fbpx

ROLLING STONES VEM AO BRASIL EM 2016

Uma das maiores banda de rock de todos os tempos estará no Brasil no ano que vem. Os ingleses Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood, do Rolling Stones anunciaram hoje (5), que farão uma turnê pela América Latina.

No país, a banda passará por três cidades – Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. O Maracanã, no Rio, receberá a primeira apresentação, no dia 20 de fevereiro. Em São Paulo serão dois shows, nos 24 e 27 de fevereiro, no Estádio do Morumbi. Os Stones encerram a passagem pelo país em Porto Alegre, no Estádio Beira-Rio, no dia 2 de março.

No vídeo publicado no Youtube a banda comenta que os latinos proporcionam um ambiente “elétrico”. “Sem dúvida, o melhor ambiente que já vimos com a banda desde o início dos anos 1970”.
Os ingressos começam a ser vendidos ainda este mês, mas os valores ainda não foram divulgados.

[poll id=”3″]

Turnê

A Olé Tour estreia no dia 3 de fevereiro em Santiago, no Chile, e ainda passa por Buenos Aires (Argentina), México City (México), e, pela primeira vez, em Montevideo (Uruguai), Lima (Peru), Bogotá (Colômbia).

Eu quero estar lá e você?

DUPLA EVANDRO & JUNINHO FAZEM SUCESSO NA INTERNET COM ‘MASHUP’

Recentemente bateram a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube; dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas
A dupla já percorreu os estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo

A dupla sertaneja penapolense Evandro & Juninho bateram recentemente a marca de 1 milhão de visualizações no Youtube – maior rede social de vídeos do mundo. Eles fazem sucesso com os famosos ‘Mashup´s’ – composições criada a partir da mistura de duas ou mais canções pré-existentes. Normalmente é feita pela transposição do vocal de uma canção em cima do instrumental de outra, de forma a se combinarem.

“Vimos que outras duplas no Brasil já estavam fazendo mashup’s – como as duplas ‘Leo Verão e Daniel Freitas’ e ‘Lu e Robertinho’, também estavam fazendo e nós também resolvemos fazer os nossos e deu muito certo”, comenta Evandro. 

E Juninho explica que a dupla começou em 2012, mas, no inicio eram as famosas músicas do sertanejo e sertanejo universitário, vindo após seis meses os primeiros mashup’s. “As primeiras apresentações eram apenas o sertanejo, até que seis meses depois gravaram o primeiro mashup e surpreendendo muito, o nosso primeiro vídeo já foi além da expectativa e nem as gravações do DVD com o Caipiroska com tanta produção, deu certo assim”, explica Juninho.

No canal, o mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos. A dupla posta vídeos de 15 em 15 dias com novas misturas. E a partir dos vídeos os penapolenses tiveram os primeiros convites para tocarem nos estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás, além de algumas cidades do estado de São Paulo. “Nós chegamos a ter convites de cidades do Amazonas, Bahia, Pará, Acre para tocar, mas por questões de logística não podemos tocar”.

Para diversificar os formatos dos vídeos, no inicio desse ano a dupla fez um Pocket Show. “Pedimos a casa de um amigo e gravamos lá nove músicas que estamos soltando aos poucos. Lá foi muito bacana porque apresentamos para aproximadamente 30  amigos”.

Eles não tem certeza de onde chegaram, mas sabem de uma coisa, trabalharão com o pé no chão. “Iremos onde Deus nos levar. Por nossa força quebramos muito a cara, nos outros trabalhos criamos muito expectativa em cima, então agora eu prefiro deixar a coisa fluir. Não vou criar muita expectativa”, fala Evandro.

“Vamos comemorar um dia de cada vez. É claro que a gente almeja o sucesso, ser conhecido pelo nosso trabalho. E se a gente vê o que estamos fazendo desde do Caipiroska para agora é muito legal ver a evolução. Pra se ter ideia tem mais gente nos conhecendo fora do que aqui em Penápolis”, comenta Juninho.
Influência
Mashup que mais possui visualizações foram com as músicas Hey Brother e Ce é loco, com mais de 120 mil acessos
Evandro e Juninho são primos e a música sempre estiveram no seio da família. O pai de Evandro é o músico Jair que por mais de 30 anos esteve a frente da banda American Show que percorreu fazendo bailes país a fora.
“Desde pequeno sempre fui influenciado pela música, meu pai e meu avó que era sanfoneiro sempre me ensinou. Aos 15 anos fui tocar com eles e no início era bateria, depois que passei pro vocal”, disse Evandro.

