fbpx

DUPLA EVANDRO & JUNINHO FAZEM SUCESSO NA INTERNET COM ‘MASHUP’

Recentemente bateram a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube; dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas
A dupla já percorreu os estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo

A dupla sertaneja penapolense Evandro & Juninho bateram recentemente a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube – maior rede social de vídeos do mundo. Eles fazem sucesso com os famosos ‘Mashup´s’ – composições criada a partir da mistura de duas ou mais canções pré-existentes. Normalmente é feita pela transposição do vocal de uma canção em cima do instrumental de outra, de forma a se combinarem.

“Vimos que outras duplas no Brasil já estavam fazendo mashup’s – como as duplas ‘Leo Verão e Daniel Freitas’ e ‘Lu e Robertinho’, também estavam fazendo e nós também resolvemos fazer os nossos e deu muito certo”, comenta Evandro. 

E Juninho explica que a dupla começou em 2012, mas, no inicio eram as famosas músicas do sertanejo e sertanejo universitário, vindo após seis meses os primeiros mashup’s. “As primeiras apresentações eram apenas o sertanejo, até que seis meses depois gravaram o primeiro mashup e surpreendendo muito, o nosso primeiro vídeo já foi além da expectativa e nem as gravações do DVD com o Caipiroska com tanta produção, deu certo assim”, explica Juninho.

No canal, o mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos. A dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas. E a partir dos vídeos os penapolenses tiveram os primeiros convites para tocarem nos estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo. “Nós chegamos a ter convites de cidades do Amazonas, Bahia, Pará, Acre para tocar, mas por questões de logística não podemos tocar”.

Para diversificar os formatos dos vídeos, no inicio desse ano a dupla fez um Pocket Show. “Pedimos a casa de um amigo e gravamos lá nove músicas que estamos soltando aos poucos. Lá foi muito bacana porque apresentamos para aproximadamente 30  amigos”.

Eles não tem certeza de onde chegaram, mas sabem de uma coisa, trabalharão com o pé no chão. “Iremos onde Deus nos levar. Por nossa força quebramos muito a cara, nos outros trabalhos criamos muito expectativa em cima, então agora eu prefiro deixar a coisa fluir. Não vou criar muita expectativa”, fala Evandro.

“Vamos comemorar um dia de cada vez. É claro que a gente almeja o sucesso, ser conhecido pelo nosso trabalho. E se a gente vê o que estamos fazendo desde do Caipiroska para agora é muito legal ver a evolução. Pra se ter ideia tem mais gente nos conhecendo fora do que aqui em Penápolis”, comenta Juninho.
Influência
Mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos
Evandro e Juninho são primos e a música sempre estiveram no seio da família. O pai de Evandro é o músico Jair que por mais de 30 anos esteve a frente da banda American Show que percorreu fazendo bailes país a fora.
“Desde pequeno sempre fui influenciado pela música, meu pai e meu avó que era sanfoneiro sempre me ensinou. Aos 15 anos fui tocar com eles e no início era bateria, depois que passei pro vocal”, disse Evandro.

Quando a banda acabou Evandro e Juninho foram tocar numa banda de Rock in Roll.  “Nós tínhamos uma banda de rock, mas nos intervalos dos ensaios, sempre tocávamos uma música sertaneja para descontrair. Daí que surgiu tempo depois o Caipiroska”.
Com o Caipiroska, Evandro e Juninho, tinha a parceria de Danilo e outros amigos, que chegaram a gravar um DVD. “Foi uma época muito bacana pra nós, tivemos o reconhecimento aqui na nossa cidade, mas, após o DVD nós vimos que o investimento foi alto e não tivemos um retorno esperado. Com isso, víamos que grupos como Tradição e Alma Serrana estavam acabando, então decidimos finalizar o trabalho e alçar algo novo. Daí que surgiu a dupla”, comenta Juninho. 

