocorrerá em setembro. Além disso, as mulheres do coletivo estão preparando um brechó com roupas, calçados e acessórios em geral com valor máximo de cada peça R$7,00. 
Cotas 
Também amanhã, a Lei 12.711/2012 (Lei das Cotas nas Universidades) completa três anos. Até 2015, a medida já ofertou aproximadamente 150 mil vagas para os negros, o que provou ser um instrumento eficaz para reduzir as desigualdades existentes na sociedade. A medida permitiu o ingresso no ensino superior de jovens que normalmente não teriam essa chance. Além das vagas garantidas pelas cotas, os estudantes negros também têm acesso ao Fies e o Prouni, que auxiliam no ingresso e na permanência em instituições privadas de ensino superior.

‘OS HEDONISTAS´ APRESENTAM ESPETÁCULO HOJE NO CINE LÚMINE

Divulgação
A impossível tarefa de passar são e salvo pela vida é um dos pontos de partida do espetáculo “Os Sobreviventes”, traz à tona questões como a opressão, medos, traumas e o autoaprisionamento, e coloca como figuras centrais pessoas que, apesar de tudo, se mantiveram em suas existências.

O espetáculo é mais recente trabalho de ‘Os Hedonistas’, companhia de teatro da cidade de Birigui, que se apresenta hoje (15), a partir das 20h30, no Cine Teatro Lúmine, por meio do Sesc Birigui.

Em cena, Cláudio procura por uma psicóloga para entender e tentar solucionar seus conflitos. Neste encontro, ambos acabam sendo colocados frente a suas lembranças, que incluem momentos de opressão e discriminação acerca de questões como homossexualidade e feminismo.
MONTAGEM
O espetáculo é para o público adulto maiores de 16 anos e tem por objetivo trabalhar questões referente à diversidade sexual. De acordo com o grupo, a peça foi baseada no método de escrita automática vivenciada em uma oficina com o Teatro da Vertigem e incitados pelas indagações propostas pela direção, os atores desenvolveram textos baseados em seus relatos pessoais.

Para montagem de cenas, além dos textos produzidos foram usadas como ferramentas imagens que fizessem referência aos temas abordados. 
FICHA TÉCNICA

Gênero: Drama
Classificação: 16 anos
Duração: 40 minutos
Direção/Sonoplastia e Iluminação: Renata Carvalho
Dramaturgia e Maquiagem: Bárbara Teodósio
Elenco: Bárbara Teodósio, Djalma França e Evandro Cláudio
Cenário e Figurino: Evandro Cláudio
Áudio Visual: VJ TUPYCAÍNA (João Luiz de Oliveira).
Operador de Som: Charles Ferlete.
Material Gráfico: Tiago Junqueira
Orientação: Fabiana Monsalú