Quando a banda acabou Evandro e Juninho foram tocar numa banda de Rock in Roll.  “Nós tínhamos uma banda de rock, mas nos intervalos dos ensaios, sempre tocávamos uma música sertaneja para descontrair. Daí que surgiu tempo depois o Caipiroska”.
Com o Caipiroska, Evandro e Juninho, tinha a parceria de Danilo e outros amigos, que chegaram a gravar um DVD. “Foi uma época muito bacana pra nós, tivemos o reconhecimento aqui na nossa cidade, mas, após o DVD nós vimos que o investimento foi alto e não tivemos um retorno esperado. Com isso, víamos que grupos como Tradição e Alma Serrana estavam acabando, então decidimos finalizar o trabalho e alçar algo novo. Daí que surgiu a dupla”, comenta Juninho. 

E a dupla já tocou numa festa de universitários em Maringá e  teve aproximadamente 6 mil pessoas, também já tocou em Bacuriti distrito de Cafelândia, que a população dobra quando tem a festa de rodeio. “Foi bacana por nós duas foram top. Maringá tinha uma galera jovem que curtiu muito nosso som e em Bacuriti, o distrito é bem pequeno, mas com um público bem receptivo. Eles nos trataram com muito carinho. Nós que fomos pela segunda vez podemos sentir a mudança na organização da festa”. 

A dupla já tocou com “É o Tchan” e abriram o show de Batom na Cueca. Além disso cantaram o Hino Nacional Brasileiro no jogo da sexta rodada com Campeonato Paulista entre Penapolense e Palmeiras.

MÙSICO DANIEL DHEMES LANÇA SINGLE ‘SEGREDO DO CÉUS’

O ator e cantor glicerense Daniel Dhemes, 29, radicado há três anos no Rio de Janeiro, lançou nesta semana o single ‘Segredo do Céus’.


Com produção e arranjo de seu primo e parceiro Gledsom Henrique Couto foi gravado no Estúdio Secollo na cidade de Araçatuba e finalização no Estúdio Espaço Ipiranga no Rio de Janeiro. Tanto a música como a letra são de Daniel.

De acordo com Dhemes, a musica foi feita com desejo de ser algo sincero e simples, mas, com qualidade musical. “Acho que conseguimos”, observa ele.

Daniel Dhemes, construiu uma trajetória significativa no teatro brasileiro durante 12 anos, embora tenha conquistado legítima realização nesse campo, quis seu espírito criativo investigar novas formas de linguagem inspirado na tradição musical familiar.

Visceralmente iniciou o processo de compor e pesquisar sonoridades que aliadas a trama poética de suas letras e embaladas por sua voz rascante imprimem à sua produção uma surpreendente e incomparável marca.
BANDA
Daniel Dhemes também vem a frente da Banda “Daniel Dhemes e Sonnora”. Com produção sonora e arranjos de primeira linha do músico, compositor e arranjador Francisco Sartori, que com sua maestria conduz a banda.

“Banda Sonnora” conta com a participação de músicos de altíssimo nível com carreira consolidada no Brasil e exterior. São eles: Francisco Sartori – arranjos e teclados; Robson Riva – bateria; Heitor Nascimento – guitarra e; Eddy Pinheiro – baixo.

Musica e letra: Daniel Dhemes

Arranjo e Direção de Produção : Henrique Couto 

produção e Baixo: Marcelo Secollo
Bateria: Daniel Secollo 
violões: Henrique Couto 
Gravação: Marcelo Secollo | “Estudio Secollo”, cidade Araçatuba”.
Finalização: Daniel Dhemes e Leandro Dias ” Espaço Ipiranga” Rio de Janeiro

SILVANIO REIS MOSTRA SEU TALENTO EM PALCOS NO BRASIL E EXTERIOR

Radicado há 10 anos nos Estados Unidos, Reis estuda Piano Performance na Temple University e música barroca, cravo e forte-piano
Silvanio Reis recebeu o título “Who’s who among students in American Universities and Colleges”

Só mesmo Heitor Villa Lobos, o maior ícone da música clássica brasileira, que no auge de sua carreira, teve a ímpeto de desbravar o interior do país, saindo do eixo ‘Rio São Paulo’, para encontrar nos rincões os ritmos brasileiros. Ou do alemão Beethoven que compôs uma das obras mais libertárias de seu tempo – Sinfonia nº 9. Como também a virtuosidade do compositor e pianista húngaro Franz Liszt, que inventou o poema sinfônico – composição baseada num texto ou poema literário, podem explicar, guardadas as devidas proporções, um talento quase autodidata do pianista penapolense Silvanio Reis.

Silvanio assim como Beethoven começou muito cedo na música, sendo que, aos nove anos já se apresentavam na escola as suas primeiras músicas tiradas de ouvido. Mas, bem antes, com a vaga lembrança de seus quatros anos teve a percepção musical pela primeira vez.

