fbpx

DIÁRIO DE UM DENGOSO

O relato intrigante de um blogueiro e seu tenebroso martírio do mosquito Aedes aegypti
 
Redação do Jornal Interior | 27 de fevereiro, às 15h
Eu: Vandressa, está me dando calafrios…
Vandressa: Ué, será que você está com dengue?
Eu: Pelo amor, Vandressa! Será!? Vê se eu estou com febre?
Meu quarto | 28 de fevereiro, às 4h
Mãe: Meu filho acorda você está com quase 40 graus;
Eu: E o que eu devo fazer minha mãe?
Mãe: Acho que nós devíamos ir no Pronto Socorro!
Eu: Mas eu só vou se a ambulância me buscar.
Pronto Socorro | às 4h15
Médico 1: O que você tem?
Eu: Febre, dor no corpo, nas articulações […]
Médico 1: É dengue!
Eu: Como?
Médico 1: É dengue! Vai lá tire sangue e depois descanse bastante, ok?
Alguns minutos depois…
Enfermeira: Ricardo Faria! [me apresento] Vamos tirar o sangue?
Eu: Precisa mesmo?
Enfermeira: Sim. […] Agora retorne por volta da meio dia e pegue seus exames.
Posto de Saúde | às 14h45
Médico 2: Ricardo suas plaquetas estão normais. Os seus sintomas são de dengue, mas o exame não constatou ainda. Tome um soro e volte para casa e descanse bastante, ok!?
Em casa | às 20h33
(No telefone com minha amada Amanda)
Eu: Amor, por favor vem pra cá ficar comigo? Eu estou morrendooo…
Amanda: É… tá com dengue é?
Eu: É estou. Eu nunca mais vou ficar te zuando amor. Agora eu sei o quanto a dengue é um horror.
Meu quarto | 1º de março | às 06h
Eu: Mãe vomitei
Mãe: Mas meu filho você acabou de comer um pãozinho
Em casa | 2 de março
(Descansando bastante…)
…E vo […]
Em casa | 3 de março
(Descansando bastante…)
… mi […]
Em casa | 4 de março
(Descansando bastante…)
… tan […]
Em casa | 5 de março
(Descansando bastante…)
…E dooooo!
E a única coisa que eu pensava era…
Será que nosso alcaide já pegou dengue?
Ricardo Faria, 33, é jornalista, blogueiro e ativista social, natural de São Paulo – Capital, mora atualmente em Penápolis. É São-Paulino de coração e Penapolense de adoção. E assina o Blog do Faria – www.ricardofaria.com.br

IDOSA DE 90 ANOS É A 7ª VÍTIMA DA DENGUE EM PENÁPOLIS

Uma idosa de 90 anos morreu na madrugada de hoje (24), na Santa Casa de Misericórdia de Penápolis vítima de dengue. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde. 
A doença teve sorologia confirmada após realizados exames durante a internação. por exames realizados durante a internação. De acordo com a nota da assessoria de imprensa é de que a paciente estava sendo monitorada desde sua internação na Santa Casa ocorrida em 12 de março. 
Neste período houve uma transferência para a cidade de Araçatuba, quando ficou internada por 10 dias na UTI daquele município, retornando à Santa Casa de Misericórdia, onde faleceu na madrugada deste dia 24 de março.Desta forma, a cidade passa a contar com 07 mortes confirmadas por dengue em 2015.
DADOS 
A Serviço de Vigilância Epidemiológica, divulgou os dados atualizados referentes à situação da dengue no município. De acordo com o serviço, até hoje (24), foram notificados 2.962 casos, sendo 1.997 casos positivos. Outros 700 pacientes aguardam o resultado de exames. 

PENÁPOLIS REGISTRA 6ª MORTE POR DENGUE

Um idoso de 65 anos, morador da Vila América foi a 6ª vítima que morreu por causa da dengue. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Penápolis a morte ocorreu no domingo, 08, na Santa Casa de Misericórdia. 
Segundo informa a Secretaria de Saúde, o senhor sentiu os primeiros sintomas no dia 23 de fevereiro e deu entrada no Pronto Socorro local no dia 24 de fevereiro, sendo internado na Santa Casa, onde permaneceu até a data da morte. O mesmo estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e a dengue foi confirmada por exame no dia da internação.
CASOS
O primeiro caso de morte foi de um homem de 33 anos, cujo óbito ocorreu em 05 de fevereiro; o segundo caso foi de uma idosa de 94 anos, no dia 14 de fevereiro; o terceiro ocorreu no dia 15 de fevereiro, sendo a vítima outra idosa de 78 anos; o quarto óbito aconteceu dia 17 de fevereiro, com mais uma idosa de 77 anos; o quinto caso de morte por dengue foi registrado no dia 26 de fevereiro, sendo a vítima um idoso de 89 anos).
DADOS 
A Secretaria Municipal de Saúde informou o seguinte boletim da dengue: 2.172 notificações, 754 positivos por exame laboratorial, 531 positivos por exame clínico/epidemiológico – somando ao todo 1.285 positivos – além de 808 aguardando resultados de exames e 06 óbitos entre os moradores da cidade.
***Com informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis

