Deputado Carlos Zarattini diz que país vive momento de ruptura

O Deputado Federal Carlos Zarattini (PT-SP) afirmou, na tarde desse sábado (30), que a atual conjuntura política do país passa por um momento de ruptura. A declaração foi feita durante encontro realizado na casa do ex-candidato a vereador petista Eduardo Cunha, com militantes partidários e membros do Movimento Sem Terra.

Zarattini, que já foi líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, disse que após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em agosto de 2016, desencadeou diversas ações que visavam tirar direitos do povo brasileiro. Segundo ele, a primeira ação foi estabelecer o teto de gastos que congelou, por 20 anos, os gastos públicos em áreas essenciais como educação e saúde.

Ele destacou entre outras ações, as manobras para abrir o pré-sal para empresas estrangeiras e o aumento do diesel que culminou com uma das maiores greves do país nos últimos anos e a reforma trabalhista que retirou direitos dos trabalhadores brasileiros – aumentando, inclusive, os números de desempregados nos últimos meses.

LULA

O deputado destacou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, será o candidato do PT nas próximas eleições gerais. Zarattini lembrou que nenhum outro nome na corrida presidencial possui os números na pesquisa que o ex-presidente possui.

Para ele, se as instituições judiciárias não permitirem a candidatura de Lula, o nome que o petista indicar será o próximo presidente da república. Entre os nomes, o deputado destacou o da senadora e presidente nacional do PT, Gleise Hoffmann, do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e do ex-governador Jaques Vagner.

SÂO PAULO

Zarattini pediu também empenho da militância para apresentarem a sociedade o nome do pré-candidato a governador Luiz Marinho – ex-prefeito de São Bernardo do Campo.

“Marinho foi presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), ministro do trabalho e da previdência social e é ex-prefeito de uma das principais cidades do estado de São Paulo, São Bernardo do Campo. Isso já o credencia com um bom candidato, mas, Marinho ainda é desconhecido no interior de São Paulo e precisamos mostra-lo a sociedade”, destaca o deputado.

Além de Marinho, Zarattini salientou que é preciso trabalhar para eleger o atual vereador em São Paulo, Eduardo Suplicy, a novo mandato no Senado Federal. “O Suplicy é muito conhecido, mas, teremos um fator complicador nesta eleição. Quem vota no Suplicy vota também na Marta, mas, quem votará no Datena deve votar também na Marta. Neste cenário, a Marta venceria a disputa e a segunda vaga ficaria entre Eduardo e Datena. Isso é um risco”, finaliza.

SEM TERRA

O Movimento Sem Terra que participa do Acampamento Nelson Mandela, em frente à fazenda São José pediu o apoio do deputado Carlos Zarattini para marcar audiência com o presidente nacional do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Leonardo Goés. O parlamentar se comprometeu já no início da próxima semana marcar o encontro.