Seus avôs paterno Joaquim dos Reis e materno Pedro Inocêncio, participavam dos tradicionais grupos de Folia de Reis – que tocam e cantam canções aos “Santos Reis” e ao nascimento de Cristo. Tradição essa que perduram até os dias de hoje com seu pai.

“Fui criado num ambiente de muito ritmo, muita música, alegria, amor e carinho e foi assim que fui desenvolvendo a minha curiosidade de combinar sons e de fazer música. Foi um processo natural nada forçado, onde eu queria descobrir melodias e ouvia rádios, cantigas de ninar e sentava no teclado e começava a tocar”.

Já na escola Marcos Trench, foi descoberto por sua professora – que logo reconheceu seu talento e incentivou a mãe de Silvanio a colocá-lo em um conservatório de música.
“Naquela época, nós não tínhamos condições financeira, pois, é uma mão de obra muito especializada e até hoje fazer aula de piano é muito caro, principalmente, por ser um ensino individualizado”.

Finalmente em 1993, prestes a completar 11 anos, a professora Rosali conseguiu inscrever o menino no IMAP (Instituto de Música e Artes de Penápolis), que pertence ao Museu do Sol. Por consecutivos cinco anos Silvanio frequentou as aulas de piano.

“Foi uma experiência maravilhosa. Tive três professoras – Roberta Faria, Regina Marques e Rosana Bertan – extremamente dedicadas, além da diretora Elizabeth Bergner que sempre me proporcionaram o melhor para que me desse excelente educação musical no estudo de piano”.

Reis foi bolsista no instituto de 1993 a 1997 quando se formou.  Após termino de seus estudos foi convidado a fazer parte do corpo docente da instituição. “Tive a oportunidade de aprender  bem cedo a colocar em prática a educação que recebi e transferi-la aos meus alunos. A experiência profissional nos ensina de uma forma prática o que só aprendemos em teoria” e acrescenta: “Sinto-me privilegiado e grato por ter crescido dentro do IMAP, que na época fazia parte das instalações do Museu do Sol. Sempre foi um ambiente muito inspirador. Repleto de fundamentos artísticos em diferente formas – artes visuais, oficinas e recitais realizados no Museu”.

Durante sua estadia no IMAP como aluno e posteriormente como professor participou de inúmeros concursos nacionais de piano. “Participei de concursos nacionais de piano que foram realizados em Araçatuba, Três Lagoas, Mairinque. sendo obtendo os três primeiros lugares e menções honrosas, como o prêmio de melhor interprete de musica brasileira”.
EUA
Somente em 2002, conheceu através da penapolense Iolanda Roxo Nobre, o músico penapolense e filho de Nocolau Abramides, Tato Fischer, que ao escutar o jovem prodígio incentivou-o a participar de uma masterclass com o professor Dr. Mauricy Martin – professor da Unicamp – na época ele estava julgando um concurso de piano em Araçatuba.

“Mauricy estendeu sua mão e passei a ter aulas particulares com ele periodicamente um ano. Através dele conheci o professor Dr. Sergio Gallo, que leciona aqui nos EUA”.
Em 2004, Gallo foi o responsável por levar Silvanio a desbravar os Estados Unidos da América após receber uma bolsa para estudar mestrado em Piano Performance na Universidade de Dakota do Norte.
“Estou morando no Estado da Pennsylvania para cursar doutorado em Piano performance através da Temple University. As aulas  e as demandas são de altíssimos níveis. Sou orientado por Dr. Charles Abramovic, mas tenho a oportunidade de aprendizado com professores do mundo inteiro. Além de aulas praticas de piano, tenho aulas de composição, teoria, história da música e música de câmara.

Silvanio dedicasse também a estudar música barroca, órgão barroco, cravo e forte-piano orientado por Dr. Joyce Lindorff. Além disso, ministra aulas de piano e piano em grupo na Temple University. “Leciono também na Escola Darlington Arts Center e sou diretor musical de Conventry Church of the Brethren e trabalho como Assistente no Taubman Seminar, realizado na Temple Univeristy”.
PRÊMIO
Neste ano, Silvanio Reis recebeu o título “Who’s who among students in American Universities and Colleges”. Esta indicação e dada a alunos que destacam pela qualidade da nota final comparado aos demais estudantes. E um reconhecimento a nível nacional. Reis recebeu esse título pela primeira vez em 2009.

