fbpx

Letícia Sader será presidente da Câmara de Vereadores de Penápolis

A primeira vereadora cadeirante da legislativo penapolense, Letícia Takano Sader (MDB), será a próxima presidente da Câmara de Vereadores de Penápolis, no biênio 2021/2022.

A votação que confirmará seu nome na presidência, acontece nesta sexta-feira (1º), logo após a posse dos 13 parlamentares, do prefeito eleito Caíque Rossi (PSD) e da vice-prefeita Mirela Fink (Podemos).

Letícia será a segunda mulher a assumir o posto. A primeira foi a Maria José de Macedo, a Zezé Macedo (PSDB), entre 1985/1987 e 1989/1990.

Segundo o que o blog apurou, desde o início das negociações – logo após a eleição municipal – o grupo liderado por Letícia com outros cinco vereadores já estavam fechados, faltando apenas decidir as posições da mesa diretora e da vice-presidência.

Durante as conversações, o grupo procurou as vereadoras eleitas Dona Vilma (Republicanos) e Professora Jandinéia (PT), além dos atuais parlamentares Júlio Caetano (PSD) e Ivan Sammarco (DEM).

Júlio e Ivan lançaram suas candidaturas à presidência da Câmara no dia seguinte de serem reeleitos durante a eleição municipal, no último dia 15 de novembro, mas, não conseguiram viabilizar seus nomes para liderar a mesa diretora. Nas primeiras conversas, ambos não teriam aceitado o convite para assumir o segundo biênio 2023/2024.

Entretanto, após a confirmação da vereadora Dona Vilma em votar com o grupo liderado por Letícia Sader – e com votos suficientes para eleger todos do mesmo grupo –; o vereador reeleito Ivan Sammarco teria se reaproximado do grupo, com o compromisso de assumir a presidência nos últimos dois anos.

Composição

Com os votos necessários, o grupo dividirá entre os partidos que apoiaram a candidatura de Carlos Alberto Feltrin (MDB). A presidência ficará justamente nas mãos do partido do atual vice-prefeito.

A primeira secretaria ficará com Paulo Henrique Castelleone Sanchez, o Paulinho do Esporte (DEM). Já a segunda secretaria será do engenheiro civil, Edson Bilche Girotto, o Batata da Pizzaria (PSDB).

Para a vice-presidência da Câmara de Vereadores, assumirá o servidor público municipal, Nelson Santana da Rocha, o Nelson Kbeção (Cidadania).

PSD

Diferente de quatro anos atrás, o Partido Social Democrático (PSD), não será decisivo para compor a direção da Câmara de Vereadores de Penápolis.

Dentro do partido, o vereador reeleito Júlio Caetano lançou sua candidatura à presidência no dia seguinte à eleição – durante a sessão ordinária da Câmara –; condicionando, inclusive, o segundo biênio a eleição de uma mulher.

Inclusive teria conversando com Feltrin, para solicitar o apoio de Letícia Sader e José Antônio Ferres Chacon, o Cabeça do Coletivo, ambos do MDB, antes mesmo de conversar com o prefeito eleito Caíque Rossi e seus pares de poder legislativo.

A ausência de Júlio durante a campanha eleitoral, a falta de lealdade, aliada com prepotência adquirida após a expressiva votação – que lhe rendeu a primeira colocação – teria afastado o prefeito e os vereadores da coligação de declaram publicamente apoio a sua candidatura.

Nos bastidores, Júlio Caetano tem dito que está sendo traído pelo grupo capitaneado pelo prefeito eleito Caíque Rossi. Mas, desde o início tem condicionado em suas negociações de que ele deveria ser o presidente por ter sido mais votado.

Em uma das oportunidades, ao pedir respeito por ter sido o mais votado, ouviu do Ivan Sammarco: “Eu devo te respeitar, como você me respeitou na eleição passada?”. Fazendo alusão ao episódio de que Júlio votou no Rubinho Bertolini, ao invés de votar no Ivan – que na oportunidade teria sido eleito em primeiro nas eleições de 2016.

Em 24 horas, números de notificações do Coronavírus saltam de 176 para 867 em Penápolis

Uma semana após noticiarmos que a Gestão Célio e Feltrin omitiam dados sobre o novo Coronavírus em Penápolis, a Secretaria Municipal de Saúde modificou a forma de notificar as informações de novos casos da doença no município.