E a dupla já tocou numa festa de universitários em Maringá e  teve aproximadamente 6 mil pessoas, também já tocou em Bacuriti distrito de Cafelândia, que a população dobra quando tem a festa de rodeio. “Foi bacana por nós duas foram top. Maringá tinha uma galera jovem que curtiu muito nosso som e em Bacuriti, o distrito é bem pequeno, mas com um público bem receptivo. Eles nos trataram com muito carinho. Nós que fomos pela segunda vez podemos sentir a mudança na organização da festa”. 

A dupla já tocou com “É o Tchan” e abriram o show de Batom na Cueca. Além disso cantaram o Hino Nacional Brasileiro no jogo da sexta rodada com Campeonato Paulista entre Penapolense e Palmeiras.

INTERNET TORNA-SE GRANDE ALIADA PARA ENCONTRAR A ‘ALMA GÊMEA’

Há três semanas, relatávamos aqui o quão importante e indispensável a internet tornou-se na vida das pessoas. Pois bem, a menos de uma semana para o Dia dos Namorados, conversamos com dois casais que interpretam perfeitamente o amor nos tempos modernos.

A administradora Carolina Zacheu, de 25 anos, é uma dessas histórias – ela estava terminando um relacionamento quando sua amiga, empolgada para mostrar as fotografias de seu namorado com os amigos em Paraguaçu Paulista, região de Presidente Prudente, um nome chamou-lhe a atenção: ‘Vinicius’.

Com o tempo, os dois adicionaram um ao outro na antiga rede social ‘Orkut’ e trocavam mensagens pelo MSN Messenger, segundo programa no mundo de mensagens instantâneas. Mas ela com vergonha de dar um ‘oi’ para Vinicius Tarcio Guedes, 23, pedia para a irmã Bianca, cinco anos mais nova. Esse era com toda certeza os primeiros sinais de amor, até aquele momento virtual.

Com pouco tempo de bate-papo Vinicius acendeu em Carol a possibilidade de namoro. “Eu via algo diferente na Carol, não sabia explicar. Como nunca tinha namorado antes, sabia que com ela poderia ser diferente. Foi quando falei pra ela que um dia seria minha namorada”.

Mas dessa conversa para o dia 13 de agosto de 2011 foram aproximadamente novo meses. Isso deixava Carol mais aflita e ansiosa. Dois meses antes, perto do Dia dos Namorados, ela ligou para Vinicius e confirmou que iria para Paraguaçu Paulista. “Nós tínhamos um trato de que ele viria primeiro a Penápolis, mas se dependesse dele acho que nunca iríamos namorar”, comenta na gargalhada.

Ele um dia antes de Carol chegar tinha uma prova muito importante na faculdade de agronomia. “Lembro-me que meu humor para recepcionar Carol dependia dessa prova, pois, era a última prova do semestre e eu precisava de muito e isso me deixava preocupado, mas, graças a Deus deu tudo certo”, lembra.

Para Carol as mais de quatro horas para chegar em Paraguaçu Paulista com a amiga foi uma eternidade que foi compensado por um fim de semana maravilhoso. Tanto é que ela voltou chorando “de saudades” de Paraguaçu.

“Na volta conversávamos todos os dias. Mas, depois de uma semana ele me deu um gelo, mas nada de me pedir em namoro”, ele completa: “Eu fiquei com medo. A minha ideia era terminar a faculdade e depois pensar num relacionamento para namorar, noivar e casar”.

Exatamente 40 dias depois, contados um a um por Carol, Vinicius veio para Penápolis, mas nada de pedir ela em namoro. “Nós tínhamos tanto carinho um pelo outro que decidi por ele na ‘parede’. Então decide logo se vai namorar comigo, pois, eu não quero empatar sua vida e nem deixar você empatar a minha!”. Assim o namoro foi confirmado. Precisando ser reconfirmado 20 dias depois com o sogro. “Para mim, era uma ansiedade fora do comum, sentar frente a frente com meu sogro. Ele me perguntou: Quer cerveja? Eu logo respondi que não. Mas a Carol me entregou: ‘Na vez que fui para Paraguaçu ele bebeu todas pai’, não sabia o que fazer”. Hoje Vinicius e Carol tem o sogro e a sogra como os seus segundos pais.