Foi também indicado por seu professor Dr. Charles Abramovic e chefe do departamento de piano da Temple University ao prêmio “Olga Gagliardi Guetto”. Este prêmio e dedicado ao estudante por seu grande desenvolvimento e desempenho como pianista durante o ano letivo de 2015.
No Brasil, Silvanio Reis apresenta em Piracicaba
No evento Silvanio dará um recital de cravo/piano e fará uma palestra sobre histórico pratica da música barroca
No final do mês, o penapolense Silvanio Reis, estará no país para uma série de apresentações no II Encontro Internacional de Pianistas em Piracicaba. O evento será entre os dias 1 a 8 de julho, na Escola de Música de Piracicaba “Maestro Ernst Mahle”. O encontro tem o intuito de trazer ao Brasil pianistas e pedagogos de renome internacional, para o intercambio artístico e pedagógico.

O evento e destinados para estudantes de todas as faixas etárias, professores e pianistas. Além dos convidados, o evento terá recitais, masterclasses, workshops, lecture recitals, palestras e mesa redonda.

As áreas de atuação do encontro serão focadas em Piano Performance, Piano Pedagogia, Piano Wellness Taubman Technique, Piano Collaborative, Opera & Vocal Coaching, Historical Performance Practice Cravo. No evento Silvanio dará um recital de cravo/piano e fará uma palestra sobre histórico pratica da música barroca.

PRAÇA DAS ARTES

A Praça 9 de julho viverá momentos de pura efervescência cultural, pois, haverá dois grandes espetáculos – um de teatro e o outra de música. as apresentações acontecem amanhã (24), a partir das 19h30.
O primeiro é o espetáculo teatral “Expresso Caracol”, da Cia dos Pés. Trata-se de um teatro ambulante, que leva a beleza da dança clássica e a magia do circo, trazendo poesia e riso, com artistas que carregam a vida e o espetáculo na mesma estrada. 
A montagem já percorreu 10 cidades do Interior Paulista e assistido por mais de 3.500 pessoas. O espetáculo tem duração de 50 minutos e é indicado para todas as idades.
TRIO
Em seguida acontece o show “Renan Bragatto e Trio”. O show que terá a participação especial de Eduardo Johansen, é liderado por Renan Bragatto (bandolim e sanfona), com os músicos Leandro Miguel (violão 7 cordas), Anderson Silveira (pandeiro) e Eduardo Johansen (trombone).
Eles se reúnem neste show para interpretar grandes nomes da música brasileira, relembrando canções de compositores da envergadura de Adoniran Barbosa, Nelson Cavaquinho e Jacob do Bandolim. Essa apresentação é em parceria da Prefeitura de Penápolis com o Sesc Birigui.

SHOW BASE ALIADA É HOJE NO CEU DAS ARTES EM PENÁPOLIS

O show “Base Aliada” com misturas de MPB, reggae, rap, pop rock e tendências afro-brasileiras será apresentado neste sábado (28), às 19h, no anfiteatro do CEU das Artes (Centro de Artes e Esportes Unificados). Criado com o intuito de homenagear e aumentar ainda mais a visibilidade de músicas brasileiras já conceituadas. A atração é o dueto que acrescenta peso e ginga às canções, apresentando uma alternativa ao que já é conhecido.
PROGRAMA
Toda a programação foi viabilizada pelo Edital da Funarte (Fundação Nacional de Artes) do Ministério da Cultura para um projeto de ocupação dos CEUs das Artes em todo Brasil. Em Penápolis, a programação é realizada pelo Projeto Povoarte, desenvolvido pela Associação Cultural de Birigui.

MARCELO JENECI APRESENTA SHOW ‘DE GRAÇA’ EM BIRIGUI

Com arranjos da premiada orquestra de Eumir Deodato, o show ‘De Graça’ do cantor, compositor e instrumentista Marcelo Jeneci, conduz a uma atmosfera, que incentiva a todos experimentarem viver intensamente, com ou sem sofrimento, pois, as coisas boas da vida não são as materiais. 
A apresentação com aproximadamente 1 hora, será no próximo sábado (28), às 20h, no Teatro Popular do SESI, em Birigui, com entrada franca. 
Jeneci foi eleito o melhor compositor de 2014, pela Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, e indicado ao Grammy Latino na categoria melhor disco de Música Popular Brasileira com seu recente lançamento ‘De Graça’. 
O Show com formato mais intimista – apresenta Laura Lavieri, Regis Damasceno e Estevan Sinkovitz. tendo eu seu espetáculo canções inéditas do artista e as parcerias de Arnaldo Antunes, Chico César e Zé Miguel Wisnik. O CD foi produzido em 2013 por Kassin e com coprodução de Adriano Cintra. Sem dúvidas é mais um trabalho apreciado pela crítica e pelo público.
Voz: Marcelo Jeneci e Laura Lavieri | Piano e acordeon: Marcelo Jeneci | Baixo: Regis Damasceno | Bateria: Richard Ribeiro

apoie o jornalismo independente