Agora, de acordo com o novo Boletim do Coronavírus as notificações saltaram quase 400% desse domingo, 12, para essa segunda-feira, 13. Foram exatas 691 novas notificações. Ao todo, são 867 notificações, sendo 419 negativos, 186 descartados, 178 aguardando resultado e 84 positivos.

Segundo o secretário de saúde – que coronel da polícia e não é médico, né? – Wilson Carlos Braz, os números são a partir do último dia 26 de junho quando “iniciou” os exames em todas as pessoas sintomáticas, bem como, nas assintomáticas de grupos específicos como profissionais da saúde e da segurança pública.

Matéria está sendo atualizada…

Gestão Célio e Feltrin omite dados sobre Coronavírus em Penápolis

A gestão do prefeito Célio de Oliveira (sem partido) e de seu vice Carlos Alberto Feltrin (MDB), à frente da Prefeitura de Penápolis, estão omitindo dados de notificações de casos do novo Coronavírus – o Covid-19.

De acordo com as informações obtidas com exclusividade pelo Blog do Faria, até o último dia 25 de junho, a administração municipal já havia registrado 509 notificações da doença – que matou oficialmente quatro penapolenses e mais de 64 mil brasileiros.

[rsc_restrict_content allowed_to=”logged_in”]

Os números são 330% maior do que o divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta segunda-feira (6) – ao todo 154 notificações.

Conforme a planilha enviada pela Secretaria de Saúde às unidades de saúde do município, o atual número oficial de notificações já havia acontecido no dia 28 de abril. Exatos 36 dias depois de Célio assinar o primeiro decreto fechando o comércio local.

Procurado, o prefeito Célio de Oliveira disse que absolutamente refuta as chances de manipulação de dados. “Existem mais de 500 notificações de síndrome gripal, não de suspeita de Covid. Até porque aumentamos a testagem a partir do décimo quarto dia dos sintomas gripais, para uma precisão no diagnóstico”, explica ele.

Contudo, no documento que a secretaria de saúde faz a tabulação dos dados, os números de síndrome gripal até o dia 25 de junho foram de apenas 31 casos.

Entretanto, o Ministério da Saúde preconiza que todos os casos, seja ele, de Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) devem ser notificados, pelo profissional de saúde e instituições de saúde do setor público e privado, dentro do prazo de 24 horas a partir da suspeita inicial ou do óbito.

Diferente do que o secretário de saúde, Wilson Carlos Braz, salientou durante a transmissão do Boletim Coronavírus da Prefeitura de Penápolis. Para Braz, hoje a administração notifica os pacientes sugestivos para coronavírus. Sendo que, os de síndrome gripal, dando positivo passa a figurar na planilha da secretaria de saúde.

Em outro documento, desta vez, elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde em parceria com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo e que visa a organização das ações na atenção primária à saúde no contexto da Covid-19, é obrigatória a notificação de todos os casos de Síndrome Gripal.

“Todos os casos de Síndrome Gripal devem ser notificados no e-SUS VE. Na presença de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) ou de óbito (hospitalar ou domiciliar) o caso deve ser notificado no SIVEP Gripe”, explica o documento.

CONFIRA O DOCUMENTO COMPLETO

Em ambas as situações devem ser inseridas no sistema da vigilância epidemiológica do Ministério da Saúde, diferentemente do adotado pela Secretaria Municipal de Saúde de Penápolis, que está omitindo a população todas as notificações.

Planilha traz informações sobre suspeitos e notificados de COVID-19

O documento que possui 509 ocorrências entre os dias 5 de março e 25 de junho, está dividido em três partes: antes da resolução SS-31; resolução SS-31 e orientações após dia 03/04/2020, traz informações como data da notificação, código, nome do paciente, endereço, cidade, classificação final e se está hospitalizado.

A resolução SS-31 – citada no documento –; foi publicada no Diário Oficial do Estado no dia 19 de março, pelo gabinete do secretário de saúde do Estado de São Paulo, José Henrique Germann Ferreira. Nele, estabelece a obrigatoriedade a todos os hospitais públicos e privados do Estado a remessa diária dos dados referente ao Covid-19.

Até a data da resolução SS-31, Penápolis já havia registrado 15 notificações da doença, sendo que, os dois primeiros casos do novo coronavírus havia sido computados no dia 5 de março – 12 dias antes da primeira nota oficial emitida, no dia 17 de março, pela Secretaria de Comunicação, informando as cinco primeiras notificações do vírus no município.