SECRETARIA DE CULTURA REALIZA 2ª SEMANA DE MUSEUS

Imagem/Secom
Pelo segundo ano consecutivo, a Secretaria Municipal de Cultura realiza a Semana de Museus. O evento começa na próxima segunda-feira (17) e ocorrerá até o próximo dia 21 de agosto e contará com oficinas formativas, exposições, feira de artesanato e shows, e o melhor tudo gratuita.
De acordo com a secretaria, a Semana tem como objetivo promover os museus da cidade – Museu Municipal de Folclore; Museu Histórico e Pedagógico “Memorialista Glaucia Maria de Castilho Muçouçah Brandão”; 1ª Casa de Penápolis – Museu de São Francisco e Museu do Sol.
Durante a semana, os museus ficarão abertos à visitação gratuita durante todo o dia e também à noite, enquanto acontecem as atividades na Praça 9 de Julho. O Museu Histórico e Museu do Folclore estão instalados na Praça 9 de Julho – Centro. Já o Museu do Sol fica localizado na Avenida Rui Barbosa, 798, centro. E a 1ª Casa de Penápolis, também conhecida como Museu de São Francisco, fica na rua dos Capuchinhos 33, Jardim Primavera.
PROGRAMAÇÃO
Oficina de Educação Patrimonial / Sisem
Dias 17 e 18 – das 9h às 16h
Local: Museu Histórico 
Inscrições: (18)3652.7034 – 20 vagas 
A Oficina “Educação Patrimonial” será coordenada pela museóloga Karina Alves e tem como objetivo apresentar e discutir sobre Educação Patrimonial, seus conceitos, desenvolvimento e práticas em contextos contemporâneos. A oficina abordará as práticas de pesquisa e metodologias pertinentes ao tema, que oferecem subsídios aos profissionais de educação e cultura. Parceria: SISEM (Sistema Estadual de Museus) e ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari).
Abertura Exposição “Este jornal também é uma piada”
Dia 19/08 – 10h – Museu Histórico
Exposição de charges da Ditadura Militar do acervo do Museu da Língua Portuguesa. Parceria com o Sisem. 
Oficina “Diálogos com o Sustentável”
Dias 19 e 20 – das 14h às 15h 
Local: Museu do Sol 
Inscrições: (18)3652-0590 – 15 vagas por turma 
Oficineira: professora de artes Célia Muçouçah 
Abertura Exposição “Uma ideia Sustentável” 
Dia 21/08 – 19h30 – Museu do Sol 
Oficina de Bonecos Personalizados em E.V.A. 
Dias 19, 20 e 21 – das 8h às 11h 
Local: 1ª Casa de Penápolis
Inscrições: 3653.5898 – 15 vagas por turma 
Confecção de bonecos de EVA, (São Francisco) com a utilização de outros materiais, como isopor e madeira. Oficineira: artesã Vilma Pereira. 
Oficina de Cerâmica “Arte no barro”
Dias 19, 20 e 21 – 13h às 15h
Local: Museu de Folclore
Inscrições: (18)3652.7715 – 25 vagas por turma
Oficina destinada aos interessados em aprender a arte rudimentar de produzir objetos de cerâmica. Classificação livre. Oficineira: artista plástica Celina Passafaro
Oficina de Cerâmica “Técnicas Milenares”
Dias 19, 20 e 21 – 19h30 às 21h30
Local: Museu de Folclore
Inscrições: (18)3652.7715 – 15 vagas (turma única) 
Oficina específica para quem já possui conhecimento em trabalhos de cerâmica. Serão produzidas peças decorativas, com técnicas mais complexas, vários tipos de barro e pigmentação. Classificação: a partir dos 14 anos. Oficineira: artista plástica Celina Passafaro.
Workshop “A diversidade rítmica e seus instrumentos” 
Dia 21/08 – 19h às 23h 
Local: Praça 9 de Julho (Sala 2 – fundos) 
Inscrições: (18)3652.5568 – 25 vagas
Oficineiro: músico Rafael Freitas 
Passeio de Trenzinho
Dias 19, 20 e 21 de agosto 
Horários: 9h; 14h e 19h 
Local: Partida/Chegada – Praça 9 de Julho 
Os visitantes poderão fazer um passeio de trenzinho, percorrendo os principais pontos históricos e Museus da cidade. Classificação e demanda livre. 
Feira de Artesanato
De 19 a 21 de agosto
Horário: 19h às 22h 
Local: Praça 9 de Julho 
Artesão interessados em expor e comercializar seus produtos devem fazer inscrição no Museu de Folclore – (18)3652.7715
APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS
Local: Praça 9 de Julho 
Dia 19/08 (quarta-feira)
19h30 – Coral Livre Municipal
20h15 – Orquestra Municipal de Viola
21h – Banda “El Caboclo”
Dia 20/08 (quinta-feira)
19h30 – “Donde Andar” – Música/Dança  – CEU Harume Kubota
20h15 – Dupla Sertaneja Luiz Marcos e Mateus – Música Raiz
Dia 21/08 (sexta-feira)
19h30 – Grupo Recanto da Catira (Glicério)
20h15 – Folia de Reis
21h – Teatro “Julietas e Romeus” – Cia Brava 
21h15 – “A história do samba” – Teatro/Dança – Grupo Amanajé (Bilac) 
Com informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis

apoie o jornalismo independente