Depois de quatro anos, o casal percebe o quanto os aplicativos online ajudou no relacionamento. “Namorar a distância é o menor dos problemas. Nós temos defeitos como todo casal tem. Mas confiança é a base para esse tipo de relacionamento. Além do mais, logo de início sentimos se iria dar certo ou não. Pois, eu tive que dormir na casa dele e ele aqui na minha. Se não déssemos certo com a família um do outro, seria impossível continuar um relacionamento a distância”.

Carol devota de São Antônio acredita em ‘alma gêmea’. “Minha ‘alma gêmea’ podia estar no Japão que Deus iria trazer ele a mim. Mas graças a ele, estava aqui pertinho”. Atualmente estão noivos e empolgados com os preparativos do casório que acontecerá em Assis no dia 13 de agosto de 2016, exatamente cinco anos após o início de namoro.
LUANA E JOÃO
Embalados pela música ‘Logo eu’ de Jorge e Mateus, a penapolense Luana Modesto, 29 anos, conta que quando olhou uma foto de um amigo, viu o ‘gordinho’ no canto – era João Henrique Dias Pedro. A música tocou mais alta: “Eu te vi e já te quis/ Me vi tão feliz/ Um amor que pra mim era sonho”.

De acordo com os amigos João era um dos mais tímidos da turma. “É esse mesmo que era quero, pelo menos não é sem vergonha”. Logo aceitaram-se numa rede social, mas, a Luana persistente mandava um “oi, bom dia” e ele nada de responder. Ou respondia seco em apenas uma palavra “Bom dia”.

Luana trabalhava para uma empresa de Pontal, região de Ribeirão Preto, no qual João era o advogado. “Após trabalhar o dinheiro inteiro, meu ex-chefe melhor amigo de João o chamou na empresa para resolver um probleminha, mas, que na verdade era para me apresentar a Luana”.

No mesmo dia improvisaram um jantar – cachorro quente – e ali conversaram. Mas Luana tinha de ir para Sertãozinho para ficar no hotel. “Lembro que não conversamos numa viagem de 15 km. Ele estava todo tímido no primeiro dia”, comenta.

No segundo dia, João mais tranquilo já foi cavalheiro abrindo a porta do carro, puxou a cadeira na pizzaria. Depois do jantar foi quando rolou o primeiro beijo.
Logo voltou para Penápolis e a distância de 300 km bateu a saudade. “Naquela época não tinha “Whatsapp” e falar no telefone era caro, falávamos direto no Facebook, sendo que o pedido de namoro foi via internet”, lembra com carinho.

Tempos depois a empresa abriu falência e a distância ficou maior, pois, Luana conseguiu emprego na mesma área com sede em Sertãozinho, mas foi trabalhar na filial de Andradina.
“O salário era muito bom, mas a distância tinha aumento. Era bom pra mim, porque morava em Penápolis, mas era difícil para vê-lo. Então resolvi dispensar o emprego e ir morar em Pontal com meu filho. Foi quando nos casamos em março desse ano”.


Luana que foi mãe solteira, tem hoje no João Henrique um exemplo para o Lucas seu filho. “Meu filho, chama ele de pai e ele realmente é um paizão. é muito bom ver o carinho um pelo outro.