Já durante o período que durou a resolução SS-31 na planilha, entre os dias 21 de março a 2 de abril, a cidade registrou outras 29 notificações, sendo que, dois pacientes testaram positivos para a doença. Um deles, foi a primeira vítima, o empresário Mário Salem, de 53 anos, que morreu no dia 3 de abril.

A outra paciente é uma mulher, moradora da Vila Fátima, que testou positivo no teste rápido e no swab enviado ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para a contraprova. Ela chegou ficar internada, mas, recebeu alta no dia 5 de abril.

Contudo, como mostra do documento, as equipes da vigilância epidemiológica e da secretaria de saúde – que fazem a tabulação dos dados –; receberam “orientações após dia 3 de abril”, que muito provavelmente tenham modificado a forma de registrar as notificações.

Já nas novas “orientações”, registrados entre os dias 2 de abril e 25 de junho foram listadas 464 novas notificações. Sendo que, destes 41 foram testados positivos para o novo coronavírus.

Entretanto, até o dia 25 do mês passado, tanto o prefeito Célio de Oliveira, bem como, o secretário de saúde Wilson Carlos Braz, reportavam apenas 36 casos – 5 a menos do que o registrado no documento da secretaria e enviado diariamente às unidades do município.

OUTRO LADO
Segundo o prefeito de Penápolis, Célio de Oliveira (sem partido), nitidamente existe um incômodo, porque Penápolis registra uma incidência muito menor que a região e o Estado de São Paulo.

“Evidente que não só em Penápolis como em todos os lugares provavelmente os que pegaram o vírus e são assintomáticos são maiores que os confirmados e isso nunca negamos em qualquer manifestação pública que fizemos”, finaliza.

[/rsc_restrict_content]

Justiça suspende concurso público da prefeitura que aconteceria no próximo domingo

Prefeitura-concurso-justiça

A justiça de Penápolis suspendeu na tarde dessa quarta-feira (10), o concurso público que aconteceria no próximo domingo (14). A decisão do juiz de direito da 4ª vara, Dr. Heber Gualberto Mendonça, foi publicada às 17h18 no site do tribunal. Ainda cabe recurso.

Consequentemente, a suspensão temporária é por tempo indeterminado, não inferior a seis meses. Até que se restabeleça a normalidade do quadro de calamidade pública decretado em decorrência da pandemia do COVID-19. Ainda aplicou multa diária de 200 salários mínimos – algo em torno de R$ 209 mil reais, caso a medida seja descumprida.

Segundo Mendonça, há elementos que evidenciam e que demostram que no dia do concurso ainda estará abrangido a quarentena no Estado de São Paulo.

“[…] considerando o Plano São Paulo para combate à Covid-19 classificar a região de Araçatuba, da qual faz parte Penápolis, na fase 2, laranja, onde diversas atividades com aglomeração de pessoas estão vedadas.

E completa: “Ora, por mais que se tente aplicar regras de distanciamento social, numa pequena cidade como Penápolis, com poucas escolas e 921 candidatos inscritos, haverá, logicamente, indevida aglomeração de pessoas em frente às escolas, no pátio, nas salas, etc […]

Para Mendonça, o concurso público implicará em sérios riscos à população. “até porque os números oficiais do Ministério da Saúde acerca das pessoas contaminadas ainda está em franca ascensão”, explica o juiz.

PEDIDO

O pedido da suspensão foi elaborado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), após representação de um penapolense à promotoria local.

O concurso público era para preencher as vagas dos cargos de telefonista, assistente de administração, fiscal de rendas, advogado, auditor tributário e museólogo.

Da mesma forma, o MP salientou ainda que conforme edital não respeitou o isolamento social e não adiando ou suspendendo a data da prova. Houve reabertura de inscrições pela internet, o que prejudicou diversas pessoas sem acesso à internet.

Batata reconhece que DAEP pagou jantares em sua própria pizzaria

O presidente do Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis (DAEP), o engenheiro civil Edson Bilche Girotto, o Batata, reconheceu nesta terça-feira (3), em ofício enviado à Câmara de Vereadores, que a autarquia pagou dois jantares aos auditores do Inmetro, em sua própria pizzaria – a Batata Pizzaria e Restaurante Ltda, em dezembro do ano passado.