CIDADE REGISTRA NOVO ÓBITO DE IDOSO COM DENGUE

Resultados de investigações epidemiológicas confirmaram que a doença causou todas as mortes já ocorridas com pacientes do município
A Secretaria Municipal de Saúde de Penápolis informa que na madrugada desta quinta-feira (26) foi registrado na Santa Casa local o falecimento de um idoso de 89 anos, internado há duas semanas com dengue. A doença foi atestada por exames no ato da internação.
Desta forma, a cidade passa a contar com 5 mortes confirmadas por dengue em 2015. A afirmação é possível tendo em vista que foram concluídas as investigações epidemiológicas dos quatro óbitos anteriores, que estavam sob suspeita da doença ter sido a causa determinante do falecimento.
Ainda segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde, também está sendo possível afirmar que a dengue provocou a morte desta quinta vítima, em razão da referida investigação epidemiológica ter começado há duas semanas, quando a mesma deu entrada na Santa Casa de Misericórdia para internação.
De acordo com as normas protocolares do Ministério da Saúde, a confirmação destes 5 óbitos tendo a dengue como causa principal, só está sendo permitida devido a estudos e exames de contra prova laboratorial efetuados por uma instituição padrão oficial, no caso o Instituto Adolfo Lutz.
Boletim
Portanto, oficialmente são 5 mortes confirmadas por dengue em Penápolis. O primeiro foi de um homem de 33 anos, cujo óbito ocorreu em 05 de fevereiro. O segundo caso foi de uma idosa de 94 anos, no dia 14 de fevereiro. O terceiro ocorreu no dia 15 de fevereiro, sendo a vítima outra idosa de 78 anos. O quarto óbito aconteceu dia 17 de fevereiro, com mais uma idosa de 77 anos. E agora o quinto caso de morte por dengue, conforme relatado (dia 26 de fevereiro, uma idosa de 89 anos).
Até o fechamento desta edição, a Secretaria Municipal de Saúde relatou o seguinte boletim da dengue: 1.368 notificações, 623 positivos, 716 aguardando resultados de exames, 05 óbitos entre os moradores da cidade.
***Informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis 

PREFEITURA DE PENÁPOLIS CONFIRMA 4ª MORTE POR SUSPEITA DE DENGUE

A Prefeitura de Penápolis divulgou na tarde de hoje (23), através da Secretaria Municipal de Saúde que a cidade registrou o 4º óbito com causa suspeita de dengue. 
De acordo com a nota liberada pela Secretaria de Comunicação a paciente não teve idade confirmada, entretanto, sabe-se que é mais uma idosa. Ela estava internada na UTI da Santa Casa de Misericórdia de Penápolis e faleceu na tarde do último dia 17. A suspeita de dengue para a causa da referida morte se dá pela sorologia positiva da paciente.
Portanto, oficialmente agora são quatro mortes sob suspeita de dengue como causa determinante em Penápolis. O primeiro foi um homem de 33 anos, cujo óbito ocorreu em 05 de fevereiro. O segundo caso foi de uma idosa de 94 anos, no dia 14 de fevereiro. O terceiro ocorreu no dia 15 de fevereiro, sendo outra idosa de 78 anos.
De acordo com a Secretaria de Saúde, foi iniciada uma investigação do prontuário da paciente, sendo este procedimento de praxe para atestar a real causa do falecimento, tendo em vista que a idosa possuía problemas de saúde pré-existentes. 
DADOS
A investigação epidemiológica de todos os  casos encontra-se em andamento, tendo em vista todos apresentavam doenças de base. A Secretaria Municipal de Saúde relatou o seguinte boletim da dengue: 1.275 notificações, 577 positivos, 325 aguardando resultados de exames e 4 óbitos sob suspeita de dengue registrados entre os moradores da cidade.

DENGUE: CAUSAS, SINTOMAS E TRATAMENTOS

Na segunda quinzena de janeiro quando tinha apenas 91 casos “oficiais” até aquele momento, escrevi uma matéria para o Jornal Interior e nela coloquei algumas dicas que retiramos do site do Ministério da Saúde e que serve nos dias atuais. 
O que é a dengue?
A dengue é uma doença infecciosa causada por um arbovírus (existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4), que ocorre principalmente em áreas tropicais como no município. As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.