INTERNET É CELEBRADA E LEMBRADA COMO ALGO INDISPENSÁVEL NOS TEMPOS ATUAIS

Uma das principais invenções da humanidade, a internet é comemorado hoje fazendo alusão  ao poder de comunicação que ela proporciona 
Você vive sem internet hoje? Você lembra como era sua vida sem a internet? Ou você é da faixa dos 30 anos que já nasceu com o advento na internet, mas, que presenciou a transição do analógico para o digital? Essas questões nós faz refletir todos os dias. 
Muito provavelmente essa matéria não seria realizada com a rapidez e a praticidade que ela [a internet] nos proporciona. Todos os entrevistados dessa reportagem – a blogueira Mirela Ortega, o web designer David Willian, o economista Lucas Sablewski e o psicólogo Júlio Ribeiro foram “ouvidos” via internet. 
Mas você sabe o que é a internet? A Internet é um sistema global de redes de computadores interligadas que utilizam o conjunto de protocolos padrão da internet que serve vários bilhões de usuários pelo mundo afora.
Ela é uma rede de várias outras redes, que consiste de milhões de empresas privadas, públicas, acadêmicas e de governo, com alcance local e global e que está ligada por uma ampla variedade de tecnologias de rede eletrônica, sem fio e ópticas. 
Entre os estudiosos da internet não há um consenso sobre a data exata em que ela surgiu, mas foi em algum momento em meados da década de 1980, mas a sua comercialização se deu na década seguinte, incorporando a rede internacional em praticamente todos os aspectos da nossa vida. 
A internet permitiu e acelerou a criação de novas formas de interações humanas através de mensagens instantâneas, fóruns de discussão e redes sociais, fazendo com que a maioria das comunicações tradicionais como – telefone, música, cinema e televisão, mas também, jornais, livros e outras publicações impressas sejam redefinidas pela internet. 
Não é a toa que em junho de 2012, mais de 2,4 bilhões de pessoas – pouco mais de um terço da população mundial — usaram os serviços da internet; cerca de 100 vezes mais pessoas do que em 1995. 
Para o web designer David Willian, de 22 anos, um aficionado pela internet é um dos bilhões de pessoas que usam dela como a principalmente ferramenta de seu trabalho, aliás, sem ela tal função nem existiria. 
“Os meus primeiros passos na internet foi nos computadores da biblioteca municipal. Na época eu tinha 11 para 12 anos e como não podia usar sozinho, minha avó fez o cadastro e eu acessava na companhia dela”.  
Hoje David não se vê sem a internet, pois, o que mais lhe chama a atenção é o desenvolvimento comunicacional que internet proporcionou a todos. 
“Não muito distante, as principais ferramentas de contato era a carta e o telefone. A carta, por exemplo, foi substituído pelo e-mail. Já o telefone existem diversos aplicativos de voz que substitui uma ligação”. 
Da curiosidade surgiu o trabalho, pois, foi em fóruns de jogos a primeira oportunidade de emprego. “Trabalhava moderando um fórum. Na época era a realização de um sonho ganhar dinheiro e ainda poder ganhar status no jogo. Hoje eu vejo aquilo como diversão”. 
De lá pra cá, depois dos interesses por imagens começou a trabalhar com web designer fazendo layouts, imagens para sites de empresas da cidade. Perguntando se viveria sem internet David respondeu: Viveria sim, mas não pretendo. 
É o mesmo caso da blogueira Mirela Ortega, que acha que viveria sim, pois, a internet é apenas uma ferramenta para agregar. “Só acho que se não tivesse ela o ser humano iria inventar outro tipo de inovação”. 
Para ela, a internet como tudo na vida tem o lado bom e ruim. Segundo ela, a rede mudou sua vida tanto na praticidade do dia a dia quanto no trabalho. 
“Pelo fato de trabalhar com a internet conheci diversas pessoas, de longe, de perto, conheci várias empresas e tive a oportunidade de ganhar dinheiro com ações publicitárias” e continua: “Sou da época em que não se tinha internet e consigo perceber como facilitou nossa vida. Temos acesso rápido a qualquer assunto que fizermos e conseguimos de fato resolver nossa vida pela simples tela de nosso celular e essa tal de internet”. 