Segundo Batata, o pagamento de empenho de R$ 162,00 foi referente à auditoria do laboratório da Estação de Tratamento de Água para garantir o atendimento da NBR 17025.

Contudo, a lei que estabelece as regras das licitações públicas proíbe que servidor ou dirigente de órgão possa participar de forma direta ou indiretamente a execução de serviços e no fornecimento de bens, como foi o caso.

Batata salientou ainda que, diferente do que estava sendo propagados pelas redes sociais, nos últimos 16 anos, o Daep efetuou pagamentos a sua própria pizzaria no valor total de R$ 641,00. Entretanto, o presidente desconsidera os valores recebidos pela sua empresa através da Prefeitura de Penápolis.

PREFEITURA

Desde março de 2016, quando o prefeito Célio de Oliveira (sem partido), efetivou sua volta à presidência do Daep, Batata já emitiu pelo menos cinco notas fiscais à Prefeitura de Penápolis.

Em 2017, com a descrição de “refeição”, a Secretaria de Governo e Gestão Participativa, comandando à época, pelo vice-prefeito Carlos Alberto Feltrin (MDB), efetuou o pagamento de R$ 179,00, na Pizzaria do Batata.

Já em 2018, houve três pagamentos à Pizzaria do Batata totalizando R$ 1.118,00. A primeira em janeiro o valor foi de R$ 210,00. A segunda e a terceira foram de R$ 730,00 e R$ 178,00, respectivamente pagos no mesmo dia 23 de outubro, pela secretaria que Feltrin gerenciava.

No ano passado, o Fundo Municipal de Assistência Social/Cidadania, da Secretaria de Assistência Social, efetuou pagamento na ordem de R$ 2.571,40 para um rodízio de pizza.

OUTRO LADO

O Blog do Faria entrou em contato com o prefeito Célio de Oliveira, o vice-prefeito Carlos Alberto Feltrin, o Presidente do Daep Edson Bilche Girotto e a Secretaria de Assistência Social Suely Valdstein de Queiroz, via WhatsApp, mas até o fechamento dessa matéria, às 17h, não haviam entrado em contato para responder os questionamentos.

ATUALIZAÇÃO: Após a publicação da matéria, o prefeito Célio de Oliveira enviou mensagem ao BLOG DO FARIA informando que iria levantar informações sobre o tema e depois se posicionar.

Com Célio e Feltrin, Penápolis perdeu 1.023 vagas de empregos

O mercado de trabalho em Penápolis perdeu 1.023 vagas de empregos, entre maio de 2017 – mês que o prefeito Célio de Oliveira (sem partido) e seu vice Carlos Alberto Feltrin (MDB) assumiram a Prefeitura de Penápolis para o segundo mandato – e dezembro de 2019. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia.

De acordo com o Caged, no período foram criadas 13.682 postos de trabalho, enquanto que foram fechadas 14.705 vagas, totalizando um saldo negativo de (-1.023). Se comparado com exatos 32 meses anteriores, entre os meses de setembro de 2014 e abril de 2017, a taxa de desempregados foi de 687% maior.

Naquele período, que engloba 28 meses do primeiro mandato do prefeito Célio de Oliveira e quatro meses do governo interino, do vereador Rubinho Bertolini (SD), o saldo total foi de 130 vagas negativas.

Quando analisado ano a ano, percebe que entre maio e dezembro de 2017, o município teve um saldo negativo de (-591) vagas. Já entre 2018 e 2019, os números negativos foram de (-196) e (-236) respectivamente.

OCUPAÇÕES

Entre as ocupações que mais demitiram, nos anos que Célio e Feltrin governam a cidade, estão tratoristas agrícolas, motoristas de caminhão (rotas regionais e internacionais) e caldeireiro.

Entre os tratoristas agrícolas, os maiores índices de demissões aconteceram em 2017. Ao todo foram 181 desligamentos, contra 56 admissões, totalizando um saldo negativo de 152 vagas.

Em 2018, o cargo de caldeireiro de chapas de ferro e aço, foi o que mais teve trabalhadores demitidos. Ao todo foram 161 demissões e 94 contratações, totalizando saldo negativo de 67 vagas.

E no ano passado, a ocupação que mais demitiu foi de motorista de caminhão de rotas regionais e internacionais, com saldo total de 57 vagas perdidas.