O dengue clássico se inicia de maneira súbita e pode ocorrer febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas. Às vezes aparecem manchas vermelhas no corpo. A febre dura cerca de cinco dias com melhora progressiva dos sintomas em 10 dias. Em alguns poucos pacientes podem ocorrer hemorragias discretas na boca, na urina ou no nariz. Raramente há complicações.
Todo mosquito Aedes aegypti pode transmitir a dengue?
Não, somente as fêmeas infectadas. O mosquito só transmite a doença se tiver contraído o vírus após ter picado uma pessoa doente.
Quanto tempo depois da picada a doença se manifesta e, consequentemente, os sintomas aparecem?
Se o mosquito estiver infectado, o período de incubação varia de 3 a 15 dias, sendo a média de 5 a 6 dias.
Quais são os sintomas da dengue?
Os sintomas mais comuns são febre, dores no corpo – principalmente nas articulações – e dor de cabeça. Também podem aparecer manchas vermelhas pelo corpo e, em alguns casos, sangramentos, como petéquias (pontos vermelhos, principalmente na pele), sangramento nasal e gengival, entre outros.
Como é feito o tratamento da dengue?
Não há tratamento específico para o paciente com dengue. O médico deve tratar os sintomas do paciente com dengue clássica, como as dores de cabeça e no corpo, com analgésicos e antitérmicos (paracetamol e dipirona). Devem ser evitados os salicilatos, como o AAS e a Aspirina, visto que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. É importante também que o paciente fique em repouso e ingira bastante líquido.
Quais os cuidados para não pegar dengue?
Como é praticamente impossível eliminar o mosquito, é preciso identificar objetos que possam se transformar em criadouros do Aedes aegypti. Por exemplo, uma bacia no pátio de uma casa é um risco, porque, com o acúmulo da água da chuva, a fêmea do mosquito poderá depositar os ovos neste local. Então, uma medida eficaz seria limpar e retirar tudo aquilo que possa acumular água. Em 90% dos casos, o foco do mosquito está nas residências.
Depois de contrair a dengue, podemos pegar novamente?
Sim, podemos, mas nunca o mesmo tipo de vírus. Ou seja, a pessoa fica imune contra um tipo de vírus que provocou a doença, mas ainda poderá ser contaminada por outros tipos conhecidos do vírus da dengue, que são: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4.
O que devemos fazer ao encontrar larvas do mosquito em um recipiente?
Não devemos jogar em ralos, mas sim diretamente na terra.

PREFEITURA CONFIRMA MORTE DE DUAS IDOSAS SOB SUSPEITA DE DENGUE

A Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura de Penápolis divulgou hoje em nota, que neste final de semana morreram duas idosas – uma de 94 anos e outra de 78 sob suspeitas de dengue, isto porque foram internadas com a sorologia positiva. 
A nota comenta ainda que procederá a investigação criteriosa dos prontuários, visando atestar com  exatidão a causa dos óbitos. “Tal conduta é necessária já que havia doenças de base, ou seja, problemas de saúde pré-existentes, o que torna essas pessoas integrantes de um grupo de risco”.
Ao todo, até o momento, são 3 mortes sob suspeita de dengue como causa determinante em Penápolis. O primeiro foi um homem de 33 anos, cujo óbito ocorreu em 05 de fevereiro
De acordo com a assessoria a investigação epidemiológica deste caso também está em andamento, tendo em vista que o mesmo apresentava doença de base.
Veja a integra da nota: 

MORTE POR DENGUE

A Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Penápolis, veiculou nos jornais impressos do município a notícia de que a morte do jovem Daniel Brandão, de 33 anos, na última quinta-feira, 5, pode ter sido causado pela dengue, pois, os exames davam como positivos. 
Entretanto, a assessoria afirmou que mesmo a vítima ter contraído a doença, não se pode confirmar a causa real do falecimento visto que estão em andamento uma série de exames e investigações sobre a morte do jovem. 
De acordo com a nota, Daniel integrava o chamado grupo de risco, que é formado por pacientes que tenham, por exemplo, doenças como câncer e diabetes, doenças hepáticas, hipertensão, pessoas que fizeram transplantes, crianças até 10 anos, idosos e gestantes. 
Já o secretário municipal de Saúde, Alex Marques Cruz, revelou que estão sendo recolhidos prontuários existentes com outros médicos, com os quais o paciente se tratava do seu problema. Por esta razão, a análise do caso ainda deve levar mais alguns dias para ser concluída. 
BOLETIM
De acordo com o Serviço de Vigilância Epidemiológica, Penápolis registrava, até o dia 6 de fevereiro, 256 casos positivos da doença, 885 casos notificados e 596 que aguardam a confirmação do exame de sorologia da dengue. 

apoie o jornalismo independente