E-COMMERCE
Segundo o economista Lucas Sablewski, que trabalha na área desde 2009, o e-commerce é um negócio como outro qualquer, mas que tem as diferenças de uma empresa convencional.  
“Esses tipos de lojas requer mão de obra qualificada e estrutura diferente de uma loja física. O contato do cliente com o produto é apenas visual, mas ter um a boa conduta e reputação e essencial, pois, é um seguimento q cresce acima da média da economia”. 
Para ele este mercado esta em crescimento. “Estamos otimista com o futuro. Tenho loja virtual de informática e vestuário. No setor de informática, por exemplo, já está bem enraizado na cidade e região”. 
Lucas salienta ainda que é difícil encontrar alguém que ainda não tenha comprado pela internet. “Já existem em Penápolis empresa de alimentação que aceita o pedido pelas redes sociais, sendo um comércio destinado apenas para o público local. 
O segmento de vendas pela internet apresenta um crescimento acima de 25% ano após ano no Brasil. E apesar do cenário de crise no País, o e-commerce deverá crescer mais de 20%.

Psicólogo alerta sobre o uso de internet principalmente para crianças e adolescentes

É Indiscutivelmente que a internet é uma ferramenta que agrega em si inúmeras vantagens para a convivência entre as pessoas por mais distantes que estas estejam. Poder conversar em tempo real com um parente em outro país, realizar pesquisas em grandes bibliotecas virtuais, poder comprar as mais diversas mercadorias sem sair de casa são apenas alguns dos benefícios que a internet trouxe à vida moderna.
Por outro lado, o mau uso desta importante ferramenta pode trazer prejuízos ao desenvolvimento humano principalmente em crianças e adolescentes. 
Para o o psicólogo clínico e aluno do programa de mestrado em Psicobiologia da USP – Ribeirão Preto, Julio Ribeiro o uso errado pode ser prejudicial. 
“O uso da internet, como o de qualquer outra tecnologia, pode se tornar prejudicial quando não há limite do tempo que se dispõe a ela.”, explica 
Para Julio, existem três importantes cuidados que se deve tomar com crianças e adolescentes que utilizam frequentemente a internet:
O vício na internet: “Na literatura, há diversos estudos que relacionam a dependência da internet como o da dependência química, pois em ambos os casos são estimuladas as mesmas áreas cerebrais mudando apenas o estímulo desencadeador da dependência.”, comenta o psicólogo que estuda a relação dos processos mentais com o comportamento humano. 
Os perigos do anonimato: “Com o advento da internet, vários casos de pedofilia e cyberbullying (bullying pela internet) foram e são cada vez mais notificados. O anonimato nas redes sociais através de um perfil falsos, por exemplo, provavelmente contribui para a facilidade do ato de se denegrir a imagem de alguém ou o compartilhamento de material impróprio.”.
A falsa socialização: “Muitos adolescentes acreditam que uma rede social com centenas, milhares de ‘amigos’ é sinônimo de socialização ou até mesmo de status. Apesar de acreditar que hoje não existe mais distinção de vida real e vida virtual, ainda vejo como imprescindível para um desenvolvimento saudável de crianças e adolescentes a vivência, as experiências corpóreas e sinestésicas que são incapazes de serem experimentadas através de um monitor.”.
Para ele é difícil imaginar como seria a vida hoje sem as facilidades proporcionadas pela internet. Seja para o entretenimento através de jogos ou passatempos até para a conversação e troca de informações no momento em que elas ocorrem.
“Sem dúvida que as redes sociais trouxeram novas formas de se relacionar e de unir ou desunir pessoas. A própria psicologia, com as devidas precauções, pode usar do Skype para realização de atendimentos de orientação psicológica entre psicólogo-paciente que se encontram distantes. Algo que aconteceu com seleção brasileira de futebol durante a Copa das Confederações em 2013″. E completa: “Com os devidos cuidados apontados, é possível que crianças e adolescentes possam usufruir de forma sadia os seus benefícios e ter tempos agradáveis frente monitores, telas ou smartphones”, finaliza. 

apoie o jornalismo independente