Contrato de gestão garante que obrigações trabalhistas são de responsabilidade da OSs de Birigui

O contrato de gestão assinado pela Prefeitura de Penápolis e a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui, em dezembro de 2017, para gerenciar, operacionalizar e executar as ações e serviços de saúde, em regime de 24 horas por dia, no Pronto Socorro Municipal, garante que as obrigações trabalhistas são de responsabilidade da organização social.

Mais cedo, o Blog do Faria mostrou que no projeto de lei que a Prefeitura de Penápolis enviou à Câmara, o governo Célio e Feltrin, quer que a Santa Casa de Penápolis assuma o passivo trabalhista da OSs de Birigui.

De acordo com o contrato, a contratada responderá pelas obrigações e despesas, encargos trabalhistas, securitários, previdenciários e outros, na forma da legislação em vigor, relativo aos empregados necessários na execução dos serviços contratados, sendo-lhe proibido invocar a existência do contrato de gestão para eximir-se das obrigações ou transferi-las a Prefeitura de Penápolis.

Ainda segundo o contrato, a organização social deveria efetuar a contratação de pessoal, serviços e compras, através de CNPJ filial.

PROJETO DE LEI

Além do passivo trabalhista que o governo Célio e Feltrin prevê que o hospital assuma o passivo trabalhista da atual co-gestora do PS – a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui. De acordo com o art. 5, a Irmandade irá substituir a OSs nos direitos e obrigações, em especial no passivo trabalhista do contrato de gestão nº155/2017. Segundo o projeto as despesas serão pagas pelo Município.

Conforme o projeto de lei, o objetivo é que o hospital assuma também os serviços de operacionalização continua e diuturna em serviços de saúde de urgência e emergência junto ao Município de Penápolis. Prevê ainda o repasse mensal no valor de R$ 888.353,50 (oitocentos e oitenta e oito mil, trezentos e cinquenta e três reais e cinquenta centavos) para ajudar no custeio.

Ainda segundo o documento, a devolução terá vigência de seis meses – a partir do próximo dia 7 de dezembro – podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos através de decreto do poder executivo. Além disso, o governo poderá fazer a cessão gratuita e provisória de bens municipais.

A tendência é que o projeto entre na pauta da Ordem do Dia da próxima segunda-feira (25).

Prefeitura de Penápolis concede 0% de aumento ao servidor

A Prefeitura de Penápolis não concederá reajuste salarial real, aos servidores públicos do município. A informação foi dado pelo representante do governo, o secretário de Desenvolvimento e Trabalho, Ênio Cesar Almeida, aos empregados durante a Assembleia Geral dos Servidores, na tarde dessa quinta-feira (7).

O prefeito Célio de Oliveira (sem partido) e seu vice Carlos Alberto Feltrin (MDB) não compareceram a reunião.

Enio explicou que mesmo que a folha de pagamento esteja em pouco menos de 48%, não é possível conceder nenhum reajuste no momento.

Os servidores questionaram os recentes privilégios que a administração proporcionou a algumas categorias, como os médicos que receberão gratificação por produtividade e uma única médica que receberá o teto de auxílio moradia e alimentação do Programa Mais Médicos.

REAJUSTES

Diversos servidores lembraram que o prefeito Célio de Oliveira comentou em assembleia que até o final do mandato – em dezembro de 2020 – iria repor parte das perdas salariais, que atualmente está em 20%.

No final da assembleia, os servidores aprovaram que no próximo encontro deverá obrigatoriamente ter a participação do prefeito para iniciar qualquer tipo de negociação.

Prefeito Célio anuncia mudanças no governo. Jesus Araldi e Rodolfo Valente são as novidades

O prefeito de Penápolis, Célio de Oliveira (sem partido), anunciou na noite dessa segunda-feira (4), pelo menos, cinco mudanças do secretariado da Prefeitura. Duas delas são novidades.

O contador Jesus Araldi assumirá a Secretaria de Finanças, enquanto que o contabilista Rodolfo José Valente Araújo, a Secretaria de Administração. Eles integrarão o governo pela primeira vez, já a partir dessa semana.

Já o Coronel da Polícia Militar, Daniel Rodrigueiro esta de volta ao governo. Desta vez, assumirá a Secretaria de Planejamento, mas, a partir de 2 de janeiro. Rodrigueiro fez parte da administração no primeiro mandato de Célio, entre 2013 a 2016.

REMANEJAMENTO

Três secretários serão remanejados. O vice-prefeito Carlos Alberto Feltrin, deixará a Secretaria de Governo. Em seu lugar, assumirá a atual secretária de Administração, Fátima Rahal. E o secretário de Finanças, Ênio César Almeida, voltará a ficar somente com a pasta de Desenvolvimento e Trabalho.

CAMPANHA

Mesmo o governo não confirmando, a saída do vice prefeito da secretaria de governo, é para liberará-lo para a campanha eleitoral do ano que vem.

O governo já vem usando a máquina pública para expor seu nome nos meios de comunicação. Em diversas matérias, publica fotos e evidência os possíveis feitos levando o nome do vice-prefeito.

Devendo há 8 meses, governo Célio e Feltrin pede “paciência” aos prestadores de serviços

O governo do prefeito Célio de Oliveira (sem partido) e de seu vice Carlos Alberto Feltrin (MDB), pediu a compreensão e a paciência aos prestadores de serviços da Prefeitura de Penápolis – que estão em alguns casos – com o pagamento atrasado há oito meses.

A prefeitura respondeu requerimento do vereador Rodolfo Valadão Ambrósio (PSD), que pediu informações sobre professores de balé, teatro, judô, artesanato, entre outros.

“Conforme relatado no requerimento, temos ciência dos atrasos no pagamento dos professores citados e sabemos da importância do trabalho que eles realizam. No entanto, devido às dificuldades financeiras que a prefeitura enfrenta, não foi possível manter o pagamento deles em dia”, explica o secretário de finanças, Ênio Cesar Almeida.

Ênio salientou ainda que, com outras dívidas em aberto, estão organizando para sanar este problema. “[…] para tanto, contamos com a compreensão e paciência dos envolvidos”, finaliza.

PARALISAÇÕES

No requerimento aprovado dia 14 de outubro, Dr. Rodolfo recebeu informações através dos alunos, que estão preocupados com possíveis paralisações das aulas por conta da falta de pagamento.

Mesmo com pagamentos atrasados, Célio e Feltrin querem conceder mais privilégios

Governo Célio e Feltrin respondeu os questionamentos do vereador, na mesma semana em que enviou à Câmara, projeto de lei – que será votado nesta terça-feira (29) – e que concede privilégios aos profissionais do Programa Mais Médicos.

A proposta é aumentar os valores de auxílios como moradia e vale-alimentação para médicos do programa. Caso seja aprovado, os valores a serem pagos são de R$ 2.750,00 para auxílio moradia e R$ 770,00 para vale-alimentação.

Isso corresponde a 37,5% de aumento para o aluguel de imóvel, ante os R$ 2 mil pagos em 2014. E 54% no vale-alimentação, em comparação aos R$ 500,00 pagos há cinco anos.

Fazendo um paralelo, um servidor público municipal, recebe atualmente R$ 349,00 entre cesta básica e cartão alimentação. Isso corresponde a 120% a menos que o valor proposto pela administração para o auxílio dos médicos.

PEDIDO

O que chama a atenção é que o prefeito Célio de Oliveira (sem partido), explicou na mensagem enviada ao Poder Legislativo, que o projeto atende a uma solicitação da profissional que atua no município.

“Atendendo a um pedido da médica do referido projeto e dentro dos limites viáveis para a administração, resolvemos aplicar o teto máximo na moradia como para alimentação, valores determinados pelo Governo Federal”, salientou.

Atualmente o município está habilitado para receber até três profissionais, contudo, de acordo com programa a cidade possui uma única profissional brasileira.

Caso seja aprovado a lei irá retroceder ao dia 1º de outubro.

Governo Célio e Feltrin pede R$ 400 mil para pagar fornecedores

O governo Célio e Feltrin solicitou à Câmara de Vereadores de Penápolis, a devolução antecipada do duodécimo, no valor de R$ 400 mil. O pedido foi protocolado na tarde da última sexta-feira (11).

De acordo com ofício 546/2019 do gabinete do prefeito Célio de Oliveira (sem partido), enviado ao presidente do poder legislativo Ivan Eid Sammarco (Cidadania), o valor será utilizado para pagamento de fornecedores considerados essenciais por atender setores como a saúde e a educação.

O valor solicitado foi repassado pela Câmara ainda na tarde da sexta-feira, com autorização do presidente Ivan Sammarco.

apoie o jornalismo independente